Logo Jornal OVALE

notícias

Uma verdadeira protagonista nunca deixa de roubar os holofotes. Depois de ficar por trás das cortinas, a atriz Regina Duarte, a eterna 'namoradinha do Brasil', estrela a peça "Volta ao Lar", que terá uma apresentação única em Jacareí neste sábado. A obra é dirigida, montada e protagonizada por Regina, que assumiu o papel depois que Alessandra Negrini precisou deixar o papel. O espetáculo "Volta ao Lar" é uma adaptação do dramaturgo Harold Pinter, ganhador do Prêmio Nobel em 2005. A peça coloca em cena uma família inglesa órfã de mãe, formada por irmãos marcados pelo patriarcado bruto. Carentes de uma presença feminina, estes homens tem alterações impensáveis em suas vidas quando Ruth, a personagem de Regina Duarte, entra para a família. "Nas primeiras montagens, o texto foi considerado machista por alguns críticos. A proposta desta encenação é que o público faça sua própria avaliação", disse Regina Duarte, em entrevista exclusiva a OVALE. Ao adaptar a peça de Pinter, a atriz cortou trechos do texto original, longo demais para as plateias contemporâneas. Alguns momentos da peça também foram adaptados para uma protagonista mais velha e experiente. "É um texto extremamente adequado aos dias de hoje. Através de provocações, a plateia pode se ver criticamente", afirmou a atriz. POLÍTICA. A peça foi encenada inicialmente em 1967 pela atriz Fernanda Montenegro, e chegou a sofrer censura pelo seu conteúdo transgressor, considerado inadequado durante a ditadura militar. Regina Duarte foi grande apoiadora de Jair Bolsonaro (PLS) durante as eleições. No último mês, o presidente deixou claro seu posicionamento favorável ao Golpe Militar de 1964. Durante a entrevista, a atriz preferiu não abordar nenhum assunto político. Para Regina, a obra é um agradecimento ao público que a acompanha há tanto tempo. Depois de uma temporada de imersão em "Volta ao Lar", Regina só consegue pensar em férias, mas, é claro que os holofotes não ficaram longe dela, seja em polêmicas envolvendo política ou na televisão. "Logo, logo vou estar me colocando disponível para um novo projeto na TV, no cinema ou mesmo dirigindo Afinal, tem sido assim desde 1961. Pode me chamar de 'adicta'", brincou a atriz. SERVIÇO "Volta ao Lar" - Data: 20 de abril, 20h - Local: Sala Ariano Suassuna, EducaMais Jacareí - Endereço: Avenida Engenheiro Davi Monteiro Lino, 595 - Classificação: 14 anos - Ingresoss: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia e Clube OVALE)
A comemoração dos 95 anos do Parque Vicentina Aranha, em São José dos Campos, só começa a partir da próxima semana, mas o parque já começou o esquenta para essa festa. Neste domingo, quem passa por lá para dar os parabéns antecipado é o músico Chico Salem, parceiro musical de Arnaldo Antunes, ex-titã. O show, que acontece no Bambuzal do parque a partir das 10h30, traz uma versão intimista do primeiro disco de Chico, chamado "01" e do seu segundo, "Maior ou Igual a Dois". Chico fará uma apresentação leve, com canções de seus dois discos e algumas versões de canções que fazem parte de seu "baú de referências musicais", que é bastante vasto. Afinal, além de Arnaldo Antunes, Chico já colaborou com Zeca Baleiro, Marcelo Jeneci, Karina Buhr e outros nomes da música brasileira. MODA. Também no domingo, quem visitar o parque poderá participar de uma feira de troca de roupas e acessórios. O "Troca no Parque" contará com a presença de Mara Débora, autora do livro "Estilo Sustentável". Ela falará com os particicipantes sobre Fashion Revolution, movimento global que reivindica a reforma da indústria da moda para utilização de meios sustentáveis. No evento, os participantes poderão dar uma destinação correta para as roupas que não quer mais usar: customização, doação para costureiras que se utilizam desta matéria prima ou criação uma nova peça (técnica chamada 'upcycling'). A ação sustentável acontece no mesmo horário da tradicional Feira de Artesanato do Parque Vicentina Aranha, que acontece todo domingo..  
O terceiro filme da franquia "De Pernas pro Ar" chega às telonas prometendo que a terceira vez é sempre melhor. Ingrid Guimarães, que estrela a franquia, sabe bem disso. O filme brasileiro fez sua estreia na semana passada e já lidera a bilheteria de produções brasileiras em 2019. Na trama, a personagem Alice está em busca de sossego depois do estrondoso sucesso de sua sex shop. Neste filme, a empresa se expande ainda mais e chega até Paris, na França.Cansada da rotina corrida de trabalho, ela decide focar sua atenção em seu marido e seus dois filhos.É claro que não será tão fácil deixar seu negócio. Uma nova competidora na indústria dos brinquedos adultos surge e ainda por cima, dentro de sua casa, como namorada de seu filho.Alice é apresentada às modernidades do mercado do sexo, incluindo um simulador de realidade alternativa, com rosto, forma e corpo do ator Cauã Reymond. Ele protagonizou momentos quentes com a atriz em uma das cenas que pode ser vista no trailer do filme."A ideia foi minha. Queria que fosse um ator que estivesse no inconsciente coletivo das mulheres, queria um símbolo do homem bonito e sexy. A cena foi dificílima de fazer", brincou Ingrid, durante uma entrevista coletiva.De acordo com ela, o franquia, que foi lançada há nove anos atrás, teve que se reinventar para os tempos atuais."Conseguimos evoluir muito. É um filme ainda muito atual. Colocamos questões muito importantes, trouxemos a juventude, como o jovem lida com o sexo", afirmou.A franquia começou abordando tabus do sexo, teve que inovar e pesquisar novos métodos do mercado do prazer, como uma boneca sexual. "No primeiro filme a gente falava de uso de vibrador e era um tabu. Agora toda a mulher usa um vibrador", disse Ingrid..
O inverno está aqui e, para aqueles que gostam de frio, é melhor aproveitar antes que a temporada termine. O início do fim de Game Of Thrones, série da HBO, aconteceu neste domingo, com a estreia da sua oitava e última temporada. O episódio "Winterfell" bateu o recorde de audiência nos Estados Unidos, desde seu início em 2012, com 16,9 milhões de espectadores no total. Além de roubar os olhares no canal de TV paga e serviço de streaming, Game Of Thrones não escapou dos dedos nervosos que comentaram, curtiram e compartilharam sobre a série nas redes sociais. Depois de esperar dois anos pelo retorno da série, aqueles que decidiram escapar dos spoilers, tiveram que se exilar das redes sociais durante os 54 minutos de exibição do episódio. Foram registrados 866 mil tweets sobre a série durante o dia de estreia. O pico de tweets aconteceu logo após o fim da transmissão, às 23h. O segundo horário mais movimentado durante a exibição, entre 22h e 23h, com comentários recheados repletos de apostas de que personagem poderia ser a próxima vítima dos roteiristas da série. A introdução para o final da série agradou: vários personagens da obra se reencontraram após anos separados. A mãe dos dragões, Daenerys Targaryen, interpretada por Emilia Clarke, foi a mais citada na rede social. O fim definitivo de Game Of Thrones, que é uma adaptação dos livros do autor George R.R. Martin, está programado para o dia 19 de maio. EVENTO. Assistir a estreia da temporada no domingo foi uma boa desculpa para reunir os amigos em casa ou até mesmo em bares da cidade. Da mesma maneira que estabelecimentos fazem a exibição de finais de campeonato, alguns fãs em São José dos Campos puderam torcer pela sua casa favorita tomando um drink bem gelado. O bar e escola de inglês Outside The Box organizou neste domingo uma transmissão especial na estreia do episódio. Além de acompanhar o episódio ao lado de amigos, o bar oferece em seu cardápio um drink e um hamburguer inspirado nos White Walkers, criaturas da série. O bar, que teve sua lotação máxima esgotada durante a exibição, tem até um trono de ferro inspirado na série para bater fotos. O entretenimento durante a exibição também acaba virando aprendizado, já que o episódio é transmitido em inglês com legendas em português. "Nossos alunos estudam através das séries e filmes. Nós ensinamos a eles reterem informações através dessas obras", afirmou Tiago Reis, proprietário do bar escola. SERVIÇO. Outside The Box Bar e escola de inglês Av. Rio Branco, 651 - Jd. Esplanada..
Quem circula pelo bairro Jardim Oriente, na zona sul de São José dos Campos, já circulou por Tókio, Hiroshima e Osaka. Cada rua do bairro é uma homenagem a uma província do Japão: um toque nostálgico de seus primeiros habitantes, que, em sua maioria, se instalaram no bairro para ser mão de obra para a primeira fábrica japonesa instalada em São José: a Kanebo. A empresa têxtil se instalou no Brasil em 1956 e escolheu São José para fixar suas raízes: conhecida pela sua credibilidade e produção pioneira, a Kanebo foi destaque de desempenho no setor durante anos. A exposição Memorial da Kanebo do Brasil, que está instalada no Shopping Jardim Oriente, conta a história dos 53 anos de atuação da empresa japonesa na cidade de São José. A atividade principal em São José era a produção de fios de algodão e de poliéster/algodão, mas a fábrica já produziu também fios de seda e de viscose. Esses fios têxteis serviam de matéria-prima para as principais malharias e tecelagens do país, sendo aplicados nos diversos produtos, tais como camisetas, uniformes e vestuários em geral. HISTÓRIA. Fotos, vídeos, linha do tempo e depoimento de ex-diretores ajudam a contar a narrativa não só da indústria, mas dos trabalhadores que passaram por ela. No auge, a empresa, que começou operando com 190 funcionários, chegou a contar com aproximadamente 1.300 funcionários na cidade. Todo o acervo foi reunido por ex-funcionários da empresa, que preservaram materiais inéditos ao público. Sediada pelo grupo Shibata, também de origem nipônica, a exposição ganhou os olhares nostálgicos de quem viveu diversas épocas da fábrica. Juliana Kobayashi, de 42 anos, trabalhou na Kanebo na sua última década. Ela acredita que a exposição, que acontece no shopping que abrigada um antigo pavilhão da fábrica, não poderia ser feita em lugar mais adequado. "Aqui estão preservados os valores e temos uma valorização muito grande da história do local. Foi um gesto generoso dar voz a essa história. A repercussão tem sido positiva. A pessoas vem aqui para ver as fotos, matar a saudade", conta Juliana. Em um dos painéis expostos, é possível comparar as fotos aéreas da década de 1960 e de 2006 e ver o crescimento da região no entorno da fábrica. O Jardim Oriente já era habitado por japoneses que possuiam granjas na região. Quando os funcionários da Kanebo chegaram, o bairro tornou-se um verdadeiro reduto da colônia japonesa em São José, que, de acordo com o Censo Demográfico de 2010, tem cerca de 800 membros, a nacionalidade mais numerosa da cidade. SERVIÇO. Memorial Kanebo do Brasil Segunda a Sábado das 8h às 22h / Domingos e Feriados das 8h às 20h. Shopping Jardim Oriente - Rua Andorra, 500, Jd. América..  
"Tudo é loucura ou sonho no começo", já dizia Monteiro Lobato. Imagine se cartas do autor, originalmente destinadas ao escritor Godofredo Rangel, no século passado, tivessem sido extraviadas e caíssem hoje, em pleno 2019, nas mãos de moradores do Vale do Paraíba? Parece loucura, não é? Mas eis que ocorreu. Ou quase! Numa ação realizada pelo "Almanaque Urupês" - em parceria com o shopping Taubaté e o projeto "Cartas Perdidas" -, jornalistas, escritores, produtores, cientistas e músicos, entre outras personalidades da RMVale, receberam cartas de Lobato e foram convidadas a respondê-las. "O Lobato tem um pensamento absolutamente contemporâneo. Suas correspondências falam de temas atuais. E isso encontra ressonância em assuntos que pensadores da região abordam no cotidiano", disse o historiador e designer Angelo Rubim, editor do "Almanaque Urupês", um dos idealizadores do projeto. Entre os que receberam as cartas estão a escritora Rita Elisa Seda, biógrafa de Dom Raymundo Damasceno Assis e Cora Coralina e Nhá Chica; o jornalista Guilhermo Codazzi, editor-chefe de OVALE; e o cantor Renato Teixeira, autor da clássica "Romaria". "São pessoas que têm uma relevância intelectual na região inquestionável", disse Rubim. "Por Lobato ser contemporâneo, e falar de temas universais, as pessoas conseguem estabelecer com ele uma conversa atual. E os escolhidos têm muito a dizer para o escritor". Projeto. Após a escolha dos participantes, as cartas de Lobato tiveram seu remetente retirados e substituídos pelos seus nomes. O texto foi enviado em seu estado praticamente original, com poucas edições. Mas, afinal, o que diria Lobato se recebesse as respostas atuais às suas antigas cartas? "Creio que a gente consiga encontrar respostas para as argumentações que lhe foram apresentadas", cravou o pesquisador. As cartas (enviadas e respondidas) começam a ser publicadas amanhã em um hotsite cujo link estará presente do site do "Almanaque" (almanaqueurupes.com.br). Numa segunda etapa do projeto, missivas do autor serão entregues a pessoas nas ruas e no shopping. Aqueles que encontrá-las e estiverem interessados em respondê-las, poderão retornar ao autor por meio de um e-mail presente no documento."Acredito que muitos vão responder, devido o impacto que Lobato tem na sociedade". Festa. Ambas ações fazem parte da Semana Monteiro Lobato, que começa nesta terça-feira (16) e segue até o dia 21 de abril, em Taubaté. O evento tem o objetivo de apresentar o escritor às novas gerações, além de homenageá-lo. O evento ocorre no shopping Taubaté (av. Charles Schnneider, 1700, Vila Costa). A programação completa está também no site do Almanaque Urupês. Todas as atividades têm entrada gratuita..