Economia

Procon de Caraguá orienta consumidores e dá dicas sobre compras seguras durante o fim de ano

Confira as falas de Aliex Moreira, diretor do órgão em Caraguatatuba

Patrick C. Santos
03/12/2021 às 09:15.
Atualizado em 03/12/2021 às 09:32
Segundo o próprio Procon, em dezembro, as vendas do comércio aumentam bastante devidos aos presentes de Natal, aos "amigos secretos" e à injeção do 13° salário na economia (Reprodução/ColchãoCostaRica)

Segundo o próprio Procon, em dezembro, as vendas do comércio aumentam bastante devidos aos presentes de Natal, aos "amigos secretos" e à injeção do 13° salário na economia (Reprodução/ColchãoCostaRica)

O Procon de Caraguatatuba divulgou algumas dicas e orientou os consumidores para a realização de uma compra segura durante as festas do final do ano, "sem surpresas indesejáveis e violações dos diretos garantidos pela Lei do Código de Defesa do Consumidor (n°8078/19900).

Entre no nosso grupo do WhatsApp e fique sempre ligado nas notícias mais importantes da RMVale, do Brasil e do mundo - Clique aqui e esteja sempre bem informado!

Segundo o próprio Procon, em dezembro, as vendas do comércio aumentam bastante devidos aos presentes de Natal, aos "amigos secretos" e à injeção do 13° salário na economia.

Aliex Moreira, diretor do Procon de Caraguá, ressaltou a importância de realizar uma pesquisa de preços antes de efetuar uma compra. "Também é necessário verificar no ato da compra se o valor anunciado é o mesmo cobrado no momento de fazer o pagamento no caixa", complementou.

O prédio fica na Avenida Frei Pacífico Wagner, 908, no Centro (Luís Gava/PMC)

Preços nos produtos

"A venda dos produtos pelos estabelecimentos devem seguir as diretrizes do Código de Defesa do Consumidor, com os respectivos preços nas etiquetas ou nas prateleiras. Por isso, no momento da compra é importante analisar as informações das embalagens, incluindo o preço cobrado à vista e as taxas de juros no caso das compras a prazo. O consumidor deve estar ciente sobre a forma de pagamento para evitar constrangimentos desnecessários", explicou.

Brinquedos

"O consumidor precisa verificar as especificações das embalagens, qualidade, composição, garantia e conferir ainda se a mercadoria possui o selo de conformidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e para qual idade é destinada", advertiu Aliex sobre os produtos infantis, muito comprados durante esta época do ano. "Alguns brinquedos podem conter elementos tóxicos nas suas composições e se forem levados à boca, tornam-se uma brincadeira perigosa para as crianças na fase oral, quando elas começam a colocar tudo na boca. No caso de crianças alérgicas, observar a composição é primordial, já que o brinquedo pode conter substâncias tóxicas", complementou.

Trocas

Segundo Aliex, os fornecedores têm, no máximo, 30 dias para solucionar os defeitos nas mercadorias. “Após este período, o consumidor escolhe se quer substituir o produto por outro da mesma espécie, bem como cancelar a compra e receber o dinheiro de volta. Além disso, pode solicitar um abatimento no preço e ficar com o produto imperfeito. Se for um produto essencial, fogão, geladeira, colchão, medicamento e alimento, por exemplo, a troca do produto por um novo ou o dinheiro de volta deve ser feito de imediato”, explica.

Nota fiscal

"O documento será de grande ajuda nos casos de troca ou conserto, além de contribuir para a formalização de denúncias no Procon, quando houver irregularidades nas negociações ou problemas com a mercadoria", disse Aliex, falando sobre a importância de exigir a nota fiscal -- um direito do consumidor.

"Mesmo assim, é importante que o consumidor se informe com a loja sobre funcionamento da política de trocas e que seja constado no cupom fiscal para evitar transtornos nos casos em que não houve o cumprimento por parte da empresa. Além disso, o cliente deve verificar nos acordos de trocas com as empresas se há algum prazo, evitando assim, a perda desse direito", complementou afirmando que os estabelecimentos não são obrigados a fazer a troca do item.

Internet

Muitas vezes, as compras são realizadas via internet pela comodidade de comprar em qualquer lugar. O diretor do Procon diz que "os consumidores precisam analisar se o preço do produto realmente compensa, não deixando dar atenção aos possíveis custos com a entrega. É importante conferir as ofertas anunciadas pela internet e se estas promoções constam no site oficial de vendedor para evitar fraudes".

Sobre boletos, Aliex disse que "é bom verificar quem é o beneficiário, pois nas compras de empresas, caso conste no documento o nome de uma pessoa física, também pode caracterizar fraude”, ressalta. “Outra dica é observar se a página possui o nome e o CNPJ da empresa, além das informações necessárias para fazer contato. Preços muito abaixo da concorrência devem ser vistos com desconfiança, e ainda, se a única forma de pagamento é via boleto, depósito bancário, TED (Transferência Eletrônica Disponível), PIX ou DOC (Documento de Ordem de Crédito). Não faça esse tipo de transação!".

Para registrar uma reclamação referente às compras online, o consumidor deve comparecer pessoalmente (ou por meio de terceiros) até o Procon com uma procuração em mãos. É necessário apresentar RG, CPF e toda a documentação pertinente à reclamação, como: nota fiscal, ordem de serviço, comprovante de pagamento e outros.

Atendimento e contato

O atendimento ao público no Procon de Caraguá é de segunda a sexta-feira, das 9h às 14h. A sede fica localizada na Av. Frei Pacífico Wagner, número 908, no Centro da cidade. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (12) 3897-8282.

Além disso, o cliente também pode realizar uma queixa online pelo aplicativo 'Caraguatatuba 156', disponível para Android e IOS. Também é possível acessar o site do canal 156 clicando AQUI.

Dicas para o Natal

O Procon também forneceu algumas dicas práticas para evitar dores de cabeça durante o Natal. Confira:

- Compre o produto somente se você necessita;

- Fique atenta à marca, qualidade e garantia do produto;

- Veja com o estabelecimento qual a política de troca e se há prazo;

- Exija a nota fiscal de compra do produto;

- Verifique as especificações dos produtos destinados às crianças;

- Consulte se há reclamações contra a empresa que está vendendo o produto;

- Nas compras on-line, verifique se o preço realmente compensa, incluindo o frete;

- Visite o site oficial da loja na internet para evitar golpes;

- Compras pela internet podem ser canceladas ou o produto devolvido no prazo de sete dias.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por