notícias

O São José estreou com derrota na temporada 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil). Nesta quarta-feira, perdeu para o Paulistano, no ginásio Antônio Prado Júnior, em São Paulo, por 93 a 75. O time da região, comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú, não conseguiu se impor sobre os comandados de Régis Marrelli, e amarga o primeiro revés do torneio. Agora, os joseenses voltam a jogar fora de casa na sexta-feira, quando visitam o São Paulo, a partir das 20h. Nesta terça, os joseenses tiveram a estreia de Léo Eltink, Abner e do ala /pivô argentino Agustín Ambrosino. Porém, não foi suficiente para conseguir a vitória. No primeiro quarto, o São José ainda equilibrou as ações, foi melhor em alguns momentos e o também argentino Figueredo foi o destaque do time, com 7 pontos e 100% de aproveitamento até então. Mas o Paulistano fechou com seis pontos de vantagem: 25 a 19. No segundo quarto, o São José melhorou no início, mas logo o Paulistano, com grande atuação do norte-americano Coleman, abriu nove pontos: 45 a 36. O terceiro quarto foi decisivo para a partida. O time da região começou muito mal o período, vendo o Paulistano disparar no marcador. A diferença passou dos 20 pontos em determinado momento e ficou difícil de alcançar, terminando em 72 a 53. Nos últimos dez minutos, os comandados de Marrelli continuaram se impondo e administraram o placar. Maique, do Paulistano, foi o principal cestinha da partida, com 23 pontos. Com 17 pontos, Figueredo foi o principal pontuador do São José.
O Brasil é campeão da Copa do Mundo 2019. Na madrugada desta segunda-feira, a seleção brasileira masculina de vôlei bateu o Japão, donos da casa, por 3 sets a 1 (25/17, 24/26, 25/14 e 27/25) e conquistou o título da tradicional competição que acontece de quatro em quatro anos com uma rodada de antecedência. Em Hiroshima, o time dirigido pelo técnico Renan Dal Zotto assegurou a décima vitória em 10 jogos disputados até agora. O último compromisso da equipe verde e amarela, mesmo com o título já garantido, será nesta terça-feira (15), contra a Itália. A partida será às 3h da madrugada (horário de Brasília) e terá transmissão ao vivo do SporTV 2. E o time canarinho conta com seis taubateanos no elenco. Além do técnico Renan Dal Zotto, ajudaram nesta conquista: Lucarelli (ponteiro), Douglas Souza (ponteiro), Lucão (central), Maurício Souza (central) e Thales (líbero). Agora, o técnico e os jogadores são aguardados para reforçar o Taubaté nas semifinais do Campeonato Paulista. O time da região vai encarar o Sesi em duas partidas, sendo a primeira sábado, dia 19, no ginásio do Abaeté, a partir das 21h30. Depois, na terça, no mesmo horário, faz o jogo de volta, em São Paulo. Os taubateanos buscam o sexto título consecutivo do campeonato estadual. Enquanto o duelo não chega, os jogadores da Seleção curte também o título da Copa do Mundo. “Muito feliz com o resultado do jogo, e claro, com a conquista do título antecipado da Copa do Mundo. Desde a primeira coletiva de imprensa, reafirmei a importância deste campeonato para o Brasil, uma competição tradicional, onde chegamos sempre fortes. Quero parabenizar cada atleta que se empenhou ao máximo durante os treinamentos. Estamos encerrando mais uma etapa após a partida de amanhã, contra a Itália, e eles estão de parabéns não só pelos resultados, mas pelo comprometimento e empenho nos treinos”, disse o técnico Renan, nesta segunda-feira.
Após as participações no Campeonato Brasileiro e no Campeonato Paulista, o São José volta a entrar em campo neste sábado, dia 12, desta vez pela Copa Paulista, competição organizada pela FPF (Federação Paulista de Futebol) para manter as equipes em atividade no segundo semestre. As Meninas da Águia estreiam no primeiro jogo da semifinal contra o Palmeiras, às 8h45, no Estádio Nelo Bracalente, em Vinhedo. Além de São José e Palmeiras, São Paulo e Juventus também estão no campeonato e fazem a outra semifinal. Os jogos de volta serão disputados no dia 19 e a grande final está marcada para o dia 26. Todos os jogos serão em Vinhedo. As joseenses estão em fase de treinamento desde setembro, quando encerrou a campanha no Campeonato Paulista. O técnico Cleber Arildo falou sobre a expectativa para esse confronto. “Será importante a disputa da Copa Paulista. Temos que aproveitar um campeonato desse tipo, organizado pela Federação, para que possamos mapear algumas situações. Jogamos contra o Palmeiras pelo Campeonato Paulista, foram dois jogos difíceis, e este de sábado não será diferente. Mas as nossas atletas sabem da responsabilidade, da importância, estão treinando bem e vamos buscar um resultado positivo”, disse o treinador. A goleira Zany também espera um jogo difícil. “A gente vem de um período sem jogos, e estamos treinando muito forte para que possamos chegar a um nível alto de competições. Sabemos que o Palmeiras é uma equipe qualificada, mas temos que mostrar nosso futebol. É muito importante a Copa Paulista para movimentar e fomentar ainda mais a modalidade”, disse a atleta. Para esse jogo, o técnico Cleber Arildo não poderá contar com a lateral Gabi Lira e as zagueiras Dulce e Ana Martha, que estão se recuperando de lesões. Por outro lado, a lateral Poliana, que disputou amistosos pela Seleção Brasileira contra Inglaterra e Polônia, estará à disposição. CONVITE. Na terça-feira, as Meninas da Águia vão fazer uma atividade diferente. O time foi convidado para visitar a mostra 'CONTRA-ATAQUE! As Mulheres do Futebol', no Museu do Futebol, em São Paulo, a partir das 14h30. As jogadoras poderão conhecer a fundo todo o caminho que as mulheres percorreram para serem reconhecidas com verdadeiras atletas do esporte mais popular do país. Na exposição, as jogadoras vão poder entender melhor a história, que está contada por meio de fotos, materiais do acervo pessoal das atletas, desde o início da prática até os dias de hoje, áudios e vídeos que prendem a atenção. "Acredito que as nossas atletas irão gostar muito, afinal elas terão a oportunidade de conhecer melhor sobre a modalidade e poder vivenciar as conquistas de outras mulheres que as inspiraram para se tornarem jogadoras de futebol", afirmou a coordenadora Renata Love.
A sexta-feira é de definições para as duas equipes da região nas quartas de final do Campeonato Paulista masculino de vôlei. Mais perto da classificação às semifinais, o Vôlei Taubaté recebe o Vôlei Ribeirão a partir das 20h, no ginásio do Abaeté, com vantagem considerável. Após vencer o jogo de ida por 3 a 0, se classifica com mais uma vitória. E, se perder, ainda poderá disputar o 'Golden Set', um set extra, para avançar e seguir firme na busca pelo hexacampeonato. Mas, no Taubaté, a ideia é manter o mesmo ritmo do primeiro jogo para não ser surpreendido. "Fizemos um bom jogo em Ribeirão Preto, tivemos um primeiro set muito bom, sacamos e bloqueamos bem. Mas houve alguns momentos de desconcentração, o que temos de evitar e ser cuidadosos. É preciso manter o volume de jogo sempre, impondo pressão e controlando a partida. Temos condições de repetir uma boa atuação assim, agora diante dos nossos torcedores o que é sempre um apoio muito importante, e buscar essa importante vitória e a vaga nas semifinais", disse o auxiliar técnico Maurício Thomas, que comanda o time enquanto o treinador Renan está com a Seleção Brasileira. Lucarelli (ponteiro), Douglas Souza (ponteiro), Lucão (central), Maurício Souza (central) e Thales (líbero) são os desfalques, que também estão na Seleção. O São José Vôlei vive situação mais complicada. Também nesta sexta, visita o Sesi no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, pelo jogo de volta. No confronto de ida, o time da região, comandado pelo técnico William Santa Maria, perdeu em casa por 3 a 1. Assim, precisa vencer e provocar o 'Golden Set', onde terá que vencer..
Na manhã desta quinta-feira, jogando em Singapura, a Seleção Brasileira ficou no empate pelo placar de 1 a 1 com a seleção de Senegal. Após a partida, Daniel Alves avaliou positivamente o adversário, mas fez questão de ressaltar as condições adversas do jogo, que contou com duas paradas técnicas, além de um gramado questionável. “Adversário também joga, também tem jogadores qualificados. A circunstância é um pouco difícil, estamos com um fuso horário de 11 horas para trás. Não é desculpa, mas você paga o preço…Calor imensurável. Mas eu acredito que a gente tem que dar continuidade para o trabalho”, disse, em entrevista ao SporTV. Apesar da sequência de três partidas sem vitória (empate em 2 a 2 com a Colômbia, derrota por 1 a 0 para o Peru e empate em 1 a 1 com Senegal), o lateral-direito acredita que o trabalho está sendo bem feito na Seleção Brasileira. “Nunca é fácil ganhar, e eu acredito que quando você faz as coisas bem, você descansa tranquilo. E acho que estamos fazendo o nosso melhor dentro das condições, mas evidente que dentro da Seleção, ganhar dá tranquilidade para continuar trabalhando. Sem dar desculpas, mas as circunstâncias eram bem bem complicadas para a gente”, afirmou. Por fim, o jogador do São Paulo voltou a citar o alto nível da seleção de Senegal, e reafirmou sua visão sobre o bom desempenho brasileiro. “O nível é alto e a concentração tem que estar sempre em cima, porque os jogadores também jogam. Mas acredito que em um contexto geral, fizemos um bom trabalho. Tivemos chance para fazer uma ou outra ocasião, eles também…Não nos contentamos com o resultado, mas saiu todo mundo ileso e nesse momento isso conta mais do que qualquer coisa”, completou.
Na manhã desta quinta-feira, em partida de caráter amistoso, a Seleção Brasileira enfrentou Senegal no Estádio Nacional de Singapura e a partida acabou empatada por 1 a 1. Realizando sua centésima partida com a Amarelinha, Neymar teve atuação apagada – sobretudo no primeiro tempo – e não conseguiu desenvolver o futebol que se esperava dele. Firmino abriu o placar aos oito minutos de jogo, após boa jogada de Gabriel Jesus. Aos 45, Diédhiou, de pênalti, empatou para Senegal. Com isso, o Brasil chega a três jogos consecutivos sem vitória – antes, havia empatado em 2 a 2 com a Colômbia e perdido por 1 a 0 para o Peru – sequência essa que não ocorria desde 2013. A equipe comandada pelo técnico Tite volta a entrar em campo já neste domingo, no mesmo estádio, novamente às 9h (horário de Brasilia), desta vez diante da seleção da Nigéria. Brasil começa com ritmo forte e não demora para abrir o placar A equipe comandada por Tite começou com uma marcação alta, pressionando a saída de bola de Senegal e forçando os erros do adversário. Quando tinha a bola nos pés, as jogadas eram sempre pelo lado direito, onde apareciam Gabriel Jesus e Daniel Alves. Aos oito minutos de jogo, foi justamente por esse lado do campo que saiu o gol brasileiro. Jesus recebeu na ponta, fez boa jogada individual derivando pelo meio e descolou uma grande bola enfiada para Firmino, que entrou fazendo o facão. Frente a frente com o goleiro, o atacante do Liverpool teve calma para dar uma cavadinha e abrir o placar. Após o tento, a Seleção continuou com um ritmo parecido, mas acabava esbarrando no bloqueio defensivo senegalês e não conseguia finalizar. A equipe africana, por sua vez, aos poucos ia se soltando em busca de um contra-ataque promissor. Aos 18 minutos, em uma das primeiras chances, Gueye arriscou de fora da área e mandou por cima do gol. Senegal cresce na partida e busca o empate Realizando sua centésima partida com a Amarelinha, Neymar estava muito apagado e chegou inclusive a errar alguns passes. Com isso, o desempenho ofensivo do Brasil caiu, e Senegal começou a gostar do jogo, chegando a ter maior posse de bola já a partir da metade do primeiro tempo. Aos 25, Mané parou na defesa de Ederson, e aos 38, foi a vez do goleiro brasileiro segurar a tentativa de Diédhiou. Os africanos eram superiores no jogo, e o gol parecia questão de tempo. Já aos 44 minutos, Mané recebeu pela esquerda, ainda no campo de defesa, e avançou. Após passar por Daniel Alves, o camisa 10 derivou para o meio da área, deu uma caneta em Marquinhos e, na sequência, foi derrubado. O árbitro marcou pênalti, e na cobrança, Diédhiou bateu rasteiro, no canto esquerdo, sem chances para Ederson. Logo na sequência, o Brasil ainda teve a chance de ir para o intervalo em vantagem, mas de dentro da área, Neymar parou no goleiro Gomis. Na etapa complementar, a Seleção Brasileira continuava no mesmo marasmo, e aos 15 minutos, Tite promoveu a entrada de Everton Cebolinha na vaga de Roberto Firmino. Aos 22, foi a vez de Matheus Henrique entrar no lugar de Arthur, e logo na sequência, em uma das poucas participações que fez no jogo, Neymar cobrou falta com muito perigo. Em busca de novas alternativas de jogo, Tite começou a mexer mais na equipe, colocando Richarlison no lugar de Coutinho e Renan Lodi na vaga de Alex Sandro. As mudanças, contudo, não surtiram efeito, pois quem criou as melhores chances foi a seleção de Senegal. Aos 39, após boa troca de passes, Sidy Sarr chegou batendo da entrada da área e fez o goleiro Ederson trabalhar bem. Na sequência, foi a vez de Mané finalizar e carimbar a trave brasileira. Aos 41, o Brasil respondeu com Neymar, que recebeu dentro da área, mas teve o chute bloqueado pela defesa adversária. Logo na sequência, o camisa 10 acionou Richarlison, que da entrada da área, bateu bem, mas a bola saiu à direita do gol. Dai para frente, a Seleção nada criou, e após cinco minutos de acréscimos, a partida acabou mesmo empatada em Singapura. FICHA TÉCNICA BRASIL 1 X 1 SENEGAL Local: Estádio Nacional, em Kallang (Singapura) Data: 10 de outubro de 2019 (Quinta-feira) Horário: 9h (de Brasília) Árbitro: Muhammad Taqi Alliaffari (Singapura) Público: 20.621 torcedores Renda: Não divulgado Cartões amarelos: Marquinhos e Alex Sandro (Brasil); Kouyaté e Koulibaly (Senegal) Gols: Brasil: Roberto Firmino, aos oito minutos do primeiro tempo. Senegal: Diédhiou, aos 45 minutos do primeiro tempo. BRASIL: Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro (Renan Lodi); Casemiro, Arthur (Matheus Henrique), Phillipe Coutinho (Richarlison); Gabriel Jesus, Neymar e Roberto Firmino (Everton) Técnico: Tite SENEGAL: Gomis, Gassama, Koulibaly, Sané e Coly; Kouyate (Sidy Sarr), Gueye (Ndiaye) e Diatta; Sarr (Thioub), Mané e Diédhiou (Diallo) Técnico: Aliou Cissé