Direitos

Jogadoras de futebol do Afeganistão temem Talibã mesmo após fuga do país

As jogadoras estão abrigadas no Reino Unido, porém ainda não receberam a documentação de imigração

Maria Luiza Machado
30/11/2021 às 14:45.
Atualizado em 30/11/2021 às 14:45
As jogadoras seguem temendo por suas vidas (Getty Images)

As jogadoras seguem temendo por suas vidas (Getty Images)

A jogadora de futebol afegã, Narges Mayeli, de 19 anos, definiu o Talibã como “Um pesadelo para a minha geração” durante uma entrevista à CNN durante essa semana. Ela e centenas de atletas femininas da modalidade temem por seu futuro, por não possuírem o status de refugiadas.

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp ➤ https://bit.ly/ovale-agora-20 & receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

“Eles conquistaram todo o nosso país em uma noite. E depois daquela noite, pudemos ver o Talibã nas ruas. Eles foram cruéis. Eles não tiveram misericórdia de ninguém”, falou a atleta.

Após o domínio do grupo terrorista do país, a vida das mulheres afegãs foi reprimida. Por esse motivo, Khalida Popal, ex-capitã do time de futebol feminino afegão, orientou suas colegas de time a deletarem seus perfis nas redes sociais, como forma de autoproteção. 

“Estou triste e preocupada e quero poder voltar para minha casa. Nunca sonhamos em deixar nosso país, mas é muito difícil e assustador saber que como mulheres, perdemos nossa luz, nossa liberdade que tínhamos em Afeganistão”, contou a atual capitã do time, Sabreyah Nowrozi, de 24 anos, sobre a chegada dela e das colegas ao Reino Unido, onde estão abrigadas. 

O país deve receber cerca de 20 mil refugiados. Em agosto, o governo declarou que mulheres, meninas, religiosas e outras minorias seriam priorizadas durante essa ação.

No entanto, o time de jogadores ainda não recebeu nenhum tipo de garantia da permanência no país. “Eles estão em uma espécie de limbo de não saber o que vai acontecer com eles em seis meses”, disse Sabreyah. 

IMIGRAÇÃO

Na quarta-feira (24), 27 pessoas se afogaram na França após um barco inflável, que ia rumo ao Reino Unido, virar no Canal da Mancha.Uma mulher grávida estava entre as vítimas.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por