Energia

Contrato para usina fotovoltaica em São José será assinado nessa sexta-feira

Durante os 26 anos de concessão, Prefeitura irá pagar R$ 53,35 milhões para empresa; energia gerada pela usina será utilizada para abastecer prédios públicos

Da RedaçãoPublicado em 13/10/2021 às 22:04Atualizado há 13/10/2021 às 22:04
Paço Municipal de São José dos Campos (Claudio Vieira/PMSJC)

Paço Municipal de São José dos Campos (Claudio Vieira/PMSJC)

Será assinado nessa sexta-feira (15) o contrato entre a Prefeitura de São José dos Campos e a empresa Cápua Projetos e Construções, que ficará responsável por implantar, manter e gerir usinas de painéis solares fotovoltaicas no município.

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp e receba matérias exclusivas. Fique bem informado! Acesse: https://bit.ly/ovale-agora-10

Durante os 26 anos de concessão, a empresa, que tem sede em Jacareí, irá receber R$ 53,35 milhões.

A partir da ordem de serviço, a Cápua terá 12 meses para iniciar a operação da usina e o fornecimento da energia verde.

O consumo anual deve ser de 4.730 MWh. Segundo a Prefeitura, as usinas irão fornecer energia para o funcionamento da Linha Verde e abastecer prédios municipais, como escolas e unidades de saúde.

A estimativa da Prefeitura é de economizar cerca de 25% nas contas de energia com a implantação da usina. Atualmente, o município gasta R$ 0,63 de tarifa por kWh. Esse valor deve cair para R$ 0,47 por kWh.

PROMESSA.

Na campanha de 2020, na qual foi reeleito, o prefeito Felicio Ramuth (PSDB) prometeu construir uma usina solar para gerar energia sustentável para os prédios públicos. Posteriormente, houve o entendimento de que apenas essa medida não seria suficiente para suprir a demanda dos espaços municipais.

Por isso, foi aberta também outra concorrência, que prevê a aquisição de energia verde em ACL (Ambiente de Contratação Livre), com a compra de 60,2 mil MWh (Megawatts-hora) em cinco anos.

Essa licitação já teve dois editais: o primeiro, no valor máximo de R$ 12,471 milhões, atraiu apenas uma empresa, que acabou inabilitada; o segundo, de até R$ 14,829 milhões, não teve nenhuma interessada. Os fracassos ocorreram em abril e junho. Essa concorrência ainda não foi retomada.

Com a aquisição de energia verde, a Prefeitura esperava adquirir energia suficiente para abastecer 30 prédios públicos, entre eles Paço Municipal, Hospital Municipal, Parque Tecnológico, Secretaria de Educação, Secretaria de Saúde, Hospital Clínicas Sul, Casas do Idoso, Centro da Juventude e as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Putim, Alto da Ponte e Campo dos Alemães.

Assuntos

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: