notícias

Uma empresa com sede no Vale do Paraíba desenvolveu um 'capacete de respiração' que deve ajudar a evitar a intubação de pacientes com Covid-19. O equipamento já obteve a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e, na região, já tem sido utilizado em pacientes nos Hospitais Regionais de Caraguatatuba, São José dos Campos e Taubaté. De acordo com a Agile Med, o equipamento batizado de '7 Lives Helmet' é um capacete estruturado, em sua maioria, com PVC atóxico e silicone, que permitem uma ventilação mecânica não invasiva a pacientes infectados pelo vírus. Ele pode ser acoplado a ventiladores mecânicos ou então, na rede de gases própria do hospital, dispensando o uso do ventilador pulmonar. Apesar de ser uma novidade no tratamento da Covid-19, o capacete já é utilizado em diversos países desde 1990, quando foi publicado o primeiro ensaio de resultados do equipamento. A partir disso, profissionais de todo o mundo se dedicam a aprimorar e colaborar para obter maiores chances de tratar pacientes que necessitam de respiração mecânica, sem que ela se torne invasiva. "Eles já foram submetidos a vários experimentos e situações clínicas que mostraram maior conforto e melhora da tolerabilidade dos pacientes, quando comparado à máscara facial, por exemplo”, explicou o fisioterapeuta Renato Abreu, diretor da Agile Med. "Agora que já temos a aprovação da Anvisa, queremos que mais pessoas tenham acesso a esse tipo de tratamento, que, além de ser mais confortável, apresenta resultados mais efetivos em pacientes no mundo todo", acrescentou.
O governo do Estado de SP liberou nessa segunda-feira (19) mais 700 mil doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, ao Ministério da Saúde. Ao todo, já foram entregues 41,4 milhões de doses do imunizante para o PNI (Programa Nacional de Imunizações). O Instituto Butantan recebeu também nesta segunda-feira uma nova remessa de IA (Insumo Farmacêutico Ativo) para a produção de novas doses da vacina contra o coronavírus. Ao todo foram recebidos três mil litros para a produção de cinco milhões de doses da Coronavac. Um segundo carregamento deverá chegar ainda em abril, com mais três mil litros, totalizando 10 milhões de doses em IFA. "Hoje pela manhã fomos receber no Aeroporto Internacional de Guarulhos mais 3 mil litros de insumos para a vacina do Butantan, que corresponde a 5 milhões de doses. Portanto, o Governo do Estado de SP e o Butantan alcançarão 46,4 milhões de doses, atendendo a primeira etapa do contrato com o Ministério da Saúde. Até ultrapassando em 400 mil doses a nova etapa do contrato, de 54 milhões de doses", afirmou o governador, João Doria (PSDB). Somente em abril, o Instituto Butantan entregou 5,2 milhões de doses da vacina. Em março foram disponibilizadas 22,7 milhões. Em fevereiro, 4,85 milhões e, em janeiro, 8,7 milhões de unidades. O Butantan ainda trabalha para entregar outras 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até o dia 30 de agosto, totalizando 100 milhões de unidades. Atualmente, mais de 80% das vacinas disponíveis no país contra a Covid-19 são do Butantan.  
Os funcionários da fábrica da LG em Taubaté encerraram a greve na manhã desta segunda-feira e retornaram ao trabalho. Uma proposta de conciliação de greve foi votada e aprovada durante assembleia na portaria principal da fábrica na manhã desta segunda-feira (19). A proposta de conciliação foi construída em uma audiência do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), realizada nesta sexta-feira (17). A sessão foi realizada por videoconferência. A proposta estabelece cinco pontos, entre eles a retomada das negociações entre o Sindmetau (Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região) e a LG. De acordo com a proposta a provada, a empresa pagará os dias de greve; haverá retomada da negociação entre Sindicato e LG, partindo da última proposta apresentada em assembleia; vai haver o estabelecimento de um calendário de negociação entre Sindicato e empresa, de 19 a 23 de abril; sugestão do TRT de uma reunião ampliada, com participação de Sindicato, LG, Ministério Público do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho, Legislativo Municipal e Estadual, Executivo Municipal e Estadual para discutir a possibilidade da permanência do IT (monitores e notebooks) em Taubaté. Diante do cenário de incertezas, em 26 de março, os trabalhadores aprovaram o estado de greve. No dia 5 de abril, a fabricante sul-coreana disparou um comunicado onde informava o encerramento global da divisão de celulares, alegando que a área acumulava um prejuízo de 4,1 bilhões de dólares. Cerca de 700 empregos estão ameaçados pelo encerramento da produção de celulares e pela transferência da linha de notebooks e monitores de Taubaté para Manaus.