notícias

A atriz Fernanda Montenegro está em mais uma estreia no cinema, um elemento que é quase sinônimo de qualidade. Dessa vez, a atriz está em um projeto quase familiar, atuando ao lado de seu neto, sendo dirigida pelo seu genro e com roteiro de sua filha. "O Juízo", dirigido por Andrucha Waddington, é um filme de suspense sobrenatural que conta a história de Augusto Menezes (Felipe Camargo) um alcoólatra que acaba de perder o emprego e decide se mudar com esposa (Carol Castro) e filho (Joaquim Torres Waddington) para uma fazenda herdada de seu avô. O patriarca é assombrado por Couraça, interpretado pelo rapper Criolo e Ana, interpretada por Kênia Bárbara, dois escravos decididos a se vingar dos antepassados de Augusto, que esconde uma ganância obscura e desejo de explorar a fazenda. "Eles estão buscando a reparação de algo irreparável", disse o diretor Andrucha. Atrás de uma vida melhor, a família se vê encurralada e obrigada a chamar uma espírita, interpretada por Fernanda. "A fazenda também é um personagem, um local em que essa família se vê aprisionada", completa o diretor. O filme também tem roteiro assinado por Fernanda Torres, que explica que a história surgiu quando visitava fazendas no interior do Brasil. "Elas herdam não só a escrevidão no Brasil, mas também um 'karma'. O extrativismo também está presente na história, através dos diamantes", disse a atriz e roteirista. SUSPENSE BRASILEIRO. O filme chega aos cinemas nesta quinta-feira como uma nova aposta ao suspense sobrenatural brasileiro na grande mídia. Produzido pela Globo Filmes, "O Juízo" terá uma boa veiculação em salas de cinema no Brasil. "É um gênero que funciona comercialmente com o cinema americano e o cinema brasileiro está cada vez mais plural", disse Andrucha. Fernanda Torres conta que muitos produtores começaram a se arriscar ao mesmo tempo para produzir cinema de gênero. Um dos exemplos é o filme "Morto Não Fala", do diretor Dennison Ramalho, que conta crônicas de um funcionário do necrotério que escuta as vozes dos mortos que cuida, além de Bacurau, filme premiado em Cannes que também flerta com o horror. ESTREIA. O rapper Criolo faz sua estreia como ator em uma grande produção que fala também sobre as desigualdades que canta em seus versos. "A arte exista para questionarmos como foi a construção do que vivemos hoje", conta o músico. Para ele, "O Juízo" é uma celebração das raízes brasileiras. "As produções de fora não tem a beleza, o sotaque e o tempero que o nosso povo tem ", finaliza..
O Museu do Folclore de São José dos Campos vai iniciar neste domingo, dia 8 de dezembro, o Ciclo de Natal de 2019. Entre as atividades, a abertura do seu presépio (montado na área externa) e da exposição temporária As Folias de Reis e o Museu do Folclore. No mesmo dia, o museu também comemorará 32 anos de criação, com direito a bolo de aniversário. Na abertura do presépio estarão presentes a Folia de Reis Esplendor do Oriente (Jardim Satélite), Cia Irmandade Santos Reis (Parque Novo Horizonte), Folia de Reis de Santana (Santana) e Folia de Reis do Mestre Zé Mira (Putim), todas de São José. Já no encerramento do ciclo e fechamento do presépio, em 26 de janeiro de 2020, acontecerá a Chegada e Benção das Bandeiras, com a presença de mais folias. A atividade é aberta ao público e acontecerá nas áreas interna e externa do Museu do Folclore, entre 14h e 17h, não havendo necessidade de confirmação de presença. Montagem do presépio Como já é tradição, o presépio está sendo feita por uma pessoa da comunidade escolhida pelo museu, que neste ano é a costureira Nair Martins de Souza, 50 anos, joseense e moradora no bairro de Santana, região norte. Há nove anos Nair monta o presépio da sua casa e se sente emocionada pela oportunidade de montar o presépio do museu pela primeira vez. Nair conta que quando era criança sempre acompanhou seu pai montando o presépio da sua casa e foi daí que passou a gostar deste fazer tradicional. “Hoje faço isso com muito carinho e fé. Os presépios que já montei são simples e o mais importante é o que eles simbolizam, o nascimento do Menino Jesus”, enfatiza Nair. Para compor o presépio, Nair está utilizando figuras de argila do acervo do Museu do Folclore e outras peças encomendadas por ela, como monjolo, roda d’água, capela e gruta. Ela também está utilizando materiais adquiridos pelo museu, como manta acrílica, palitos de sorvete, lâmpadas e papel pedra. Nair ainda relata que é integrante da Folia de Reis de Santana há 13 anos e, desde então, participa da abertura e fechamento do presépio do Museu do Folclore. “Desta vez, minha satisfação será em dobro, estou me sentindo presenteada”, diz Nair. Exposição temporária A exposição temporária As Folias de Reis e o Museu do Folclore, é uma homenagem a todos os grupos de folias que já passaram pelo museu desde 1997, ano em que ele foi instalado no Parque da Cidade, em Santana, e que foi montado o primeiro presépio. A mostra ficará aberta até o dia 26 de janeiro de 2020 e poderá ser visitada no mesmo horário de funcionamento do museu. A exposição terá bandeiras, vestimentas, instrumentos, máscaras e outros adereços utilizados pelas Folias de Reis. A intenção é que o público possa conhecer os detalhes de cada um desses objetos e entenda o seu significado nesta manifestação bastante peculiar da nossa região. Os objetos da mostra estarão nas salas São José dos Campos e Brasil, da exposição de longa duração do museu. A montagem de presépios em residências e espaços públicos é uma das muitas manifestações da população para comemorar o nascimento de Jesus. Além das montagens dos presépios, outras manifestações acontecem durante o Ciclo de Natal, como troca de presentes, mensagens, visitas, cerimônias religiosas e tantas outras como, por exemplo, as manifestações das Folias de Reis. Homenagem Também será feita uma homenagem ao mestre Sebastião Marcolino, que por mais de 65 anos foi responsável pela formação e condução da Folia de Reis Estrela Guia, de São José dos Campos. Quando a folia terminou ele doou ao Museu do Folclore a bandeira, objetos, roupas utilizadas pelos integrantes. Sebastião Marcolino nasceu em 1933 Minas Gerais. Foi marceneiro de profissão. A dedicação às bandeiras da Folia de Reis começou aos oito anos de idade, quando vivia em Conceição do Rio Verde, acompanhando seu pai, José Marcolino.   Museu do Folclore de SJC Av. Olivo Gomes, 100 – Santana (Parque da Cidade) (12) 3924-7318 / (12) 3924-7354 – www.museudofolclore.org
Um projeto cultural desenvolvido por músicos de São José dos Campos está ajudando a contar a trajetória do Choro na cidade. "Cronologia do Choro Joseense", iniciativa dos coletivos de música Conversa Afiada e Conversa de Cordas, levará para os palcos, a partir desta sexta-feira, dia 6 de dezembro, uma série de espetáculos que têm como base composições de chorões da cidade, abarcando as gerações nascidas entre 1920 e 1989. O projeto terá fará dez shows gratuitos em espaços da cidade, o primeiro sendo nesta sexta-feira, no Espaço Cultural Colinas (Av. São João - Jd Colinas - Shopping Colinas - Livraria), a partir das 19h. O objetivo é mostrar para o grande público a importância do trabalho de mestres do choro joseense a partir da década de 1940. O violonista e ex-prefeito Elmano Veloso, os bandolinistas João Silva e Jorge Israel e o maestro, saxofonista e clarinetista José Antônio Cunha, fundador do Clube do Choro Pixinguinha, são alguns dos homenageados, ao lado de nomes da nova geração, como o bandolinista e cavaquinista José Marcos Manoel e o flautista Everton Campos. Segundo o músico Luiz Paulo Muricy, as composições dos grupos da velha guarda do choro eram transmitidas de forma oral para as novas gerações, existindo poucos registros em partitura das composições desses artistas. Para montar o repertório dos shows, os grupos precisaram "garimpar" essas composições, resgatando gravações e antigos áudios e transcrevendo o conteúdo. Agora, por meio do projeto, as partituras resultantes da pesquisa serão disponibilizadas na internet para consultas. Através do projeto, os arranjos para os espetáculos foram elaborados para a formação tradicional dos conjuntos regionais de choro, reunindo instrumentos como cavaquinho, pandeiro, bandolim, violão e flauta. Um painel com fotos sobre o movimento do choro na cidade acompanhará os espetáculos. A ideia é criar uma espécie de linha do tempo, desde o início do século 20 até os dias atuais..  
O "girl power" nunca esteve tão presente em uma Comic Con Experience. O evento que tem início nesta quinta-feira em São Paulo, traz uma série de atrações voltadas exclusivamente para filmes que têm mulheres como protagonistas. Servindo de vitrine para o que será 2020 para a cultura pop no Brasil e no mundo, o evento destaca cada vez mais a presença de personagens femininas não só como coadjuvantes, mas como donas de suas próprias histórias. No próximo ano, o bem sucedido filme da Mulher-Maravilha ganha sua sequência. A DC Comics e a Warner também fazem uma nova aposta ao trazer para as telonas um filme com uma equipe inteiramente feminina, o Aves de Rapina. Lideradas pela já experiente Margot Robbie, que faz um trabalho majestoso ao interpretar a Arlequina, as novas heroínas entram para o time dos grandes da DC. As protagonistas de ambos os filmes tem presença marcada na feira. A atriz Gal Gadot, que interpreta a Mulher Maravilha estará em um painel do Auditório Cinemark XD no domingo. Os fãs também poderão ver o primeiro trailer do longa do filme "Mulher-Maravilha 1984, previsto para chegar aos cinemas em junho do próximo ano. Margot Robbie, que no cinema dá vida à personagem Arlequina, vai se juntar à Cassandra Cain, interpretadapor Ella Jay Basco, e as Aves de Rapina - Mary Elizabeth Winstead (Caçadora), Jurnee SmolletBell (Canário Negro) e Rosie Perez (Renee Montoya) - para um painel sobre o longa "Aves de Rapina (Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa)", que tem previsão para ser lançado em 2021. O encontro, que acontece na quinta-feira, ainda contará com diretora Cathy Yan. Os fãs que aguardam ansiosamente o capítulo mais recente da saga Star Wars, que estreia no final de dezembro, poderão se encontrar com o diretor e o elenco do filme. JJ Abrams e a produtora Kathleen Kennedy se juntarão a Daisy Ridley (Rey) John Boyega (Finn) e Oscar Isaac (Poe Dameron) para um painel sobre a produção. "A noção de ter uma mulher no centro da história foi sempre algo atraente e excitante para mim. E não apenas o centro. Nós sabíamos que, além da Leia ser uma peça crítica deste quebra-cabeça, nós queríamos ter outras mulheres como personagens da história", afirmou o diretor em entrevista sobre o filme. A personagem mais célebre dos quadrinhos brasileiros também vai marcar presença na CCXP. Mônica e seu "Mônicaverso" terão um painel especial na feira, com direito a encontro de cosplayers da "dentucinha" e novidades para 2020. TESTE. Para analisar a forma em que mulheres são retratadas na mídia, foi criado o Teste de Bechdel, que possui uma série de métodos para identificar a participação de personagens femininas em filmes, séries, quadrinhos e livros. Ele segue pontos simples: se a obra tem mais de duas mulheres, se elas conversam entre si e se a conversa não seja sobre algo que não seja um homem. O filme "Homem-Aranha: Longe de Casa", que apresenta poucas personagens femininas ao público, não passou pelo teste. Já "Vingadores: Ultimato" foi aprovado, com participações importantes de personagens femininas da franquia da Marvel. MERCADO. A tendência em dar destaque a personagens femininas tem acompanhado o público. De acordo com a organização da CCXP, em 2018, 45% do público da feira foi feminino. Contando com o fator idade, as mulheres até os 25 anos foram maioria em comparação com o sexo oposto. Os ingressos para a CCXP para este ano já esgotaram, mas os conteúdos da feira, que acontece na São Paulo Expo até domingo, poderão ser vistos nas redes sociais e no site do jornal OVALE. .
O Planta & Raiz, banda paulistana, começou tocando covers de Bob Marley no litoral paulista. Foram 21 anos para se tornarem dos maiores nomes do reggae nacional. A comemoração não poderia ser diferente: a banda saiu em turnê neste ano do último álbum lançando, em 2017. "Vinte e um anos não são vinte e um dias. É muito bom a gente poder fazer o que ama, viver disso, aprender com as dificuldades, celebrar os momentos de vitória", conta Zeider, vocal do Planta & Raiz, em entrevista a OVALE. Além dos palcos, os integrantes Zeider Pires (voz), Franja e Fernandinho (guitarra), Samambaia (baixo) e Juliano (bateria) também entraram em estúdio para dar presentes aos fãs, trazendo singles inéditos. "Tem mais um para ser lançado neste mês, outros para o começo do ano que vem. Quando todos estiverem lançados, queremos fazer uma copilação em um novo disco", afirma o vocal. Os planos para 2020 não acabam: a banda também vai lançar um disco acústico próximo ano. "Já estamos ensaiando com as violas. As canções serão mais próximas de como elas vieram ao mundo, de um jeito mais 'desplugado'", continua o cantor. Zeider disse que a banda está pensando em convidados para o disco, mas ainda não há nada definido. "Tenho certeza que esse será um dos melhores álbuns de 2020 para quem gosta de reggae", completa. Donos de hits atemporais como "Com Certeza", "Aquele Lugar", "Gueto do Universo/Dias de luta, dias de glória", com participação especial de Chorão, ex-vocalista do Charlie Brown Jr, a banda passou por 15 estados, mais de 100 cidades e levou cerca de 300 mil pessoas aos shows. SERVIÇO. O Planta & Raiz vai se apresentar na Festa Zamba, neste sábado, dia 7 de dezembro, em São José dos Campos. A festa vai acontecer no Clube de Campo Santa Rita (Av. Lineu de Moura, S/N 20 - Urbanova). O valor dos ingressos varia entre R$ 25 e R$ 40. Durante o evento, que começa às 15h, também haverá show da banda Zamba, dos joseenses do Filhos do Mundo, além de exposição de arte, flash tattoo e live painting com artistas..
A Galeria Victor Hugo, de São José dos Campos, vai marcar presença em Miami, Flórida, nos Estados Unidos, em dezembro, quando acontece uma semana de arte na cidade, incluindo a Art Basel Miami de 5 a 9 de dezembro, a maior feira de arte do mundo, com duração de quatro dias, movimentando o mundo das artes. “Fomos outros anos mas não como convidados, só para frequentar mesmo. Esse ano fomos convidados para ajudar Art Designer Gallery no evento e levar artistas brasileiros para expor seus trabalhos”, afirmou o galerista Victor Hugo Rosa. Junto a esse evento, acontecem várias outras exposições de arte, inclusive a que a Galeria de São José está participando e ajudando a galeria local Art Designer Gallery, e que começa no dia 4, um dia antes da abertura da maior feira do mundo. Um desses eventos, no qual participa a galeria de São José dos Campos, vai durar 40 dias. “Vai virar o ano. A exposição dos artistas vai ser grande. É a primeira de muitas e queremos ter mais artistas envolvidos para o ano que vem. É um trabalho que a gente está fazendo agora, fazendo uma rede de relacionamentos internacionais”, diz o galerista. Guataçara Monteiro e Alemão Art são os dois artistas que a Galeria Victor Hugo vai levar aos Estados Unidos para expor as suas obras. Ele também indicou outros dez artista para o evento. “Movimenta o mundo das artes, vem galerias do mundo inteiro. É o evento principal e, através desse, acabam acontecendo vários eventos de arte em Miami. É uma excelente oportunidade para os artistas evoluírem tecnicamente e fazerem novos contatos”, disse Hugo.
A Virada SP invadiu São José dos Campos com muita música. São 24 horas de atrações em 23 espaços espalhados pela cidade neste fim de semana. Com todos os gêneros musicais presentes no evento, as crianças também não vão ficar de fora. O Parque Vicentina Aranha, localizado na região central da cidade, recebe, entre outros grupos e artistas musicais, o Mundo Bita, que faz sucesso entre os pequenos, levantando questões como igualdade, preservação da natureza e inclusão de deficientes físicos. Com mais de 2 bilhões de views em seus vídeos e 500 mil seguidores nas redes sociais, o grupo se apresenta às 10h30. A programação no parque começa às 9h30 do domingo, se encerrando às 17h10 com a Cia Jovem de Dança de São José dos Campos. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DESTE DOMINGO: PALCO PARQUE DA CIDADE 7h30 Mawaca 10h30 Chandra Lacombe 13h00 Melim 15h30 Rael 18h00 Paulinho da Viola PALCO ARQUIVO (Av. Olivo Gomes, 100 - Santana) 9h00 Marcus Santuys + Emílio Martins + Sangha Indian Groove 12h00 Elzs (Australia) 14h30 Curumim canta Stevie Wonder 17h00 Ceumar PRAÇA AFONSO PENA 16h00 Nervosa 18h00 Attomica Igreja São Benedito (Praça Afonso Pena, 267 - Centro 19h - 6h Projeção mapeada Cine Teatro Benedito Alves (R. Rui Dória, 935 - Centro) 15h00 Sollo Duo 17h00 Lud Mazucatti Museu Arte Sacra / Mercado Municipal (Travessa Chico Luiz, 67 - Centro) 11h00 Banda Estrambelhados de Sào Luiz do Paraitinga (cortejo) Cine Santana (Av. Rui Barbosa, 2005 - Santana 00h00 - 18h00 Mostra especial de cinema - In-Edit - Documentários Musicais
Destaque do tradicional Carnaval de São Luiz do Paraitinga, o grupo Estrambelhados faz uma apresentação especial neste domingo em São José dos Campos. A banda fará um cortejo a partir das 11h no Mercado Municipal, próximo ao Museu de Arte Sacra. Conhecidos pela irreverência e pela interpretação de dezenas de marchinhas famosas do principal carnaval da região, os Estrambelhados também devem apresentar músicas autorais do novo disco, lançado no mês passado. O grupo, que tem mais de 10 anos de estrada, ganhou fama no Carnaval de São Luiz e desde então faz diversas apresentações por todo o estado de São Paulo. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DESTE DOMINGO: PALCO PARQUE DA CIDADE  7h30 Mawaca 10h30 Chandra Lacombe 13h00 Melim 15h30 Rael 18h00 Paulinho da Viola PALCO ARQUIVO (Av. Olivo Gomes, 100 - Santana)  9h00 Marcus Santuys + Emílio Martins + Sangha Indian Groove 12h00 Elzs (Australia) 14h30 Curumim canta Stevie Wonder 17h00 Ceumar PRAÇA AFONSO PENA 16h00 Nervosa 18h00 Attomica Igreja São Benedito (Praça Afonso Pena, 267 - Centro 19h - 6h Projeção mapeada  Cine Teatro Benedito Alves (R. Rui Dória, 935 - Centro) 15h00 Sollo Duo 17h00 Lud Mazucatti Museu Arte Sacra / Mercado Municipal (Travessa Chico Luiz, 67 - Centro) 11h00 Banda Estrambelhados de Sào Luiz do Paraitinga (cortejo) Cine Santana (Av. Rui Barbosa, 2005 - Santana 00h00 - 18h00 Mostra especial de cinema - In-Edit - Documentários Musicais