notícias

Com referência a pontos famosos da cidade, o São José definiu as camisas que usará na temporada 2020, quando a Águia do Vale tentará o acesso na Série B do Campeonato Paulista, a quarta divisão. A Águia do Vale fará um evento nesta quarta-feira para anunciar os patrocinadores e dar o pontapé inicial para o ano que vem. O encontro será no Jardim Aquarius, no Spani Atacadista, que será o patrocinador master. DMCard e Farma Conde também estão confirmadas. Quanto às camisas, serão anunciados três modelos diferentes. A azul, que deve ser o uniforme principal da Águia na briga pelo acesso, trás na parte frontal detalhes com imagens a pontos de São José: o Parque Tecnológico, as palmeiras imperiais e a residência Olívio Gomes do Parque da Cidade, o Parque Vicentina Aranha, o Tori do Jardim Japonês e também o futuro Arco da Inovação. Já a camisa branca e a amarela, outras camisas alternativas, têm as cores predominantes com detalhes em azul. Todos os materiais são produzidos novamente pela RT Sports, que em 2020 produzirá para os dois principais times da região -- os arquirrivais São José e Taubaté. O novo presidente do São José, Celso Monteiro, eleito em outubro para os próximos três anos, já havia prometido a montagem de um elenco forte e competitivo para a próxima temporada, na tentativa de conquistar o acesso e tirar o time da última divisão do estado, na qual já está desde 2017, após o rebaixamento consumado em abril de 2016. Camisa São José branca modelo 2020 Camisa São José amarela modelo 2020
A longa novela envolvendo os casos de doping e manipulação de dados laboratorias no esporte russo teve um assertivo fim na manhã desta segunda-feira. A Wada, a Agência Mundial Antidoping, baniu o país de competições internacionais pelos próximos quatro anos. Os russos têm 21 dias para entrar com recurso contra a decisão. A sanção foi decidida de forma unânime por um comitê de executivos da agência, em reunião em Lausanne, na Suíça. Com isso, o país fica fora da Olimpíada de Tóquio, em 2020, e dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, em Pequim. Atletas russos que provarem a agência que estão limpos poderão competir sob bandeira neutra. A Wada concluiu que os russos alteraram dados laboratoriais sem autorização, plantaram evidências falsas e apagaram arquivos conclusivos a possíveis casos de doping. O escândalo começou em 2015, quando surgiram evidências de casos de doping em massa no esporte do país. A Agência Antidoping do país, a Rusada, foi suspensa naquele ano. Em 2018, a delegação do país — selecionada e convidada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) — desfilou e competiu já sob bandeira neutra nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang. Sede da última Copa do Mundo, a Rússia fica proibida de sediar eventos esportivos internacionais durante o período de punição. Seus dirigentes esportivos estão proibidos de frequentar tais eventos. Em caso de recurso, o julgamento será levado ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte).
O Palmeiras encerrou o Campeonato Brasileiro vencendo o Cruzeiro por 2 a 0 neste domingo, no Mineirão, pela última rodada. O resultado rebaixou os mineiros para a Série B do ano que vem, um fato inédito na história da equipe mineira. A partida, porém, foi encerrada aos 41min do segundo tempo por conta dos atos de vandalismo dos torcedores do Cruzeiro, que depredaram o estádio e atiraram cadeiras no gramado. O árbitro Marcelo de Lima Henrique entendeu que não havia mais segurança para continuar a partida. Alguns torcedores ainda tentaram invadir o gramado e foram contidos pelos policiais, que precisaram utilizar balas de borracha e bombas de efeito moral para dispersar os baderneiros. No telão, os administradores do estádio pediam para a torcida evacuar o local. No outro jogo que interessava ao Cruzeiro, o Botafogo empatou com o Ceará por 1 a 1, resultado que já seria suficiente para rebaixar os mineiros - para se salvar, o time de Minas teria que vencer o Palmeiras e torcer por derrota dos cearenses. O Palmeiras terminou o Brasileirão em terceiro lugar, atrás do Santos, que ficou com o vice ao golear o campeão antecipado Flamengo por 4 a 0 no mesmo horário, ambos com 74 pontos. O Cruzeiro, do técnico Adilson Batista, ficou com 36 pontos, na 17ª colocação do campeonato. Neste domingo, os dois gols da vitória do Palmeiras saíram no segundo tempo. Aos 11min, com Zé Rafael, e aos 37', com Dudu.
O técnico Fernando Cabral está de volta ao São José Futsal, após onze anos. O treinador foi anunciado neste sábado para o lugar de Flávio Cavalcanti, demitido durante a semana, após ficar no cargo durante a temporada 2019. Cabral estava no Ceará Futsal e vai comandar agora o time joseense na temporada 2020, quando vislumbra a volta aos bons tempos. Em 2008, Cabral assumiu o time que em 2007 havia conquistado sete títulos e havia passado toda a temporada invicta na histórica campanha do técnico Bruno Zuchinalli. E, mesmo assim, conseguiu manter o alto nível, faturando o bi estadual, quando derrotou o São Caetano na final. Naquele ano, ainda foi bicampeão metropolitano, além dos Jogos Abertos. Cabral também levou o São José ao vice-campeonato da Taça Brasil, quando os joseenses participaram de uma competição nacional pela primeira vez na história. Naquele ano, o time da região contava com craques no time como Leandro Simi, da Seleção Brasileira. Agora, em 2020, Fernando Cabral vai disputar o Campeonato Paulista Pênalti, a Liga Paulista e a Liga Nacional, além dos Jogos Abertos e Regionais. "Minha primeira passagem foi em 2008 e 2009 e, agora, em 2020 volto para comandar essa grande equipe. Estou com uma expectativa muito boa, já que sabemos do potencial e a estrutura que a entidade possui e só tenho a agradecer o convite em nome de toda a diretoria do São José Futsal. Estou muito feliz e vamos com tudo para fazer um ótimo trabalho em 2020", disse, através da assessoria de imprensa.
O São José perdeu mais uma no NBB (Novo Basquete Brasil). Nesta sexta-feira, recebeu o Minas Tênis Clube, no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos, e levou 109 a 93, pela 12ª rodada da primeira fase da competição, onde conseguiu fazer apenas um bom primeiro quarto, mas depois viu o adversário deslanchar. Com o resultado, o time da região, comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú, segue em antepenúltimo lugar entre os 16 times, com três vitórias e nove derrotas. Já o Minas está em nono lugar, dentro da zona de classificação entre os 12 primeiros colocados. O duelo desta noite foi o último de uma série de quatro partidas seguidas do São José diante da torcida. O balanço foi de apenas uma vitória e três derrotas. Agora, parte para quatro partidas como visitante. Agora, os joseenses voltam a jogar na outra segunda-feira, dia 16, contra o vice-líder Flamengo, no Rio de Janeiro, a partir das 20h. O primeiro quarto foi bastante movimentado, com bom aproveitamento ofensivo das equipes. O São José foi mais feliz nos arremessos de três pontos e abriu oito de vantagem: 31 a 23.  No segundo quarto, o Minas voltou disposto a reduzir a vantagem. E conseguiu em pouco mais de um minuto, diminuindo para dois pontos, chegando ao empate em seguida. Os mineiros passaram à frente do placar e comandaram o período. Assim, o São José foi para o intervalo em desvantagem de seis pontos: 54 a 48. Depois do intervalo, os joseenses voltaram apáticos. Não conseguiram reagir no terceiro quarto, tinham dificuldades em penetrar no garrafão e viram o Minas abrir 13 pontos de vantagem: 86 a 73. Nos últimos dez minutos, o São José novamente não teve forças. Até diminuiu para nove pontos em determinado momento, mas não conseguiu manter a reação. O experiente Alex Garcia, do Minas, foi o principal destaque do jogo. Aos 39 anos, ele ainda fez um double-double (dois dígitos em dois fundamentos), com 19 pontos e 12 assistências. Scott também fez 19 pontos para os mineiros. Rafa foi o principal cestinha do São José, com 17 pontos.
O Campeonato Paulista Off-Road 2019 está prestes a definir os campeões de mais uma temporada. Neste próximo sábado, pilotos e navegadores do rali de regularidade se encontrarão para disputar a sexta e última etapa do campeonato, em Taubaté. Segundo os organizadores, A expectativa é que 80 duplas estejam alinhadas neste grid, pelas categorias Super Máster, Graduados, Turismo, Turismo Light e Suzuki Off-Road. De acordo com o diretor geral do evento, Clayton Prado, a competição terá 115 quilômetros (com 88 quilômetros navegados) e 3 horas e 50 minutos de duração. “Preparamos um rali digno de final de campeonato, com uma prova dinâmica e médias de velocidade justas. Passaremos por uma área de plantação de eucaliptos, sendo o trecho final dentro da famosa pista da CBA. No geral, o terreno apresenta boas condições, com pedrisco e sem muitos obstáculos naturais”, contou Prado. “Também teremos diversos laços, para fazer valer a atenção e habilidade dos participantes e, acredito, que eles serão cruciais nesta definição do título”, completou. A concentração da etapa será no Hotel Ibis Styles Taubaté – onde estará a secretaria de prova, a partir das 16h desta sexta-feira. A largada do primeiro carro está prevista para às 9h do sábado. Atualmente, o Paulista Off-Road  atrai equipes até do Rio Grande do Sul, como irmãos Marcos e Marcelo Bortoluz; de Santa Catarina, a exemplo do navegador Luiz Roberto Spessato; do Mato Grosso, como piloto José Carlos da Silva; além do Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro, com tantos outros nomes de peso do esporte. “É motivo de orgulho para nós observamos a história que o Paulista Off-Road foi capaz de construir. São anos de trabalho árduo, para fazer este evento crescer. Hoje, percebemos a importância que o Paulista tem para os competidores, que não medem esforços para disputar nossos pódios. Portanto, queremos encerrar mais este ano, com chave de ouro”, salientou Prado.