Partido

Sem Felicio e Anderson, PSDB mira reconstrução capitaneada por Cury

Diretório estadual do partido concentra esforços para convencer deputado federal a continuar no PSDB; diretório municipal tem reunião marcada para segunda-feira

Julio Codazzi
21/01/2022 às 22:13.
Atualizado em 21/01/2022 às 22:13
Felicio Ramuth e Eduardo Cury (Claudio Vieira/PMSJC)

Felicio Ramuth e Eduardo Cury (Claudio Vieira/PMSJC)

O anúncio de que o prefeito Felicio Ramuth e o vice-prefeito Anderson Farias sairiam do PSDB não frustrou apenas os projetos atuais do partido para São José dos Campos, mas também os planos da legenda para os próximos 10 anos no município.

Era considerado um caminho natural que o vice-prefeito disputasse o Paço Municipal em 2024, quando terminaria o segundo mandato de Felicio. No cenário de sonhos dos tucanos, Anderson poderia garantir mais oito anos como prefeito – algo nada improvável, já que o PSDB venceu seis das últimas sete eleições na cidade.

A saída da dupla para o PSD criou um vácuo no ninho tucano na cidade. Como preencher esse vazio? É isso que lideranças do PSDB em São Paulo e em São José tentam responder desde o início da última semana.

Nos diretórios estadual e municipal há consenso sobre qual é a medida mais urgente a ser tomada: segurar Eduardo Cury no partido. O ex-prefeito, que desde 2015 é deputado federal, é considerado o nome ideal para reconstruir a legenda na cidade – outro nome importante, o também ex-prefeito Emanuel Fernandes, está afastado há anos da vida política.

Embora Cury tenha tentado dissuadir Felicio da ideia de deixar o PSDB, isso não quer dizer que a permanência do parlamentar no partido seja fácil. Segundo apuração de OVALE, o deputado entende que sua candidatura à reeleição esse ano ficará enfraquecida sem a possibilidade de se apoiar na imagem e na boa avaliação do atual prefeito.

Caso também opte pela saída, Cury poderia deixar o PSDB em março, na janela partidária. Para  conter esse risco, o diretório estadual tucano resolveu agir rápido. Na terça-feira (18), um dia após Felicio e Anderson comunicarem a desfiliação, lideranças de São Paulo iniciaram um intenso diálogo com o deputado federal.

Na terça, Cury recebeu telefonema do presidente estadual do PSDB, Marco Vinholi. Na quarta-feira, se encontrou com Vinholi e o vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), que irá concorrer ao Palácio dos Bandeirantes esse ano. Na quinta-feira, novo encontro: um almoço que reuniu Cury, Vinholi e Garcia.

No almoço, Vinholi e Garcia prometeram que Cury terá apoio total do partido na região, além de estrutura forte para sua campanha à reeleição. Procurados por OVALE, nem Vinholi e nem Cury quiseram comentar as tratativas sobre o futuro do PSDB em São José. Na visão do diretório estadual, segundo apuração da reportagem, o risco do deputado deixar a legenda foi reduzido após essa última conversa.

SÃO JOSÉ.

Na próxima segunda-feira (24), Cury deve comandar uma reunião do chamado diretório ampliado do PSDB de São José – o tal diretório ampliado é composto por 120 filiados; a reunião em que Felicio anunciou que deixaria o partido foi com o diretório restrito, que tem 45 integrantes.

A pauta da reunião será explicar as diretrizes que o diretório estadual repassou para a reconstrução do grupo do PSDB em São José – além de Felicio e Anderson, outros integrantes, entre eles secretários municipais, também deixaram o partido.

Ao menos quatro dos cinco vereadores do PSDB devem seguir no partido: Dulce Rita, Dr. José Claudio, Roberto do Eleven e Renato Santiago.

Ao contrário de Cury, os vereadores correriam o risco de perder o mandato caso deixassem o PSDB, já que não são contemplados pela janela partidária desse ano. “Eu continuo no PSDB, não apenas pelo mandato, mas também pela ideologia”, afirmou Dulce. “O PSDB é nosso partido. A saída do prefeito não muda em nada”, disse Eleven. “Não penso em sair do PSDB”, frisou Renato Santiago. “Eu gostei do partido, que abriu a porta para mim em 2019. Estou bem, tenho ideologia parecida com os demais vereadores”, declarou José Cláudio.

Ainda não há uma posição oficial, mas a tendência é de que os vereadores do PSDB continuem na base aliada do governo Felicio.

INCÓGNITA.

Dos cinco vereadores do PSDB em São José, a única incógnita – sobre permanência ou não na legenda – é Juvenil Silvério, que também é o presidente municipal do partido. O parlamentar é pré-candidato a deputado estadual e, assim como Cury, entende que ficaria enfraquecido se não pudesse se apoiar na imagem do prefeito.

Procurado por OVALE, Juvenil não quis se pronunciar. A reportagem apurou que o diretório estadual já conta com a possibilidade de o vereador também deixar a sigla – e, provavelmente, migrar para o PSD. Caso isso ocorra, o parlamentar correria o risco de perder o mandato por infidelidade partidária. Além disso, nesse caso, o PSDB avaliaria outro nome da cidade para concorrer a deputado estadual em outubro. Uma das possibilidades seria a também vereadora Dulce Rita.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por