Gabinete de Crise

‘Circulação do vírus ainda está ativa’, diz Nádia Meireles, diretora da DRS 17

Diretora regional de Saúde da RMVale, a DRS 17, com sede em Taubaté, Nádia Meireles alerta para a circulação do coronavírus na região, admite aumento de casos e pede prudência da população: ‘Manter medidas’

Xandu Alves
20/05/2022 às 23:12.
Atualizado em 21/05/2022 às 01:20
Pandemia de coronavírus (Heudes Regis /SEI)

Pandemia de coronavírus (Heudes Regis /SEI)

Manter medidas protetivas e a cobertura vacinal.

Essas são as maneiras mais eficazes de conter a nova disseminação do coronavírus para Nádia Meireles, diretora regional de Saúde do Vale do Paraíba, a DRS 17, com sede em Taubaté.

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp e receba matérias exclusivas. Fique bem informado! Acesse: https://bit.ly/ovale-agora-34

“Toda intensificação de transmissão pode facilitar o surgimento de novas variantes”, disse ela ao Gabinete de Crise. Confira.

 Qual a avaliação para o momento da pandemia no Vale?

Estamos ainda em pandemia, com a circulação do vírus ainda ativa. Embora a transmissão tenha diminuído nas últimas semanas, em decorrência da barreira representada pela vacinação, é esperado um aumento na taxa de transmissão.

 Esse crescimento preocupa?

Sim, pois toda intensificação de transmissão pode não apenas causar mais casos, mas facilitar o surgimento de novas variantes, o que deve ser evitado a todo o custo.

 O que fazer para evitar uma nova onda na região?

A manutenção das medidas protetivas e manter a cobertura vacinal. Embora tenha sido suspensa a obrigatoriedade do uso de máscaras – exceto no transporte coletivo e em serviços de saúde –, e muitos tenham diminuído o uso de álcool gel ou a limpeza das mãos, essas medidas são ainda recomendadas para a população.

De fato, manter o distanciamento, uso das máscaras e a higienização das mãos são hábitos que devem ser incentivados. Sugere-se também evitar aglomerações e manter o uso das medidas protetivas em ambientes fechados, mesmo não sendo mais obrigatórias.

Saúde. Nádia Meireles, diretora regional de Saúde da RMVale (Divulgação)

A maior parte das pessoas que está sendo internada é de não vacinadas ou que não completaram o esquema vacinal?

Sim, infelizmente o padrão observado é o de pessoas que não completaram o esquema vacinal, destacando ainda mais a necessidade de manter a cobertura e incentivar a todos a manterem suas doses atualizadas.

 Há pessoas com a falsa impressão de que vencemos a pandemia?

Com a vacinação conseguimos diminuir a escalada do vírus e conter seu avanço. Esse é um momento de mantermos a cabeça fria e estrategicamente ter atitudes que favoreçam o controle da circulação do vírus. Vai sair? Vá de máscara ainda, mesmo não sendo obrigatório. Vai ter muita gente? Não vá. Precisa se vacinar? Procure o posto de saúde e colabore.

 O fim dos cuidados pode fazer aumentar a pandemia na região?

Sim, esse é um padrão observado em outros locais do mundo até o momento.

 A proximidade do inverno traz uma preocupação adicional?

Sim, pois com o frio as pessoas tendem a procurar locais fechados, provocando uma maior proximidade, aumentando as oportunidades de transmissão.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por