Santuário Nacional

Arcebispo de Aparecida vira alvo de bolsonaristas após sermão na Basílica; políticos saem em defesa

Dom Orlando Brandes defendeu um país sem corrupção, pobreza, mentiras e armas na missa da Padroeira do Brasil

Xandu AlvesPublicado em 13/10/2021 às 19:17Atualizado há 13/10/2021 às 19:17
Santuário Nacional de Aparecida (Caíque Toledo / OVALE)

Santuário Nacional de Aparecida (Caíque Toledo / OVALE)

O arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, virou alvo de redes bolsonaristas na internet após defender um país sem corrupção, pobreza, mentiras e armas na missa da Padroeira do Brasil, no Santuário Nacional de Aparecida, na terça-feira (12).

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp e receba matérias exclusivas. Fique bem informado! Acesse: https://bit.ly/ovale-agora-10

No sermão da missa solene da festa, Brandes pediu para que a sociedade construa “uma pátria amada. Para ser amada, não pode ser pátria armada”. Ele também pediu uma nação sem mentiras e corrupção, além de pedir o combate à pobreza.

“Para ser pátria amada seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos os irmãos construindo a grande família brasileira.”

Logo após a homilia virializar na internet, Brandes passou a ser alvo de bolsonaristas nas redes sociais, tornando-se um dos assuntos mais comentados no Twitter. O sermão ma Basílica bastou para o arcebispo ser chamado de comunista e sofrer diversos ataques.

“Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, pratica demagogia militando pelo desarmamento. Quando esse padreco de butique e o Tapa (ops) Papa Francisco abrirem mão da segurança armada, prometo que pensarei no assunto”, escreveu a página Liberdade Direita.

“Dom Orlando Brandes é um excomungado! Salvem a igreja católica!”, disse um apoiador de Bolsonaro no Twitter.

Outro apoiador do presidente intitulado “conservador e patriota” escreveu: “Dom Orlando Brandes quis dar uma ‘lacrada’ na missa do 12 de outubro contra Bolsonaro”.

DEFESA

Mas o arcebispo também recebeu muitos apoios na internet, especialmente de políticos que fazem oposição a Bolsonaro.

Presidente do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann escreveu: “Emblemático e corajoso o sermão do Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes. É disso que o Brasil precisa, mais amor ao próximo, rejeitar o ódio e a violência como ensina Cristo. Uma Pátria unida pela paz e contra a pátria armada de Bolsonaro”.

Manuela Davila também defendeu o religioso de Aparecida: “Bispo D. Orlando Brandes disse tudo. Para o Brasil "ser pátria amada, não pode ser pátria armada". Precisamos de menos armas e mais políticas públicas, comida na mesa e vida digna pro povo! Isso é amar o Brasil!”.

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) classificou a homilia de Brandes como “verdadeiro sermão antibolsonaro”.

“Saúdo o arcebispo de Aparecida dom Orlando Brandes pelas palavras de coragem no sermão dessa terça-feira. Por um Brasil sem mentiras, armas e fome. Ninguém aguenta mais ficar calado diante da hipocrisia do capetão”, comentou o líder do MST, João Pedro Stedile.

Assuntos

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: