Automóveis

Mercado automobilístico sofre queda nas vendas durante o início de 2022

Queda na venda de automóveis é maior do que o esperado, consequência da falta de peças para produção de veículos

18/02/2022 às 20:25.
Atualizado em 18/02/2022 às 20:25
Queda na venda de automóveis (Torsten Dettlaff/Pexels)

Queda na venda de automóveis (Torsten Dettlaff/Pexels)

O ano de 2022 começou abaixo das expectativas para o mercado automobilístico. De acordo com a Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), as vendas de veículos sofreram uma queda de 38,9% de dezembro de 2021 para janeiro deste ano. Quando comparado com janeiro de 2021, a queda continua alta, sendo de 26,1% para janeiro de 2022.

No total, 126,5 mil veículos foram emplacados no mês passado, uma média de 6.025 automóveis por dia, incluindo carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus. Durante os primeiros meses do ano, a retração é esperada, no entanto, num índice, aproximadamente, entre 15% e 25%.

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), explica o principal motivo da retração:

“O resultado é conjuntural e acontece, principalmente, em função dos baixos estoques das concessionárias, em dezembro, e da persistente falta de produtos, ainda provocada pela escassez de insumos e componentes", explicou o presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Jr., em nota.

A crise provocada pela pandemia da Covid-19 culminou na falta de peças no setor, o que prejudicou a produção de automóveis, criando até mesmo a formação de filas de espera em concessionárias para quem desejava comprar determinados veículos. Outros fatores, como o aumento de casos de coronavírus e fortes chuvas também acabam influenciando as vendas como um todo.

Em contrapartida, a venda de motocicletas cresceu quando comparada ao mesmo período do ano passado. A Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicleta e Similares), registrou um aumento de 4,5% na venda de motos, de janeiro de 2021 para janeiro deste ano.

Comparando janeiro de 2022 com dezembro de 2021, a retração existe, na margem de 20,2%, o que fica dentro da baixa esperada para o início do ano, que normalmente, registra menos vendas quando comparamos com finais de ano, que são períodos em que as pessoas ficam mais propícias a gastar e investir dinheiro.

O aumento na venda de motocicletas tornou-se tendência em meio à pandemia e deve continuar em crescendo durante o ano de 2022.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por