Logo Jornal OVALE

notícias

O Taubaté anunciou no início da tarde desta quarta-feira uma mudança em sua comissão. O técnico Ivan Izzo, que segundo a diretoria já estava contratado mas ainda não havia sido anunciado, assume o comando da equipe no lugar de Fábio Gomes, técnico prata-da-casa e esteve à beira do gramado na estreia da Copa Paulista, no último domingo. Ivan, que chega com contrato até o fim da Série A2 do Campeonato Paulista do ano que vem, assume o Burro da Central nesta quarta-feira. Fábio Gomes volta a ser técnico do Sub20, em uma situação que, de acordo com o clube, já estava prevista. Então auxiliar de Fábio, Harley Dias deixa o time da região. Ivan chega ao Joaquinzão credenciado por ter trabalhado ao lado de Carlos Arini, o Carlito, Executivo de Futebol e homem-forte do atual projeto taubateano. Ambos foram campeões da Copa Paulista em 2014 pelo Santo André, e Ivan foi, como treinador, campeão da Copa Paulista, e foi auxiliar de times como Figueirense-SC, Fortaleza-CE, Cruzeiro-MG, Coritiba-PR, Vasco-RJ, Santos, Atlético-MG, Internacional-RS, Flamengo-RJ e Sport-PE. "Estou muito feliz de participar desse projeto, que começa agora nessa Copa Paulista e tem também como grande objetivo o acesso para a Série A-1 no ano que vem. Felizmente, na minha carreira como atleta e em comissões, sempre participei de clubes com objetivos grandes, times vencedores", disse o novo treinador do Taubaté. A apresentação acontece nesta quarta-feira, às 9h, no estádio Joaquinzão. No domingo, o clube estreou com derrota na Copa Paulista, ao perder em casa para o Nacional por 1 a 0.
O Taubaté tropeçou na estreia da Copa Paulista. Neste domingo, perdeu em casa para o Nacional, por 1 a 0, no estádio Joaquinzão, pelo grupo 3. Apesar da badalação pela equipe reforçada, falou entrosamento na primeira rodada e o resultado desejado não veio. Agora, o time da região volta a jogar no outro domingo, às 15h, quando visita o Corinthians, no estádio José Liberatti, em Osasco. Em campo, o time visitante começou melhor, criando duas boas chances de gol nos primeiros minutos, mas sem levar real perigo ao gol taubateano. Aos poucos, o Burrão foi se ajeitando em campo e também levou perigo duas vezes, duas vezes com o estreante Velicka - uma em uma cabeçada e outra em chute de longe que passou perto do gol. No segundo tempo, o Taubaté voltou apagado. E o Nacional abriu o placar logo aos 40 segundos, com Gabriel Mendes. Mas o Burrão não desanimou e partiu para o ataque. Em cobrança de falta, aos 13min, Branquinho quase marcou, obrigando o goleiro Felipe Lacerda a fazer grande defesa. A partida ficou mais movimentada e o Nacional acertou uma bola na trave do Taubaté. Pouco tempo depois, o atacante Marcos Nunes teve outra boa chance para o Burrão tentar o empate. Mas a bola passou novamente bem perto do gol. Depois, Elorhan entrou no lugar de Velicka. Em seguida, teve boa chance de empatar, mas foi travado pelo zagueiro adversário. Mas, no fim das contas, o placar acabou inalterado. Ficha técnica Taubaté: Rafael Dida; Ynaiã, Rafael Castro, Henrique e Diego; Alan Mota, Velicka (Elorhan), Elivelton e Branquinho (Adriano); Elton Morelato (Tatá) e Marcos Nunes. Técnico: Fábio Gomes Nacional: Felipe Lacerda; Danilo Negueba, Guilherme, Rodrigo Sam e Caio Mendes; Rogério Maranhão, Mateus Lú (Washington), Allan Cristian e Gabriel Mendes; Éder Paulista (Tuíque) e Denner (Felipe). Técnico: Ricardo Silva Gol: Gabriel Mendes, aos 2min do segundo tempo. Árbitro: Kleber Canto dos Santos. Local: Estádio Joaquinzão, em Taubaté. Público: 620 pagantes. Renda 5.375
Cercado de incertezas após duas atuações pouco convincentes, a Seleção Brasileira fez provavelmente o seu melhor jogo pós-Copa do Mundo na tarde deste sábado, na Arena Corinthians. Diante do adversário mais forte do grupo e com uma torcida que rivalizou com a da casa nas arquibancadas, o Brasil fez 5 a 0 sobre o Peru, dominou as ações após um rápido gol de Casemiro e completou o placar: Firmino, Everton, Daniel Alves e Willian completaram o placar. Gabriel Jesus ainda perdeu um pênalti. Com o resultado, a Seleção assegurou a primeira colocação do Grupo A com sete pontos, deixando os adversários estacionados com quatro, ainda sem uma definição se vai ou não passar à próxima fase. Com quatro pontos e -3 de saldo, a equipe andina ainda pode ser superada pelos outros terceiros colocados. A Venezuela, que derrotou a Bolívia, ficou com a segunda posição. O Brasil agora espera a definição das chaves B e C para saber quem será o seu adversário. O terceiro colocado de uma delas será o seu rival, a princípio frente ao que tenha somado a melhor pontuação. Se passarem ambos no critério de melhores terceiros colocados, o time de Tite pega o que vier do C. Gol revela Brasil avassalador O jogo começou com um clima de rivalidade na Arena pela grande presença de peruanos no estádio, praticamente obrigando os brasileiros a serem mais participativos se não quisessem ver os visitantes dominarem a cantoria. A empolgação da galera parecia atrapalhar a Seleção, afobada, até que uma escapada de Daniel Alves originou um escanteio. Na cobrança, desvio de Thiago Silva e Casemiro concluiu à rede após confusão, abrindo o caminho apara um novo Brasil aparecer. O time de Tite manteve uma marcação pressão e viu o adversário se complicar em falha de Gallese. O goleiro demorou a chutar bola para frente e deu tempo de Firmino abafar o lance, bloqueando o lançamento. A bola bateu no brasileiro, tocou na trave e voltou para ele, com muito espaço, driblar o arqueiro adversário e fazer 2 a 0, acabando com a parte mental da seleção peruana, perdida a partir dali. Os comandados de Gareca ainda tentaram avançar as linhas e chegaram com perigo em falta cobrada por Guerrero, mas um outro erro de Gallese facilitou a vida do Brasil. Everton recebeu na esquerda, limpou para o meio e bateu forte. O goleiro, mal posicionado, não conseguiu chegar no canto direito e viu a bola balançar a rede mais uma vez. Até o intervalo, o jogo teve “olé” da torcida do que qualquer outra coisa. Pintura de Daniel Alves fecha o espetáculo O ritmo de espetáculo da Seleção continuou na etapa final. Depois de algumas chances desperdiçadas por impedimento, a equipe de Tite achou seu caminho quando Daniel Alves tabelou duas vezes, recebendo a segunda de Roberto Firmino já dentro da área para chutar forte, alto, sem chances a Gallese. 4 a 0 e, de quebra, uma vaia enorme da torcida para Paolo Guerrero, com direito a gestos de tchau ao ser anunciada sua saída para a entrada de Gonzales. Naturalmente, a Seleção diminuiu o ritmo com a vantagem e Tite passou a fazer trocas na sua equipe. Observando as raras, porém, perigosas escapadas da equipe, ele deu descanso a Filipe Luís, Casemiro e Philippe Coutinho, promovendo as entradas de Alex Sandro, Allan e Willian. O volante do Real Madrid, aliás, está suspenso para as quartas de final e, como Fernandinho está com dores no joelho direito, a mudança pode até ser um teste para o duelo eliminatório. A partir dali ,os lances que mais agitaram a galera foram uma entrada forte de Advincula em Everton, que rendeu o cartão amarelo ao lateral peruano, e um chute mascado, porém perigoso de Gonzales, acompanhado de perto por Alisson ao passar rente à trave. Ainda deu tempo, porém, de Willian acertar um lindo chute de pé direito, no ângulo de Gallese, para fazer o quinto, e de Gabriel Jesus desperdiçar um pênalti sofrido por ele mesmo. FICHA TÉCNICA PERU 0 X 5 BRASIL Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP) Data: 22 de junho de 2019 (Sábado) Horário: 16h(de Brasília) Árbitro: Fernando Rapallini (Argentina) Assistentes: Hernan Maidana (Argentina) e Eduardo Cardozo (Paraguai) Público: 42.317 pagantes Renda: R$ 10.009.095,00 Cartões amarelos: Yotun, Advincula (Peru); Casemiro, Thiago Silva (Brasil) Gols: BRASIL: Casemiro, aos 12, Roberto Firmino, aos 19, Everton, aos 32 minutos do primeiro, Daniel Alves, aos oito, e Willian aos 45 minutos do segundo tempo PERU: Pedro Gallese, Luis Advincula, Luis Abram, Miguel Araujo e Miguel Trauco; Yoshimar Yotún (Edison Flores), Renato Tapia, Andy Polo e Christian Cueva (Josepmir Ballon); Jefferson Farfan e Paolo Guerrero (Christofer Gonzales) Técnico: Ricardo Gareca BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís (Alex Sandro); Casemiro (Allan), Arthur e Philippe Coutinho (Willian); Gabriel Jesus, Everton e Roberto Firmino Técnico: Tite
Após empatar sem gols com a Venezuela, frustrando os torcedores, a Seleção Brasileira busca a recuperação na última rodada do Grupo A da Copa América. A meta é vencer o Peru em choque programado para este sábado, às 16h(de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo (SP). Os dois times somam quatro pontos, mas o Brasil lidera a chave por conta dos critérios de desempate. Assim, o empate é suficiente para garantir um lugar nas quartas de final. Mas na verdade a busca é pelo triunfo para amenizar as cobranças e chegar com moral nas etapas eliminatórias do torneio. Os peruanos, embalados pelo triunfo de 3 a 1 sobre a Bolívia, também se classificariam com um empate. Tite, treinador do Brasil, quer ver um time mais eficiente do que o que se apresentou diante da Venezuela. - Nós ficamos presos na marcação da Venezuela e precisamos melhorar neste aspecto, pois o Peru com certeza vai exigir ainda mais da nossa equipe. É um time que precisa ser ainda melhor monitorado para não nos surpreender - avaliou o treinador. Os jogadores sabem que para vencer será preciso uma forte movimentação. - Com certeza a seleção peruana vai ser mais uma a tentar fechar os espaços e impedir que a gente consiga jogar. Vamos precisar nos movimentar muito e, com velocidade, furar este bloqueio. Tudo isso sem ficarmos expostos - disse o meia Philippe Coutinho. Em termos de escalação, Tite teve uma boa notícia. O volante Arthur, recuperado de um pisão sofrido no pé esquerdo, vai a campo normalmente. Porém, pode ser que algumas mudanças aconteçam, principalmente no ataque, onde Richarlison e Roberto Firmino não estão agradando e acompanham Everton e Gabriel Jesus pedirem passagem. Pelo lado do Peru, o técnico argentino Ricardo Gareca está preocupado em encontrar uma maneira de neutralizar os pontos fortes da Seleção Brasileira. - A Seleção Brasileira do Tite tem um volume de jogo muito grande e a nossa equipe vai precisar saber neutralizar isso. Nosso time tem condições de fazer um bom jogo e conseguir a classificação, porém, isso passa por dois pontos: impedir que o Brasil consiga se impor e encointrar a melhor maneira de ganharmos o jogo, buscando os espaços certos na defesa deles - disse Gareca. Para este compromisso o Peru ainda não sabe se poderá contar com o zagueiro Carlos Zambrano, que vem se queixando de dores no músculo adutor da coxa direita. Caso ele seja vetado, a tendência é que seu posto seja assumiro por Miguel Araujo. Pelo regulamento da Copa América as equipes se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, os dois primeiros colocados avançam para as quartas de final, assim como os dois melhores terceiros colocados. FICHA TÉRCNICA PERU X BRASIL Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP) Data: 22 de junho de 2019 (Sábado) Horário: 16h(de Brasília) Árbitro: Fernando Rapallini (Argentina) Assistentes: Hernan Maidana (Argentina) e Eduardo Cardozo (Paraguai) PERU: Pedro Gallese, Luis Advincula, Luis Abram, Carlos Zambrano (Miguel Araujo) e Miguel Trauco; Yoshimar Yotún, Renato Tapia, Andy Polo e Christian Cueva; Jefferson Farfan e Paolo Guerrero Técnico: Ricardo Gareca BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Casemiro, Arthur, Philippe Coutinho e David Neres; Richarlison (Everton) e Roberto Firmino (Gabriel Jesus) Técnico: Tite