notícias

O Vôlei Taubaté venceu mais uma pela Superliga Masculina da modalidade, nesta quarta-feira. Jogando fora de casa, os taubateanos bateram o  Maringá Vôlei por 3 sets a 1 (parciais de 25/19, 25/20, 22/25 e 25/18). O jogo foi válido pela 17ª rodada e foi antecipado. Com mais esta vitória, a 11ª em 14 jogos disputados, o time da região chega aos 35 pontos ganhos e se iguala ao Cruzeiro na liderança da Superliga Masculina. O time mineiro tem um jogo a menos e fica em primeiro pelos critérios de desempate. Em quadra, o Tabaté começou com Rapha, Lipe, Douglas Souza, Lucão, Riad, Mohamed e Thales como líbero. Entraram ao longo da partida Carísio, Renan Bonora, Vissotto, Petrus e Lucarelli. Após o jogo, o técnico Renan avaliou de forma bem positiva mais esta vitória taubateana. “Foi uma vitória importante, já que esse 3 a 1 nos dá mais três pontos. Jogar aqui em Maringá não é fácil, e sabíamos das dificuldades já que eles fizeram um bom primeiro turno, terminando em 7º e impondo dificuldades a todos os adversários. Tentamos hoje dar algum respiro para alguns jogadores, deu tudo certo, saímos daqui com a missão cumprida, e agora é pensar na Copa Brasil e no duríssimo jogo que teremos na sexta-feira contra o SESI”, disse. Agora, o próximo compromisso do EMS Taubaté Funvic será pela Copa Brasil masculina. Nesta sexta-feira, pega o Sesi, às 21h30, pela semifinal do torneio que será realizado em Jaraguá do Sul-SC. Se vencer, joga a final no sábado, às 20h30, contra o vencedor do embate entre Cruzeiro e Sesc-RJ. Pela Superliga, o próximo jogo será no dia 31 de janeiro, contra o Vôlei Ribeirão, no ginásio do Abaeté.
O Taubaté estreou com empate por 1 a 1 nesta quarta-feira à noite fora de casa com o Audax Osasco, no estádio José Liberatti, na Grande São Paulo, pela rodada de abertura do Campeonato Paulista da Série A-2. O Burro da Central, comandado pelo técnico Ivan Izzo, levou um gol no primeiro tempo mas foi buscar a igualdade quando tinha um atleta a menos e comemorou o ponto conquistado. Agora, o time da região faz o primeiro jogo em casa no próximo sábado, quando recebe o Votuporanguense, a partir das 15h, no Joaquinzão. O próximo adversário perdeu em casa para o Juventus por 4 a 0 nesta quarta. Nesta quarta, o Burrão teve um primeiro tempo mais cauteloso, esperando o adversário chegar. Sem conseguir chegar com o perigo durante a maior parte do tempo, o time da região viu os donos da casa com mais volume na reta final do primeiro tempo. Aos 43min, o zagueiro Dogão, do Taubaté, cometeu pênalti. O árbitro assinalou e, na cobrança, Samoel cobrou no canto direito, forte, para abrir o placar: 1 a 0. No segundo tempo, o Taubaté foi para cima em busca do empate. Mas deixava espaço para os contra-ataques e, aos 15min, o zagueiro Maurício foi expulso, após cometer falta quando era o último homem da zaga. Com um a menos, o Taubaté ficou mais acuado e o Audax teve mais chances de ampliar. Porém, o Burrão não estava morto. Aos 28min, Marco Antônio, que entrou o segundo tempo no lugar do lesionado Denis Neves, cruzou e Ermínio completou para empatar a partida. Aos 38min, Samoel, autor do gol do time da casa, foi expulso após cometer falta violenta, deixando os dois times com dez a menos. A expulsão fez com que os taubateanos crescessem na reta final da partida. Porém, o placar ficou inalterado. FICHA TÉCNICA Osasco Audax: Jefferson; Samoel Pizzi, Marcelo Augusto, José Romário e Fabio; Azevedo, Kallyl, Pablo e Wesley Bolinha (Marcondelli); Danrley Marreta e Giovanni (Jeffinho) Técnico: Robélio Cavalinho Taubaté: Willian; Ynaiã, Maurício, Dogão e Denis Neves (Marcos Antonio); Elivelton, Boquita e Chumbinho; Ermínio (Maykinho), Rodriguinho (Rafael Castro) e Quirino Técnico: Ivan Izzo Gols: Samoel Pizzi ao 43 min do 1º T; Ermínio aos 28 min do 2º. Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo. Local: estádio municipal Prefeito José Liberati (Osasco). Cartões amarelos: Quirino, Ynaiã, Rafael Castro e Ermínio (T). Cartões vermelhos: Samoel Pizzi (A); Maurício (T)
É até difícil de acreditar. Após abrir 24 pontos de vantagem no primeiro tempo, o São José Basket, perdeu para o São Paulo por 99 a 97 nesta terça-feira à noite, no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos, pela 18ª rodada da primeira fase do NBB (Novo Basquete Brasil). Foi a nona derrota consecutiva do time comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú, que segue em penúltimo lugar no campeonato. O São Paulo, que conta com jogadores renomados, como Shamell, Jefferson e Murilo, buscou uma incrível reação no final e deixou o torcedor da casa decepcionado. Nesta terça, o São José desequilibrou principalmente com a grande atuação do dominicano Morillo, com 23 pontos. Mas o norte-americano Shamell estava mais inspirado, marcou 33 pontos e foi o cestinha do jogo. Georginho, com 14 pontos e 11 rebotes, ainda conseguiu um double-double (dois dígitos em dois fundamentos). Agora, o time da região volta a jogar na sexta-feira, quando visita o Rio Claro, a partir das 20h e tenta se recuperar. O JOGO. Nesta terça, os joseenses começaram o jogo 'com raiva'. Foram logo abrindo grande vantagem e simplesmente não deixavam o São Paulo jogar. Ainda no primeiro quarto, a diferença chegou aos 20 pontos. E terminou o período com 37 a 16 para o São José. No segundo quarto, o São Paulo tentou uma reação. Em determinado momento, chegou a reduzir par 15 pontos, mas o São José parecia disposto a vencer. E, com uma defesa sólida e ataque avassalador, foi abrindo vantagem. Ao término do primeiro tempo, a vantagem já era de 24 pontos: 62 a 38. No terceiro quarto, a situação mudou. E o São José, que dominou o primeiro tempo, caiu de rendimento de forma impressionante. O São Paulo reagiu, diminuiu a diferença que, em determinado momento, chegou a apenas cinco pontos, silenciando a torcida joseense. No final, o time da região ainda fechou o período com seis pontos de vantagem: 82 a 76. O último quarto foi tenso. Os joseenses chegaram a abrir 11 pontos, mas a vitória não estava garantida. E o São Paulo reagiu, diminuiu e deixou tudo indefinido de novo. O Tricolor empatou, o São José perdeu a bola do jogo com Mariani e, na sequência, os visitantes passaram à frente no placar pela primeira vez no jogo, a 2.3 segundos para o fim. No último ataque, Duda tentou cesta de três, acertou o aro e mais uma derrota foi consumada.
O São José acumulou sua oitava derrota consecutiva na edição 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil). Nesta sexta-feira, foi atropelado por 108 a 80 para o Bauru, 28 pontos de diferença, no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos, e momentaneamente caiu para o 15º e penúltimo lugar na classificação geral. Os joseenses seguem com apenas três vitórias na competição nacional e cada vez mais longe da classificação entre os 12 primeiros colocados que vão aos playoffs. O Bauru, concorrente direto, soma seis vitórias e se distanciou um pouco mais. O São José, comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú, havia vencido os bauruenses fora de casa no primeiro turno. Mas, no Caldeirão, não conseguiu repetir o desempenho. O time não sabe o que é uma vitória desde 20 de novembro, quando passou pelo lanterna Pato Basquete. O time da região volta a jogar na terça-feira, quando recebe o São Paulo, a partir das 19h, no Caldeirão. O JOGO. No primeiro quarto, o Bauru começou melhor, abriu boa vantagem e a defesa joseense, mais uma vez, deixava a desejar. A vantagem passou dos dez pontos em determinado momento. Nos minutos finais, ao menos, o São José reagiu e diminuiu para quatro pontos: 30 a 26. No segundo quarto, os joseenses chegaram a encostar no placar, diminuíram para um ponto em determinado momento, mas não conseguiram passar à frente, mesmo com uma inspirada atuação de Duda Machado, que no primeiro tempo marcou 18 pontos. O time foi para o intervalo três pontos atrás: 51 a 48. Depois do intervalo, porém, toda a reação do segundo quarto foi por água abaixo. Em mais uma atuação desastrosa em um terceiro quarto, o São José simplesmente levou 34 pontos do Bauru, que fechou o período com 19 pontos de vantagem. Os erros em sequência no ataque e na defesa fizeram com que os visitantes fechassem em 85 a 66, deixando a vitória mais bem encaminhada. No último quarto, o Bauru controlou o placar e ainda ampliou a vantagem. A apesar da derrota, Duda, do São José, foi o cestinha do jogo, com 22 pontos. No Bauru, com 17 pontos e 11 assistências, Faggiano dez um double-double (dois dígitos em dois fundamentos).
O São José completou a sétima derrota na temporada 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil). Na noite desta terça-feira, perdeu para o Corinthians por 103 a 92, no ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, pela primeira rodada do segundo turno. No primeiro jogo do ano, o time comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú voltou a cometer os velhos erros e bate o negativo recorde de sete derrotas seguidas, a pior sequência da história do time dentro da competição, desde 2008. Nesta noite, a atuação inspirada foi do ala Ricardo Fischer, do time alvinegro, com incríveis 31 pontos feitos. Ele, que foi campeão paulista em 2012 pelo São José, foi o cestinha da partida. O dominicano Morillo, com 21, foi o principal pontuador do time joseense. Com o resultado, o Corinthians segue em oitavo lugar, agora com 9 vitórias e 7 derrotas. Para o São José, foi a 13ª derrota no campeonato, com apenas 3 vitórias. Os joseenses seguem em 14º lugar, fora da zona de classificação para os playoffs entre os 12 primeiros. Agora, o time da região volta a jogar na sexta-feira, quando recebe o Bauru, a partir das 21h10, no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos. O JOGO. No primeiro quarto, a defesa joseense teve uma atuação muito ruim. Se por um lado Mariani foi eficiente no ataque, com 10 pontos e 100% de aproveitamento, na defesa o time foi mal e levou 34 pontos, com os corintianos fechando em 34 a 22. No segundo quarto, o São José conseguiu acertar a marcação e equilibrou o jogo. Teve até algumas jogadas rápidas e bem trabalhadas, mas não conseguia se aproximar do marcador. Venceu o período por 19 a 18, mais foi para o intervalo perdendo por 11 pontos de diferença: 52 a 41. No terceiro quarto, o São José ficou 16 pontos atrás em determinado momento, chegou a reduzir para apenas sete, mas não conseguiu mais do que isso. E o Corinthians novamente abriu 11 pontos no final do período: 78 a 67. Nos últimos dez minutos, os joseenses começaram com tudo e fizeram nove pontos seguidos, voltando a acreditar na vitória ao reduzir a desvantagem para dois pontos logo de cara. Porém, o time voltou a errar, não conseguiu manter o mesmo ritmo e logo o Corinthians ampliou de novo para 11 pontos.