Economia

Alstom anuncia ampliação da produção em Taubaté para atender contratos de R$ 3,2 bilhões

Fábrica irá entregar 87 trens nos próximos anos e contratar 600 trabalhadores entre 2022 e 2024

@Da redação
09/02/2021 às 08:13.
Atualizado em 01/07/2021 às 03:59
Produção na fábrica da Alstom em Taubaté (JOAN BARDELETTI)

Produção na fábrica da Alstom em Taubaté (JOAN BARDELETTI)

Em meio às celebrações de 65 anos de atividades no Brasil, data comemorada no ano passado, a Alstom anunciou a ampliação da produção na fábrica de Taubaté para atender contratos que podem ultrapassar a casa de R$ 3,2 bilhões.

Com isso, a empresa ampliará ainda mais a sua participação no mercado, que contabiliza mais de 4,6 mil carros produzidos em fábricas instaladas no território nacional desde 1955.

Entre os novos contratos, estão a Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo, Linha 7 do Metrô de Taipei, em Taiwan, e o Metrô de Bucareste, na Romênia.

“A Alstom tem inúmeros motivos para comemorar os seus 65 anos no Brasil. A companhia participou ativamente do desenvolvimento do setor metroferroviário do País, com uma história marcada por muitas inovações para a mobilidade urbana em importantes cidades brasileiras”, disse Michel Boccaccio, vice-presidente sênior da Alstom para a América Latina e presidente da Alstom no Brasil.

Segundo a companhia, a fábrica de Taubaté está sendo preparada para receber a produção dos novos contratos e estão previstas novas contratações, que devem ser de 200 pessoas a partir de junho de 2022 e, em abril de 2024, cerca de 400 pessoas.

Atualmente, a fábrica da Alstom em Taubaté conta com cerca de 90 empregados e é a única da empresa na América Latina. A unidade está capacitada para atender projetos no Brasil e no mundo.

Nos últimos anos, além de produzir os carros para o VLT do Rio de Janeiro, também atendeu os mercados da Argentina (metrô de Buenos Aires) e Chile (metrô de Santiago).

A planta instalada no Vale do Paraíba produz atualmente carros em aço inoxidável para o metrô de Santiago (projeto NS16), no Chile.

“A fábrica tem capacidade de expansão e passará por adaptações para receber os novos projetos. Vale mencionar também que a planta é referência na produção de carros em aço inoxidável, além de contar com mão-de-obra capacitada e qualificada”, informou a empresa a OVALE.

Questionada sobre as perspectivas da companhia em razão da crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus, a Alstom admitiu que “a instabilidade econômica interfere em projetos e investimentos de qualquer empresa e setor no país” e que o setor ferroviário, diretamente conectado com as iniciativas de políticas públicas e a capacidade de financiamento de estados e municípios, “não esteve imune a essa situação, que causou redução de novos projetos”.

No entanto, a expectativa da empresa é de que o mercado volte a crescer.

“Estamos prontos para a retomada do mercado, mantemos nossas unidades fabris na região e estamos atentos às oportunidades no Brasil, na América Latina e em todo o mundo. Especificamente no Brasil, acreditamos que seja necessário incentivo da esfera pública para a promoção de políticas de mobilidade urbana e infraestrutura que possam efetivamente oferecer soluções de transporte de qualidade para os cidadãos e estimular as soluções sustentáveis de locomoção”, afirmou a companhia.

“Com a abertura de licitações que estimulem a competitividade das empresas, com o investimento de bancos públicos e por meio das Parcerias Público Privada (PPP), é possível que o setor continue a se desenvolver”, completou.

Conheça os novos projetos previstos para a fábrica de Taubaté, segundo informações da Alstom.

Linha 6-Laranja de Metrô de São Paulo

Há um contrato com a Concessionária Linha Universidade (Linha Uni), cujo principal sócio é o Grupo Acciona. A Concessionária é responsável pela retomada da Linha 6 – Laranja de Metrô de São Paulo. Os investimentos totais na Linha 6 estão em R$ 15 bilhões, e trata-se do maior projeto de infraestrutura público-privado em desenvolvimento na América Latina. Os trens começam a ser produzidos em 2022. A Alstom fornecerá 22 trens, com seis carros cada. O início das entregas está programado para o primeiro semestre de 2024.

Extensão da Fase 2 da Linha 7 do Metrô de Taipei, em Taiwan

O consórcio liderado pela Alstom com a empresa de serviços de engenharia e contratação taiwanesa CTCI alcançou o fechamento contratual em 23 de junho de 2020 para a extensão da fase dois da Linha 7 do Metrô de Taipei (Taiwan).

O valor do contrato é de cerca de € 424 milhões, e a participação da Alstom é de aproximadamente € 248 milhões. O contrato é para o fornecimento de 16 trens Metropolis (de quatro carros).

A primeira fase do contrato foi assinada em 2018. Ao todo, a Alstom Brasil será responsável pelo fornecimento, teste e comissionamento de 35 trens (com quatro carros) que serão fabricados na fábrica de Taubaté, já a partir de 2021.

Metrorex / Metrô de Bucareste (Romênia)

A Alstom obteve um contrato da Metrorex SA, a operadora estatal de metrô de Bucareste, para fornecer um total de até 30 trens Metropolis para circular na recém-construída Linha 5 da rede de metrô da cidade, entregue em dois lotes. O valor do contrato para os primeiros 13 trens (78 carros ao todo) é de mais de € 100 milhões. Este contrato pode ser estendido com a opção de mais 17 trens, com base no pedido do cliente. O valor total estimado do projeto pode ir até € 240 milhões. A fabricação dos trens de Bucareste deverá ter início no segundo semestre de 2021.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por