Liberdade

Universidade de Cabul proíbe entrada de alunas e funcionárias no prédio

O novo reitor da instituição fez a declaração em uma rede social nesta segunda-feira

Maria Luiza MachadoPublicado em 28/09/2021 às 14:17Atualizado há 28/09/2021 às 14:17
O Talibã afirmou alguns dias atrás que seu atual governo seria mais moderno (Getty Images)

O Talibã afirmou alguns dias atrás que seu atual governo seria mais moderno (Getty Images)

Mohammad Ashraf Ghaira, reitor da Universidade de Cabul, no Afeganistão, anunciou através de uma rede social nesta segunda-feira (27), que alunas e professoras serão proibidas de frequentar a instituição.

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp e receba matérias exclusivas. Fique bem informado! Acesse: https://bit.ly/ovale-agora-6 

Ghaira, foi nomeado como reitor da instituição pelo próprio Talibã. “Eu dou a vocês minha palavra como reitor da Universidade de Cabul, enquanto não houver um ambiente realmente islâmico para todos, não será permitido às mulheres vir à universidade ou trabalhar. Islã primeiro”, escreveu.

Alguns dias atrás o grupo terrorista  anunciou que seu governo atual seria diferente do anterior, que dominou o Afeganistão de 1996 a 2001. E chegaram a afirmar que mulheres poderiam estudar, desde de que estivessem salas diferentes da dos homens.

Além de não poderem estudar, as mulheres do país também estão proibidas de trabalhar. De acordo com o jornal The New York Times, as funcionárias da Universidade de Cabul foram contra a nova decisão do Talibã, e alegaram que o grupo não tem monopólio da interpretação da fé islâmica.

O Talibã afirma que a proibição é temporária e que está acontecendo por motivos de segurança.

Assuntos

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: