notícias

O Palmeiras encerrou uma série de quatro derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro ao bater o Atlético-GO por 3 a 0 na tarde deste domingo, pela 18ª rodada. Na saída do gramado do Estádio Olímpico, o centroavante Luiz Adriano celebrou o fim de seu próprio jejum de gols. O Palmeiras saiu na frente por meio de Wesley ainda no primeiro tempo e, na etapa complementar, contou com dois gols de Luiz Adriano para fechar o marcador. O centroavante marcou após receber presente do goleiro Jean e ao completar cruzamento de Gabriel Menino. “Fico muito feliz de poder ajudar meus companheiros da melhor forma possível. Sei que não vinha fazendo gol e perdi um pênalti no último jogo”, disse Luiz Adriano em entrevista à TV Globo, já que falhou na recente goleada contra o Tigre, pela Copa Libertadores. Em jejum desde o triunfo sobre o Corinthians, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, o centroavante amargou uma sequência de sete partidas consecutivas sem marcar. Com os dois gols anotados diante do Atlético-GO, porém, ele chegou a 13 na temporada e ficou a apenas um do artilheiro Willian. “Continuei trabalhando para entrar concentrado hoje e poder marcar. Consegui fazer dois gols. Então, o importante é nunca baixar a cabeça e trabalhar para conquistar os resultados que vêm na sequência”, disse Luiz Adriano, valorizando a própria persistência. Com 25 pontos ganhos, o Palmeiras passou a figurar na sétima colocação do Campeonato Brasileiro. Às 19 horas (de Brasília) desta quinta-feira, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o time defendido por Luiz Adriano volta a campo para enfrentar o Red Bull Bragantino, no Estádio Nabi Abi Chedid.
Neste domingo, o Santos enfrentou o Fluminense no Maracanã, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saiu derrotado pelo placar de 3 a 1. Em entrevista coletiva, o técnico Cuca criticou duramente a arbitragem de Anderson Daronco. O treinador não gostou dos dois gols alvinegros anulados e da não aplicação do cartão vermelho para Hudson por carrinho em Soteldo. "Avaliar a arbitragem é ruim, não é função minha. Mas, o lance (do Hudson) era para vermelho. Estava a cinco metros de mim e dele. Não adianta passar essa situação para o VAR. É uma sensação que ele tem que ter no campo, como ele teve ao anular o nosso primeiro gol, que não foi nada. Ele teve uma interpretação de campo de anular e anulou. Então, foi nisso que eu falei que era tudo contra hoje. O segundo gol anulado é interpretativo. Se for buscar o movimento do Arthur, ele para, ele não faz uma carga. O jogo é de disputa de espaço. Se não desse falta em nenhum dos dois gols, passaria. Se desse falta no segundo, está bom. Mas no primeiro, não. Disputa natural de jogo, não tem o que fazer, e era o gol de empate", declarou o comandante. "Então, acho que a arbitragem do Daronco hoje foi muito ruim, não deixou o jogo fluir, amarrou o jogo, mas ele é bom árbitro. Esteve em um dia ruim hoje, assim como nós estivemos em um dia ruim e não merecemos vencer, mesmo que que tivessem sido validados os dois gols. São dias ruins que acontecem, como aconteceu para ele, na minha opinião. Não tira nada do que ele significa, que é um excelente árbitro, uma excelente pessoa, que esteve em um dia ruim. E nós não merecemos, jogamos mal e não merecemos vencer", completou. Para o duelo contra o Tricolor, Cuca optou por mandar a campo uma formação com três zagueiros de origem, com Felipe Jonatan atuando pelo meio-campo, Luan Peres na lateral esquerda e Laércio formando a dupla de zaga ao lado de Lucas Veríssimo. O treinador santista explicou o esquema. "Primeiro que com a entrada do Luan, eu ganho a alternativa de diversos movimentos táticos dentro da partida: 3-5-2, 3-4-3 e 4-3-3, que foi geralmente o que se jogou, com o Luan na lateral, ele já fez muitas vezes isso, e com o Felipe Jonatan entrando na meia esquerda, do lado do Jobson e do Pituca. Então, teoricamente, seria um meio-campo forte, com Marinho, Soteldo e Lucas Braga, mas não encaixou. Depois, a gente inverteu logo na metade do primeiro tempo, abrindo o Felipe Jonatan pela esquerda e fazendo duas linhas de quatro, com Soteldo e Marinho soltos. Também não encaixou", disse. "Por fim, no segundo tempo, tiramos um zagueiro, passamos o Luan Peres para a zaga e pusemos o Arthur na meia, variando com o Soteldo, o que melhorou um pouco. A equipe ficou muito nervosa durante a partida devido aos erros que tiveram na arbitragem, o jogo que não fluía. Isso enerva muito e, de alguma maneira, afeta o jogador também. Mas eu não transfiro a eles a culpa do resultado", concluiu. O técnico do Peixe ainda apontou a semana cheia do Fluminense para treinamentos como decisiva para os adversários, enquanto a equipe paulista teve de jogar na última terça-feira pela Copa Libertadores. "Sempre tenho falado que precisamos fortalecer o nosso elenco porque as competições são muito duras, e estamos disputando todas elas. O Fluminense teve a semana inteira para trabalhar, joga em casa, faz diferença. E hoje fez. Eles estavam menos desgastados do que nós", pontuou. O Santos volta a jogar pelo Brasileirão no próximo sábado (31), às 19h (de Brasília), quando recebe o Bahia, na Vila Belmiro. Antes, porém, o Peixe encara o Ceará pela Copa do Brasil, na quarta-feira. Com o resultado, o Fluminense ultrapassou o Alvinegro Praiano e o São Paulo, que teve o seu jogo da rodada adiado. O Tricolor assumiu a quarta colocação com 29 pontos, enquanto a equipe santista caiu para o sexto lugar, com 27.
O Fluminense venceu o confronto direto por uma vaga no G-4 contra o Santos neste domingo. O Tricolor recebeu o Peixe no Maracanã pela 18ª rodada do Brasileirão e com o placar de 3 a 1, conquistou uma vaga no grupo de equipes que entrarão na fase de grupos da Libertadores. Luccas Claro, Nino e Marcos Paulo marcaram para o Flu, e Marinho descontou. Com o resultado, o Tricolor ultrapassou o Peixe e o São Paulo, que teve o seu jogo da rodada adiado. O Fluminense assumiu a quarta colocação com 29 pontos, enquanto o Santos cai para sexto, com 27. Fluminense e Santos voltam a jogar pelo Brasileirão no próximo sábado, pela última rodada do turno. O Tricolor visita o Fortaleza, no Castelão, e o Peixe recebe o Bahia, na Vila Belmiro. Antes, porém, a equipe paulista encara o Ceará pela Copa do Brasil, na quarta-feira. O JOGO. O Santos surpreendeu ao entrar em campo com um esquema com três zagueiros e apenas dois volantes no meio campo. O vazio na faixa central deu vantagem ao Flu, que dominou as ações e criou as melhores oportunidades de gol no primeiro tempo. O gol esteve perto aos 8 e aos 17, em chutes de Luccas Claro e Hudson, respectivamente. Aos 22, o goleiro João Paulo errou na saída de bola e deu de presente a Caio Paulista. O atacante foi em direção à área e tentou o chute da meia lua, mas a bola desviou na zaga e foi pela linha de fundo. Depois de pressionar na primeira metade do primeiro tempo, o Tricolor chegou ao gol aos 28 minutos. Após um escanteio, a bola voltou para a intermediária e Michel Araújo lançou Danilo Barcelos em profundidade pela esquerda. O lateral cruzou na primeira trave e Fred cabeceou para o meio. Luccas Claro entrou de cabeça e da linha da pequena área testou para o fundo da rede. O Santos resolveu acordar e acelerou os contra-ataques. Aos 35, o Peixe se aproveitou da ausência de Danilo Barcelos, que era atendido fora de campo para atacar pelo lado direito. Madson dominou na ponta e cruzou a meia altura em direção à pequena área. Oportunista, Marinho se antecipou a Nino na primeira trave e tocou para o gol. O Flu teve uma baixa no final da etapa. Nenê sentiu lesão e foi substituído por Marcos Paulo. Cuca abriu mão do esquema com três zagueiros na volta do intervalo, e sacou Laércio para a entrada do meia Arthur Gomes. Mas o Fluminense voltou melhor e pressionou pela vitória. Os comandados de Odair Hellmann ficaram com a posse de bola e cercaram a área do Peixe até conseguirem o segundo gol. E aos 10 minutos, o Flu ficou novamente em vantagem. Danilo Barcelos cobrou falta na área da direita, Luan Peres afastou de cabeça. De fora da área, Michel Araújo pegou o rebote e, de cabeça, devolveu para a área. Nino desviou mandou para a rede. Com a vantagem, o Flu diminuiu se ímpeto ofensivo. Odair tirou o atacante Caio Paulista para a entrada de Ganso, e o Tricolor perdeu em velocidade. O Santos tentou pressionar, mas perdeu o contra-ataque com o recuo do Flu. Com dificuldades para penetrar na defesa adversária, o Peixe não conseguiu a igualdade. O Alvinegro teve dois gols anulados por faltas de ataque, ambas sobre o zagueiro Nino. Nos acréscimos, escanteio da esquerda, Yuri tentou de cabeça e João Paulo rebateu. Ganso pegou o rebote do lado direito e cruzou rasteiro, e Marcos Paulo tocou para a rede. FICHA TÉCNICA FLUMINENSE 3 X 1 SANTOS Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Data: 25 de outubro de 2020 Horário: 16h (de Brasília) Árbitro: Anderson Daronco (RJ) Assistentes: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau (RJ) VAR: Daniel Nobre Bins (RJ) Cartões amarelos: Michel Araújo, Dodi, Wellington Silva, Hudson, Fred (Flu); Felipe Jonatan, Arthur Gomes, Luan Peres, Jean Mota (Santos) Gols: FLUMINENSE: Luccas Claro, aos 28min do 1º tempo; Nino, aos 10, e Marcos Paulo, aos 47 min do 2º tempo SANTOS: Marinho, aos 35min do 1º tempo FLUMINENSE: Muriel, Igor Julião, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Hudson, Dodi, Michel Araújo e Nenê (Marcos Paulo); Caio Paulista (Ganso) e Fred (Yuri) Técnico: Odair Hellmann SANTOS: João Paulo, Madson, Laércio (Arthur Gomes), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Jobson (Alison, Marcos Leonardo) e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Lucas Braga (Angelo) Técnico: Cuca
Vindo de quatro derrotas consecutivas, o Palmeiras enfim reencontrou a vitória pelo Campeonato Brasileiro na tarde deste sábado. No Estádio Olímpico, ainda comandado pelo interino Andrey Lopes, o time alviverde aproveitou falhas do Atlético-GO para vencer por 3 a 0. Com um gol de Wesley e dois de Luiz Adriano, o Palmeiras chegou aos 25 pontos ganhos e passou a figurar na sétima colocação do Campeonato Brasileiro. O Atlético-GO, por sua vez, permanece com os mesmos 22 pontos e detém o 10º lugar da tabela. Os dois clubes voltam a campo no meio de semana pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Às 19 horas (de Brasília) desta quarta-feira, novamente no Estádio Olímpico, o Atlético-GO enfrenta o Internacional. Já o Palmeiras pega o Red Bull Bragantino às 19 horas de quinta, no Nabi Abi Chedid. O JOGO. O Palmeiras conseguiu inaugurar o marcador em Goiânia aos 19 minutos do primeiro tempo. Em um lance confuso, Baralhas e Dudu foram para a mesma bola em jogada aérea. Na altura do meio-campo, a bola sobrou para Wesley disparar e definir de canhota na saída de Jean. O Atlético-GO não sentiu o gol e conseguiu manter a partida equilibrada. Pouco depois da abertura do placar, em uma tabelinha, Zé Roberto tocou de calcanhar dentro da área para chute firme de Chico. Weverton saltou no canto esquerdo e conseguiu fazer a defesa. Em um final de primeiro tempo movimentado, Rony roubou a bola de Dudu pela esquerda, invadiu a área e finalizou para boa defesa de Jean. Logo depois, em cobrança de falta, Chico bateu direto, a bola desviou levemente na barreira do Palmeiras e tocou na trave de Weverton. Em mais um presente do Atlético-GO, o Palmeiras aumentou sua vantagem aos 9 minutos do segundo tempo. O goleiro Jean recebeu recuo de Baralhas e, ao tentar tocar de primeira, deu a bola para Luiz Adriano, que bateu rasteiro para encerrar jejum de sete jogos sem marcar. Aos 18 minutos da etapa complementar, pouco depois de Weverton defender chute de Janderson, o Palmeiras marou o terceiro. Posicionado na direita, Gabriel Menino observou a movimentação de Luiz Adriano e cruzou para o centroavante desviar com sucesso. Em um chute cruzado desferido por Chico de dentro da área, o Atlético-GO levou algum perigo, mas o goleiro Weverton não teve muito trabalho. Com vantagem segura no marcador, o interino Andrey Lopes fez suas alterações e viu um final de jogo sem grandes sustos. Nos acréscimos, Lucas Lima ainda acertou a trave adversária. FICHA TÉCNICA ATLÉTICO-GO 0 x 3 PALMEIRAS Data: 25 de outubro de 2020, domingo Local: Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia-GO Horário: 16h (de Brasília) Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF) Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Jose Reinaldo Nascimento Junior (DF) VAR: Wagner Reway (PB) Cartões amarelos: Janderson (ACG); Luan, Raphael Veiga, Rony e Gustavo Scarpa (PAL) Gol: PALMEIRAS: Wesley (19min 1º Tempo), Luiz Adriano (9min e aos 18min do 2º Tempo) ATLÉTICO-GO: Jean; Dudu (Arnaldo), João Victor, Éder e Nicolas (Natanael); Gabriel Baralhas (Matheus Vargas), Chico e Marlon Freitas; Janderson, Zé Roberto (Júnior Brandão) e Gustavo Ferrareis (Matheuzinho) Técnico: Eduardo Souza PALMEIRAS: Weverton; Gabriel Menino, Felipe Melo, Luan e Matias Viña; Patrick de Paula (Ramires), Zé Rafael e Raphael Veiga (Lucas Lima); Rony (Gabriel Silva), Wesley (Gustavo Scarpa) e Luiz Adriano (Willian) Técnico: Andrey Lopes
Fluminense e Santos se enfrentarão neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. As equipes estão próximas na tabela. O Flu é o sexto, com 26 pontos. O Peixe está uma posição acima, em quinto, e com um ponto a mais (27). Os clubes estão no G-6 e querem chegar ao G-4. O Fluminense vive boa fase no Brasileirão. Os tricolores não perdem há seis rodadas e chegaram na parte de cima da tabela. "É um jogo de seis pontos, briga direta ali na parte de cima da tabela. Nosso time teve uma semana muito boa de trabalho e vamos em busca desses três pontos para nos mantermos na parte de cima da tabela", disse André. Para esta partida, o técnico Odair Hellmann perdeu Digão e Yago, lesionados. Além deles, Luiz Henrique está com a seleção brasileira sub-20. Na zaga, Luccas Claro retorna ao time. No meio, André deve ser o escolhido. Já na frente, Marcos Paulo pode ganhar nova chance entre os titulares. O Santos terá o retorno de pelo menos quatro jogadores, todos fora do departamento médico: Lucas Veríssimo, Alison, Madson e Marinho. Em compensação, Pará será desfalque em função de lesão muscular na coxa esquerda. Kaio Jorge, na seleção brasileira sub-20, é outra ausência para Cuca. FICHA TÉCNICA Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Data: 25 de outubro de 2020 Horário: 16h (de Brasília) Árbitro: Anderson Daronco (RJ) Assistentes: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau (RJ) VAR: Daniel Nobre Bins (RJ) FLUMINENSE: Muriel, Igor Julião, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Hudson, Dodi, André e Nenê; Marcos Paulo e Fred Técnico: Odair Hellmann SANTOS: João Paulo, Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Jean Mota; Marinho, Soteldo e Marcos Leonardo (Lucas Braga ou Arthur Gomes) Técnico: Cuca
Na tarde deste domingo, às 16h, o Palmeiras visita o Atlético-GO pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de golear o Tigre por 5 a 0, pela Libertadores, o Verdão tenta espantar de vez da má fase e quebrar a marca negativa de quatro jogos consecutivos com derrota na competição nacional. Enquanto a diretoria ainda busca um substituto para a vaga deixada por Vanderlei Luxemburgo, o interino Andrey Lopes tenta minimizar os problemas em campo. A derrota para o Fortaleza, na rodada passada, causou insegurança, mas a equipe chega tentando embalar após a goleada do meio de semana. Para encarar o Atlético-GO, o Palmeiras terá mudanças em todos os setores. Na zaga, Luan está recuperado de lesão na coxa esquerda e deve fazer dupla com Felipe Melo, já que Gustavo Gómez foi expulso contra o Fortaleza e cumpre suspensão. Outra mexida ocorre no meio-campo, já que Danilo vai representar a seleção sub-20. Com isso, Patrick de Paula surge como favorito para retomar a titularidade, depois de ficar no banco contra o Tigre. Outro garoto que vai para a seleção sub-20 e não fica à disposição é Gabriel Veron. Andrey pode apostar em Rony, que entrou bem contra os argentinos e anotou o seu segundo gol com a camisa do Verdão. Evitar a derrota, entretanto, pode ser pouco para as pretensões do Palmeiras na competição. Com o primeiro turno já na reta final, a equipe aparece na oitava colocação com 22 pontos, a quatro do G6 e a 12 dos líderes Internacional e Flamengo. Por isso, uma vitória é de suma importância para subir não deixar os times de cima desgarrarem. Do outro lado, o Atlético-GO chega com moral, carregando uma sequência de três jogos invictos. O Dragão aparece logo abaixo do Palmeiras, em nono colocado, com os mesmos 22 pontos. Assim, tenta a vitória em casa para ultrapassar o adversário deste domingo e se aproximar do G6. O técnico Eduardo Souza tem como principal dor de cabeça encontrar um substituto para a vaga do volante Willian Maranhão, que cumpre suspensão. Matheus Vargas pode pintar por ali, mas Matheus Frizzo s também briga pela titularidade. Além disso, o Dragão conta com as voltas de Nicolas, na lateral-esquerda, e Gustavo Ferrareis, no ataque. Ambos desfalcaram o time na rodada passada. FICHA TÉCNICA Local: Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia (GO) Data: 25 de outubro de 2020, domingo Horário: 16h (de Brasília) Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF) Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Jose Reinaldo Nascimento Junior (DF) VAR: Wagner Reway (PB) ATLÉTICO-GO: Jean; Dudu, João Victor, Éder e Nicolas; Marlon Freitas, Matheus Vargas (Matheus Frizzo) e Chico; Janderson, Zé Roberto e Gustavo Ferrareis Técnico: Eduardo Souza PALMEIRAS: Weverton; Gabriel Menino, Felipe Melo, Luan e Matias Viña; Patrick de Paula, Zé Rafael e Raphael Veiga; Rony, Wesley e Luiz Adriano Técnico: Andrey Lopes
Depois de um empate movimentado no Castelão, o São Paulo recebe o Fortaleza neste domingo, às 20h30, no Morumbi, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Pressionados pelas eliminações precoces desta temporada, os comandados de Fernando Diniz sabem o peso que o confronto tem para o restante do ano. Afinal, o Tricolor caiu ainda na fase de grupos da Libertadores, algo que não acontecia desde 1987, além de ter sido eliminado por um Mirassol remendado nas quartas de final do Campeonato Paulista. Portanto, carimbar a vaga nas quartas significa ganhar fôlego para o restante da temporada. Para o duelo deste sábado, Diniz tem um desfalque certo. Igor Vinícius ainda se recupera de uma contratura na parte posterior da coxa direita e não treinou nos últimos dias. Dessa forma, a tendência é que Tchê Tchê atue novamente improvisado na lateral-direita. Por outro lado, Luciano ainda é dúvida para a partida decisiva. O atacante sentiu um desconforto muscular na coxa direita durante o jogo contra o Grêmio e foi preservado do confronto com o Binacional. O jogador participou de parte dos treinamentos dos últimos dois dias e será reavaliado antes do duelo de domingo. Diniz não poderá comandar a equipe à beira do campo no Morumbi, já que foi expulso nos minutos finais do jogo do Castelão. Inclusive, os dois times vivem a expectativa de não sofrerem com problemas relacionados à arbitragem, que foi bastante confusa na partida de ida. Do outro lado, o Fortaleza vem motivado por conta do ótimo momento vivido pela equipe. Afinal, o time comandado por Rogério Ceni conquistou o bicampeonato estadual sobre o Ceará na última quarta-feira e está na sétima colocação do Campeonato Brasileiro, com 24 pontos. Para a partida da Copa do Brasil, Ceni não poderá contar com o goleiro Felipe Alves e com o lateral-esquerdo Carlinhos, que receberam o cartão vermelho no jogo do Castelão. Assim, Max Walef assumirá a meta e Bruno Melo será o titular na linha defensiva. FICHA TÉCNICA Local: Morumbi, em São Paulo (SP) Data: 25 de outubro de 2020, domingo Horário: 20h30 (de Brasília) Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Jose Eduardo Calza (ambos do RS) VAR: Jean Pierre Goncalves Lima (RS) SÃO PAULO: Tiago Volpi; Tchê Tchê, Diego Costa, Bruno Alves, Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara, Igor Gomes; Brenner e Pablo (Luciano). Técnico: Fernando Diniz FORTALEZA: Max Walef; Gabriel Silva, Paulão, Jackson, Bruno Belo; Felipe, Juninho, Tinga, Ronald, Romarinho e David. Técnico: Rogério Ceni