notícias

A maior obra rodoviária do país merece a maior cobertura jornalística. OVALE fez. Primeiro, com o caderno especial sobre a Rodovia dos Tamoios com 40 páginas, publicado na última semana, ainda com podcasts e vídeos.  Às reportagens especiais seguiram-se quatro dias de webinários com especialistas, prefeitos e secretários de estado, entre os dias 4 e 7 de maio. Eles debateram a rodovia e as obras de duplicação sob diversos ângulos: desafios ambientais e de engenharia, segurança, economia, turismo, mobilidade e logística, além de explicar os atrasos no cronograma e as metas para finalização da obra da serra e dos contornos entre Caraguatatuba e São Sebastião. E tudo isso está no Documento OVALE de 16 páginas, com tudo o que foi discutido nos quatro dias de webinário. Veja as matérias: Tremular de nossas bandeiras Tamoios em debate Secretário prevê maior fluxo de veículos com o término das obras na rodovia 'São José tem posição privilegiada com estrada' Palavras do Estado Tamoios: Segura e bela Prefeitos pedem também agilidade nos contornos da rodovia Veja os vídeos: Entrevista com o secretário João Octaviano: https://www.youtube.com/watch?v=8YsIJn5T5cU&t=6s Entrevista com o especialista em logística, Vantine debate o impacto da Tamoios nas exportações e nos negócios da região: https://www.youtube.com/watch?v=D7yPXpfNbto Entrevista com o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente de São Paulo, Marcos Penido: https://www.youtube.com/watch?v=P2Zfhn_s-XM Entrevista com os prefeitos de Ilhabela, Caraguatatuba, Jacareí e Paraibuna: https://fb.watch/5luNhPDkHC/
O secretário estadual da Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, abre hoje o webinário do projeto ‘O Brasil do futuro’, de OVALE. Ele vai falar do tema “Tamoios, o futuro em obras”, sobre a duplicação da Rodovia dos Tamoios. O debate será realizado nesta terça-feira (4), às 17h30, com transmissão ao vivo na fanpage do OVALE no Facebook e no canal do jornal no Youtube. Natural de Cruzeiro, Penido conhece bem a região do Vale do Paraíba e acompanha de perto as obras de duplicação da Rodovia dos Tamoios, cuja questão ambiental é um dos pilares dos projetos e dos trabalhos de construção. PROJETO ‘O Brasil do futuro’ é um projeto que produzirá reportagens especiais aprofundando temas relevantes. O primeiro caderno especial saiu no final de janeiro, sobre a vacinação. O segundo abordou a Rodovia dos Tamoios e foi publicado no último final de semana. O projeto também promoverá, nas suas quatro edições previstas para este ano, fóruns virtuais (webinários) com especialistas, autoridades e convidados de relevância no cenário nacional. A ideia é oxigenar o debate, intensificar o livre pensamento e discutir soluções práticas para os temas debatidos, contribuindo para uma sociedade mais justa e igualitária. Os webinários ainda serão retratados em um Documento OVALE, com 16 páginas, publicado sempre na superedição seguinte à publicação de cada um dos quatro cadernos. AGENDA No dia 5 de maio, às 16h, José Geraldo Vantine irá debater a rodovia pelo aspecto da logística e do comércio nacional e internacional, em razão do Porto de São Sebastião. Engenheiro industrial, ele é consultor e especialista em logística, com 45 anos de carreira. Secretário de estado da Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto é o convidado do dia 6 de maio, às 15h. Ele vai falar do empenho do governo estadual em concluir as obras na Tamoios e dos impactos que a estrada terá no futuro da região. Também vai participar deste debate o presidente da Concessionária Tamoios, Marcelo Stachow, que vai falar da operação da rodovia, da queda em mortes e acidentes na estrada e das obras.  Por fim, o segundo webinário de OVALE terminará no dia 7 de maio, às 16h, com um grande debate com a participação de quatro prefeitos da região, dois deles à frente de entidades representativas dos municípios do Vale. Participarão os prefeitos de Caraguatatuba, Aguilar Junior (MDB), e de Ilhabela, Toninho Colucci (PL), além de Victor de Cassio Miranda (PSDB), o Vitão, presidente da RMVale e prefeito de Paraibuna, e Izaias Santana (PSDB), prefeito de Jacareí e presidente da Codivap, a Associação dos Municípios do Vale do Paraíba.
Maior obra viária do Brasil, com o seu histórico de atrasos e prazos descumpridos, a Rodovia dos Tamoios é uma das ligações mais importantes e estratégicas da RMVale. Não só o caminho entre o planalto e o litoral. A estrada é a conexão entre passado e futuro, passando pelo presente. Na língua tupi, ‘Tamoios’ significa ‘avós’. Os tupis foram os indígenas que há mais tempo se instalaram no litoral brasileiro. A estrada que rende homenagem aos índios liga o Brasil antigo ao mais moderno. Um microcosmo da nação, espelho do próprio país, que ainda precisa se desenvolver e sofre com a menor velocidade das mudanças. Não à toa, o trecho de serra da Tamoios é a obra viária mais complexa em construção no país, com os dois maiores túneis do Brasil, viadutos e pontes em meio ao parque estadual da Serra do Mar. Leia Também Qual é o prazo? Previsão de conclusão das obras na Tamoios Confira o podcast especial 'Futuro em Obras', com radiografia da Tamoios, a maior obra viária do país Obras na serra da Tamoios viram desafio para a engenharia A convite de OVALE, piloto do Rali Dakar faz test drive na Tamoios Engenharia e meio ambiente. “Dá orgulho da engenharia nacional”, disse João Octaviano Machado Neto, secretário estadual de Logística e Transportes de São Paulo em entrevista exclusiva a OVALE. Já duplicado, o planalto da Tamoios se conectará à serra e ao contorno entre Caraguatatuba e São Sebastião, cuja construção está paralisada e deve ser retomada neste ano. Essa ‘nova Tamoios’ terá impacto direto na economia da região, potencializando o Porto de São Sebastião e fortalecendo o turismo, beneficiando os municípios do Litoral Norte e consolidando São José dos Campos como centro logístico. Os 22 milhões de usuários que trafegam pela Tamoios todos os anos também terão a vida facilitada. Nesta edição do Documento OVALE especial, do projeto Brasil do Futuro, conta-se tudo sobre a estrada. Ela permite debater mobilidade, economia, política, logística e o Brasil. Venha conosco nessa viagem.
Decacampeão brasileiro de rali cross country, heptacampeão do Rali dos Sertões e com mais de 20 anos de participação no Rali Dacar, o mais perigoso e desafiador do mundo. Este é um pouco do currículo do piloto Jean Azevedo, de São José dos Campos. A pedido de OVALE, o multicampeão fez em 20 de abril um ‘test drive’ de moto pela Rodovia dos Tamoios, desde o seu início, em São José, até o início do trecho de serra, após os dois pedágios. Lá ele apontou as qualidades e os defeitos da via que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte. Do começo até o quilômetro cinco, Jean exaltou a qualidade da estrada. “A gente saiu de São José, no posto Chaparral e essa parte dela aqui até a Carvalho Pinto é 100%, bem sinalizada, com asfalto muito bom, as vezes três pistas na subida, velocidade de 110 km/h logo na saída da cidade, acho que está em perfeitas condições”, disse Jean, que foi acompanhado pelo OVALE e parando pelo caminho para dar suas impressões. Depois, na altura do quilômetro 34, ele apontou falhas na sinalização dos limites de velocidade. “Eu achei que a sinalização da velocidade da estrada foi um pouco falha, ali depois que a gente passa do trecho de São José até a Carvalho Pinto. Começa 110 km/h, diminui para 100 km/h e depois ela vira 80 km/h. E eu só vi a placa de 80 depois do primeiro pedágio. Naquele trecho ali da Carvalho Pinto até o pedágio, fica meio confuso. Eu mesmo achei que era 100 e era 80. Poderia melhorar a sinalização”, disse. PEDÁGIO. O piloto também criticou a cobrança de pedágio para as motos. “A gente passou o primeiro pedágio e sou contra cobrar pedágio de motocicleta. Motocicleta não estraga rodovia”, afirmou Jean, que apesar disso elogiou a estrutura da cabine. “Um ponto interessante é que, já que eles cobram o pedágio da motocicleta, tem a vaga, o que é importante. Ter a fila de moto é um ponto positivo”, disse. Leia Também Qual é o prazo? Previsão de conclusão das obras na Tamoios Maior do Brasil, obra na Tamoios tem investimento de R$ 5,2 bilhões e histórico de atrasos Confira o podcast especial 'Futuro em Obras', com radiografia da Tamoios, a maior obra viária do país Obras na serra da Tamoios viram desafio para a engenharia No trecho, Jean criticou o limite de velocidade que, segundo ele, poderia ser maior. “Na minha opinião poderia ser 100 km/h a velocidade máxima. A gente vem a 80 km/h e às vezes tem ponto de 60 km/h por hora, que é muito devagar. Até concordo que rodovia de mão simples poderia ser perigoso. Em uma rodovia de mão dupla, com muita sinalização, com todo o suporte que eles têm, acho que 80 km/h por hora é muito baixo”, afirmou o piloto joseense, que criticou ainda a sinalização de uma das obras na pista (leia texto nesta página). Na volta, Jean fez análise geral da estrada e ressaltou a beleza das paisagens naturais. “É uma rodovia que dá prazer de viajar nela, muito bonita. Saindo de São José, tem trechos que passam por montanhas, bonitas paisagens, aqui no alto da serra é um clima diferente, esfria um pouquinho e quando começa a descer a serra é aquele visual maravilhoso do Litoral Norte”, finalizou.
A estrada foi à montanha. O ditado diz: "Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé". Transportando para a Rodovia dos Tamoios, pode-se dizer que "a estrada foi à montanha". Literalmente. A duplicação do trecho de serra da Tamoios implica um desafio gigantesco. Criar uma nova estrada com o menor impacto ao meio ambiente em pleno Parque Estadual da Serra do Mar, uma área de preservação e protegida. Leia Também Qual é o prazo? Previsão de conclusão das obras na Tamoios Maior do Brasil, obra na Tamoios tem investimento de R$ 5,2 bilhões e histórico de atrasos Confira o podcast especial 'Futuro em Obras', com radiografia da Tamoios, a maior obra viária do país Obras na serra da Tamoios viram desafio para a engenharia A convite de OVALE, piloto do Rali Dakar faz test drive na Tamoios Não era possível duplicar, de fato, toda a estrada já existente da atual (e antiga) serra da Tamoios, que tem 21,5 quilômetros de extensão. Então, optou-se por construir um novo trecho de quatro quilômetros paralelo à pista existente e mais 17,5 km em traçado novo. A serra antiga será a pista de descida para o Litotal Norte e a nova serra servirá de pista de subida. Para tanto, foi preciso pensar em um projeto de menor impacto ambiental e que fosse factível de ser tirado do papel, mesmo com todos os desafios de engenharia, que são em número abundante. "A nova serra tem o maior túnel do Brasil, trechos com tecnologia sofisticada de construção, como o teleférico de carga, para levar equipamentos. Foi o estado da arte do que tem de mais sofisticado na engenharia nacional. Um orgulho", disse a OVALE João Octaviano Machado Neto, secretário estadual de Logística e Transportes. A nova estrada conta com 12,8 km de túneis, 2,6 km de viadutos e pontes e 6,1 km em terraplanagem. Os equipamentos foram escolhidos para garantir que as obras impactassem o menos possível o meio ambiente na serra do mar. Cortou-se literalmente a montanha com um equipamento Finlandês chamado carinhosamente de 'tatuzão'. A construção dos túneis da Tamoios é um desafio parecido com o do metrô. O ritmo de trabalho avança cerca de quatro metros por dia na construção dos túneis, pelas dificuldades em abrir o caminho pela montanha. TELEFÉRICO. Outro ineditismo da obra é a construção, pela primeira vez no país, de um viaduto com o auxílio de um teleférico de carga, o Cable Crane. O equipamento permitiu a execução de "cima para baixo" e mitigou o impacto ambiental previsto em área de 40 mil m². Com torres de 35 e 45 metros de altura, o Cable Crane transporta pelos ares caminhões, materiais e trabalhadores.
Concreto se faz palavra. A maior obra rodoviária do país merece a maior cobertura jornalística. OVALE fez. Primeiro, com o caderno especial sobre a Rodovia dos Tamoios com 40 páginas, publicado na última semana, ainda com podcasts e vídeos. Leitura necessária para quem quiser conhecer, em detalhes, as obras de duplicação da estrada que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte. Às reportagens especiais seguiram-se quatro dias de webinários com especialistas, prefeitos e secretários de estado, entre os dias 4 e 7 de maio. Eles debateram a rodovia e as obras de duplicação sob diversos ângulos: desafios ambientais e de engenharia, segurança, economia, turismo, mobilidade e logística, além de explicar os atrasos no cronograma e as metas para finalização da obra da serra e dos contornos entre Caraguatatuba e São Sebastião. "Desnecessário dizer sobre a importância da rodovia, não só do ponto de vista turístico, mas como pelo abastecimento do porto de São Sebastião", disse o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto. "Foi um grande desafio ao longo de todo o processo e, agora, tem o desafio da tecnologia embarcada. São estruturas que vão contribuir para ser a maior referência de modernidade. Tem um grau de segurança incrível e toda a tecnologia de ponta está sendo utilizada na Tamoios", afirmou o secretário. Os principais trechos dos debates estão compilados neste Documento OVALE, que também traz informações exclusivas sobre a conclusão dos contornos, a expectativa de término dos trabalhos na serra e os impactos e desafios que a nova estrada trará para região. Para Marcelo Stachow, presidente da Concessionária Tamoios, a obra é referência nacional. "Há o antes e o depois das obras da Tamoios", disse o executivo e engenheiro.
O secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado de São Paulo, Marcos Penido, participou na última terça-feira da abertura do webinário 'Tamoios, o futuro em obras', realizado por OVALE, no segundo capítulo do projeto 'Brasil do Futuro', que vai debater as obras de ampliação da rodovia que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte. Entre os diversos assuntos abordados na conversa, comandada pelo editor-chefe Guilhermo Codazzi e o repórter Xandu Alves, ele disse que o crescimento não é adversário do meio ambiente e ressaltou que o crescimento pode ser feito em harmonia com o meio ambiente. OVALE realizou ao longo desta semana o webinário, trazendo autoridades e especialistas para falar a respeito do tema. O Brasil do Futuro', uma iniciativa pioneira de OVALE, o maior veículo de comunicação de toda a RMVale. "Existe hoje uma consciência muito maior com relação à exploração das riquezas que nós temos e de maneira profissional. Nós temos exemplos que a gente vai a Campos do Jordão, vê parques concessionários, a mudança que está havendo, o tanto que pode gerar de emprego e renda e estimulam o desenvolvimento sustentável", disse Penido na entrevista. Para ele, a grande lição desta obra é que é viável implantar novos corredores, novos caminhos de uma maneira sustentável. "E que a geração de empregos seja feita com parceria e responsabilidade de cuidar do meio ambiente", afirmou Penido. SUSTENTABILIDADE. Para Penido, o desenvolvimento sustentável é a grande palavra. "Precisamos gerar emprego, abrir as portas da nossa região, mas sempre respeitando o meio em que vivemos, para as gerações que venham depois de nós. Que venham elogiando o trabalho e o desenvolvimento que foi feito", disse o secretário estadual durante o webinário. Segundo Penido, os moradores precisam estar sempre atentos para que os crescimentos dos municípios sejam de maneira responsável, pois não se pode ter um crescimento sem limites. "O acréscimo de turistas tem que ser feito com compatibilidade do abastecimento", afirmou em outro trecho da conversa. Penido também lembrou que é importante zelar pelo licenciamento para que novos loteamentos sejam feitos. "É importante garantir que toda a expansão imobiliária cumpra com o que está dentro da lei dos loteamentos, respeitando a natureza", disse. O secretário lembrou ainda que as melhorias na estrada vai diminuir também os acidentes com um fluxo melhor. "As próprias cidades ao entorno da Tamoios também poderão se desenvolver. As cidade próximas de Taubaté e São José dos Campos também podem se desenvolver", afirmou Penido, sobre o planejamento. BALANÇO. O secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado de São Paulo, Marcos Penido, disse que a Rodovia dos Tamoios vai ter um maior fluxo de veículos. "Proporcionalmente não será um impacto tão grande mas vai gerar uma mobilidade e facilidade muito maior", afirmou durante o webinário de OVALE na última terça-feira..