notícias

Um dos grandes nomes da Geração de Prata e atual treinador da seleção masculina de vôlei e também do Vôlei Taubaté, Renan Dal Zotto prepara o lançamento de seu livro “Ninguém é campeão por acaso – Os 6 princípios inegociáveis para o alto rendimento”. Com conhecimentos na bagagem desde a época de atleta, Renan pretende abordar no livro tudo o que aprendeu durante a sua trajetória no vôlei. Para rechear o livro, o treinador traz momentos de sua carreira, aliados a histórias pessoais, além de trazer depoimentos de antigos colegas, como Bernardinho e Bernard. Os seis pilares proposto por Renan são: Paixão, Treinamento, Renuncia, Ousadia, Resiliência e Planejamento. O objetivo do livro é servir de inspiração não apenas para os amantes do esporte, mas também para empresas ou líderes que buscam um melhor desempenho em equipe. Radamés Lattari, CEO da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), ressalta a característica de liderança de Renan Dal Zotto e como o livro traz as experiências do treinador durante a sua carreira no vôlei. “[Renan é um] líder nato. Ele é muito habilidoso, organizado, estudioso, meticuloso. E extremamente inquieto, buscando sempre novas ideias, novos desafios, testando conhecimentos para colocar em prática, seja como dirigente, seja como treinador. Tudo isso fez dele um treinador vitorioso. Mas não pense que ele está satisfeito. Nunca está. E este livro é um pouco sobre tudo isso, sobre como um profissional que conquistou tantas coisas tem a exata consciência de que é preciso aprender sempre e evoluir todos os dias. E arriscar. Renan não tem medo de desafios, não tem medo de apostar em jogadores jovens, em novos conceitos e ideias”, diz Lattari. Renan foi um dos destaques da Geração de Prata do voleibol brasileiro, cujo auge veio em 1984, com a medalha nas Olimpíadas de Los Angeles. Foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 1985, e entrou para o Hall da Fama do Voleibol. Além disso, ficou conhecido por ser o criador do saque viagem. Fora das quadras, depois de uma jornada como gestor esportivo, assumiu a seleção masculina de vôlei em 2017.
A Seleção Brasileira encerrou o jejum de cinco jogos consecutivos sem vitórias na manhã desta terça-feira. Diante de um público minúsculo no Mohammed Bin Zayed Stadium, o time comandado por Tite ganhou da Coreia do Sul por 3 a 0, resultado que alivia a pressão sobre o treinador. No primeiro tempo, Lucas Paquetá abriu o placar de cabeça e Philippe Coutinho ampliou em cobrança de falta. Na etapa complementar, a Seleção Brasileira fechou o marcador com um golaço marcado por Danilo após passe do inspirado Renan Lodi. O triunfo sobre a Coreia do Sul, alcançado no último amistoso do ano, foi o primeiro do Brasil desde a final da Copa América. Nos cinco jogos anteriores, a Seleção viveu jejum contra Colômbia (2 x 2), Peru (0 x 1), Senegal (1 x 1), Nigéria (1 x 1) e Argentina (0 x 1). O Jogo – A Seleção Brasileira conseguiu inaugurar o marcador logo aos 8 minutos do primeiro tempo. Em jogada pelo lado esquerdo, Renan Lodi recebeu de Philippe Coutinho e cruzou. A bola desviou na marcação e ficou na medida para cabeçada certeira de Lucas Paquetá. O time canarinho aumentou sua vantagem aos 35 minutos da etapa inicial, quando Fabinho sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, Philippe Coutinho bateu colocado e viu a bola morrer nas redes, encerrando um longo jejum da Seleção Brasileira no quesito. A Coreia do Sul teve em Son seu principal jogador e criou sua melhor chance nos minutos finais. Em cobrança de falta, Jung bateu direto e a bola passou pela barreira. Alison espalmou e Philippe Coutinho, na tentativa de ceder escanteio, chutou na trave. Com trocas de passes envolventes no campo de ataque, o Brasil chegou ao terceiro aos 14 minutos da etapa complementar. Renan Lodi recebeu de Richarlison pela esquerda e deu belo cruzamento rasteiro. Do outro lado, Danilo completou com força para marcar um golaço. O Brasil manteve o domínio da partida e o goleiro Alisson não correu grandes riscos no campo de defesa. Com vantagem significativa no marcador, a Seleção trocou muitos passes e não precisou investir na criação de novas oportunidades de gol. O técnico Tite mexeu durante o segundo tempo e promoveu, inclusive, as entradas de Douglas Luiz e Emerson. Na última boa chegada do Brasil, Richarlison recebeu de Firmino pela esquerda e, na cara do gol, chutou para fora ao tentar toque por cobertura.
O Vôlei Taubaté venceu seu segundo compromisso pela Superliga masculina de Vôlei 2019/2020. Jogando na noite deste sábado, em casa, no ginásio do Abaeté, atropelou o Ponta Grossa Vôlei-PR por 3 sets a 0 (parciais de 25 a 11, 25 a 16 e  25a 20), em pouco mais de uma hora de partida. Com a vitória, o Taubaté chega a seis pontos na competição. O time volta a jogar na próxima quarta-feira, dia 20, às 19h30 contra o Vôlei Ribeirão, em Ribeirão Preto. Neste sábado, o técnico Renan Dal Zotto colocou em quadra a equipe inicial com Rapha, Lucarelli, Douglas Souza, Maurício, Lucão, Mohamed e Thales como líbero. Entraram ao longo da partida Petrus, Vissotto, Carísio, Renan Bonora, Matheus e Riad. O primeiro set começou com o Taubaté forçando bem o saque e colocando pressão na recepção do Ponta Grossa. A equipe paranaense também apostou no saque forçado nos primeiros movimentos do jogo. O Taubaté se mostrou mais efetivo na defesa e no bloqueio, e logo abriu boa vantagem de quatro pontos. O set seguiu com o Taubaté impondo um jogo mais agressivo e de menos erros. O técnico colocou o central Petrus na partida. O Taubaté seguiu sacando bem, e venceu com tranquilidade, fechando o set em 25 a 11, em 17 minutos. O segundo set começou com o Ponta Grossa sacando de forma tática, na tentativa de forçar erros dos taubateanos. O time visitante chegou a abrir 3 a 0 no início do set. O Taubaté buscou a reação com ótimo aproveitamento nas bolas com os ponteiros Douglas e Lucarelli. O bloqueio taubateano também continuou sendo um fator de desequilíbrio. O técnico Renan Dal Zotto promoveu a entrada de Carísio e Vissotto – retornando após três semanas fora devido a uma lesão no pé. O time taubateano manteve o bom volume de jogo e fechou o set em 25 a 16, em 19 minutos. O terceiro set seguiu no mesmo ritmo dos dois primeiros, com o Taubaté sacando variado e com bom aproveitamento. O bloqueio também continuou tendo ótimo papel, e o Ponta Grossa não encontrou maneira de neutralizar o bom aproveitamento dos contra-ataques por parte dos taubateanos. Sem grandes sustos, o time da casa fechou o set em 25 a 20, vencendo o jogo por 3 sets a 0. O melhor jogador em quadra, premiado com o Troféu Viva Vôlei foi o central Maurício Souza, do Taubaté. O maior pontuador da partida foi o ponteiro Lucarelli, também do Taubaté, com 14 pontos anotados. Após a partida ele analisou a segunda vitória taubateana na competição. “Hoje foi mais um jogo importante para nos dar a consistência coletiva. Sacamos bem, conseguimos impor pressão no adversário e neutralizar os pontos fortes deles. Acho que estamos no caminho certo, o time vem crescendo, e essas duas partidas que vencemos pela Superliga foram importantes para nos dar essa confiança, já que daqui para frente sempre pegaremos adversários cada vezx mais duros", disse.
O São José perdeu para o Unifacisa por 89 a 77 neste sábado à tarde, na Arena Unifacisa, em João Pessoa-PB, pela oitava rodada da edição 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil), encerrando uma sequência de quatro partidas como visitante e 50% de aproveitamento. Os joseenses estão com duas vitórias e seis derrotas até agora no torneio, em 12º lugar no geral. O time paraibano chegou à quinta vitória em sete partidas, com apenas dois revezes até agora. Agora, a equipe da região, comandada pelo técnico Paulo Cézar Jaú, volta a jogar na próxima quarta-feira, quando recebe o lanterna Pato Basquete, a partir das 20h, no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos. O primeiro tempo da partida teve dois momentos distintos. No primeiro quarto, o São José teve uma atuação muito abaixo do esperado. Errou muito no ataque e viu os donos da casa abrirem dez pontos de vantagem: 24 a 14. No segundo quarto, foi ao contrário. O time da região aproveitou melhor as chances, venceu o período por 27 a 15 e foi para o intervalo com dois pontos de frente: 41 a 39. Depois do intervalo, novo apagão nos comandados de Jaú. E o time da Paraíba novamente retomou a frente e abriu vantagem no placar, que chegou a 11 pontos em determinado momento. O São José ainda conseguiu descontar um pouco e foi para o último período com sete pontos de desvantagem: 61 a 54. No último quarto, o time da região não teve fôlego para reagir e o Unifacisa ainda ampliou a vantagem. Douglas Nunes, ex-São José, e hoje no time paraibano, foi o cestinha da partida, com 27 pontos, além de conseguir o double-double (dois dígitos em dois fundamentos), com 12 rebotes.
O Vôlei Taubaté recebe o Ponta Grossa-PR neste sábado, a partir das 21h30, no ginásio do Abaeté, em Taubaté, pela segunda rodada da primeira fase da Superliga Nacional masculina da modalidade. O time da região estreou com vitória tranquila sobre o Blumenau por 3 a 0, também em casa, na noite da última quarta-feira. Agora, tenta repetir o feito diante da torcida. Sob comando do técnico Renan, o atual campeão quer aproveitar os jogos em casa para ter um bom começo de temporada. Para o adversário, o jogo de logo mais representa a estreia na competição, após ser incluído de última hora com a desistência do Botafogo, por questões financeiras. Para o central Maurício Souza, que foi destaque no jogo da última quarta-feira, tendo sido eleito o melhor atleta em quadra e maior pontuador da partida, o momento é de foco no crescimento da equipe dentro de quadra. “Foi uma bela estreia, uma boa vitória de uma equipe que está ainda em processo de construção do seu padrão de jogo. Quem está de fora tem colocado o Taubaté como favorito na Superliga, mas eu não vejo dessa forma. Acredito que temos quatro equipes com condições de chegar ao título, então cada jogo é uma parada difícil para nós. Contra o Ponta Grossa não será diferente, nós temos que jogar como jogamos na estreia, com agressividade e impondo nosso jogo contra quem for. Superliga é isso, é pedreira a cada jogo", afirmou, através da assessoria de imprensa.
O Brasil completou sua quinta partida sem ganhar na tarde deste sábado. No reencontro com a Argentina após a polêmica semifinal da Copa América, o time comandado pelo técnico Tite sofreu um gol de Lionel Messi e amargou o quinto amistoso seguido de jejum (três empates e duas derrotas). Logo no começo da partida, Gabriel Jesus sofreu pênalti e, na cobrança, chutou para fora diante de Andrada. Pouco depois, Messi teve a chance de executar penal e também errou, mas definiu no rebote de Alisson. No segundo tempo, o Brasil foi incapaz de criar chances de gol e ainda tomou sustos na defesa. Em jejum desde o título da Copa América, a Seleção Brasileira tem apenas mais uma chance para reencontrar a vitória nesta temporada. Às 10h30 (de Brasília) desta terça-feira, em Abu Dhabi, o time dirigido por Tite encontra a Coreia do Sul no último amistoso do ano. O Jogo – O Brasil desperdiçou uma grande chance de sair na frente logo aos 8 minutos do primeiro tempo, quando Gabriel Jesus recebeu de Roberto Firmino após vacilo de Foyth e sofreu pênalti de Pezzella. Na cobrança, o ex-jogador do Palmeiras bateu para fora. Aos 12 minutos, Messi avançou pela direita, encarou a marcação de Alex Sandro e sofreu pênalti. Na cobrança, o camisa 10 bateu no canto direito de Alisson e viu o brasileiro espalmar. Atento, o argentino completou no rebote e inaugurou o marcador no amistoso. De frente para o gol, Messi teve nova chance ao pegar a sobra de Militão, mas bateu contra a marcação do brasileiro. Nos acréscimos, após erro de passe de Arthur, Messi arrancou com a bola dominada e, de frente para o gol, chutou para defesa segura de Alisson. Na tentativa de melhorar a articulação de jogadas ofensivas do Brasil, Tite colocou Philippe Coutinho no lugar do apagado Lucas Paquetá. Em uma rara chance no começo do segundo tempo, Ocampos desceu pela direita e bateu forte, por cima do gol de Alisson. Em nova chegada da Argentina, após sofrer falta de Militão, Messi cobrou direto para o gol e Alisson desviou para escanteio. Sem correr riscos no campo de defesa, a equipe celeste assustou por meio de chute de longe disparado por Paredes e espalmado por Alisson. Na melhor chance do segundo tempo, Acuña cobrou escanteio pela esquerda, Militão desviou de cabeça e a bola sobrou limpa para Lautaro Martinez chutar por cima. A despeito das alterações de Tite, a Seleção Brasileira foi incapaz de criar chances de gol no segundo tempo. FICHA TÉCNICA BRASIL 0 x 1 ARGENTINA Local: Estádio King Saud University, em Riad (Arábia Saudita) Data: 15 de novembro de 2019 (Sexta-feira) Horário: 14h(de Brasília) Árbitro: Matthew Conger (NZL) Assistentes: James Rule (NZL) e Tevita Makasini (TON) Cartões amarelos: Danilo, Militão e Casemiro (BRA); Tagliafico, De Paul e Paredes (ARG) Gol:  Messi (12 minutos do 1º Tempo) BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Militão e Alex Sandro (Renan Lodi); Casemiro (Wesley), Arthur (Fabinho) e Lucas Paquetá (Philippe Coutinho); Gabriel Jesus (Richarlison), Willian (Rodrygo) e Roberto Firmino Técnico: Tite ARGENTINA: Andrada; Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes (Rodriguez), De Paul (Dominguez) e Lo Celso (Acuña); Ocampos (Gonzalez), Lautaro Martinez (Alario) e Lionel Messi Técnico: Lionel Scaloni
O São José conquistou sua segunda vitória na edição 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil). Nesta quinta-feira, fez 81 a 77 no Basquete Cearense, fora de casa, em jogo disputado no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza, pela sétima rodada do torneio e em confronto direto de duas equipes que estavam na parte de baixo da tabela. Com o resultado, o time da região, comandado pelo técnico Paulo Cézar Jaú, dá um salto na tabela. Deixa o 15º e penúltimo lugar e pula para o 11º, subindo quatro posições e entrando na zona de classificação entre os 12 melhores. O time do Ceará agora caiu para o penúltimo lugar. Neste sábado, os joseenses voltam a jogar fora de casa, desta vez em visita ao Unifacisa-PB, às 16h, em João Pessoa. O confronto desta quinta começou com o time da casa abrindo 5 a 0. Na sequência, o São José devolveu fazendo sete pontos seguidos e virando. E o jogo seguiu equilibrado durante o primeiro quarto, com a equipe da região fechando em vantagem de dois pontos: 17 a 15. No segundo quarto, novo apagão joseense no começo, com o Cearense marcando sete cestas seguidas no começo. O São José ainda buscou uma reação, mas o time da casa foi para o intervalo com vantagem de cinco pontos: 37 a 32. O pivô joseense Rafa teve o incrível aproveitamento de 16 pontos, metade de toda a pontuação do time até então. Na volta do intervalo, o São José estava bem melhor. Conseguiu encaixar melhor o ataque nos primeiros minutos e logo retomou a vantagem, abrindo frente no marcador. O time de Jaú chegou a ter 9 pontos de vantagem sobre o adversário, que tentou reagir. Ainda assim, os joseenses foram para o último período com seis pontos de vantagem: 65 a 59. A boa vantagem do São José, porém, se evaporou antes da metade do quarto, quando o Cearense foi buscar o empate. O jogo seguiu cheio de altos e baixos, com os joseenses retomando a frente, abrindo oito pontos a pouco mais de dois minutos para o final, mas deixando os cearenses encostarem no placar. A vantagem, porém, ficou em três pontos para o time da região, que garantiu a vitória no final.