notícias

Na primavera, é hora de dar adeus às pesadas roupas de cama, mudar a paleta de cores e deixar a casa conectada com a estação mais leve e florida do ano. Para te ajudar a renovar o lar, que se tornou muito mais presentes em nossas vidas nesse ano, o time de arquitetos Renato Andrade, Erika Mello, Cristiane Schiavoni, Danielle Dantas, Paula Passos, Roberta Iervolino Giglio e Pati Cillo dá uma série de dicas para ajudar nessa empreitada. Confira! Mudar, mas sem ser radical A arquiteta Cristiane Schiavoni é adepta da parcimônia. Levando em consideração que nem sempre é necessário promover alterações profundas para transformar a atmosfera, ela indica que é possível inserir a primavera em casa com poucas mudanças. “Saem de cena as mantas de tricô e os tons sóbrios. É muito gostoso quando conseguimos conferir esse clima alegre com a substituição de objetos e almofadas na sala de estar e na varanda”, exemplificou. Nos dormitórios, ela sugere a renovação por meio do enxoval de cama. Primavera na varanda Projeto Cristiane Schiavoni Arquitetura Cristiane aposta no gradiente do azul claro. “Quem preferir, pode seguir pelos tons pastel, mas o momento também abre o leque para as nuances mais vibrantes e intensas”, diz a arquiteta. Primavera no dormitório  Projeto Cristiane Schiavoni Arquitetura A arquiteta investiu em um enxoval rosa claro e com motivos florais para deixar o cômodo com a delicadeza que a estação nos convida. Na mesinha lateral, arranjos de flores do campo podem (e devem!) sempre renovar o astral do quarto. Ponto de cor na cortina Com a possibilidade de definir um elemento para expressar as cores, no dormitório com base clara, as sócias Paula e Danielle escolheram a cortina de tons quentes. Além disso, elas sugerem eleger uma parede pontual que pode receber as cores da estação e, na cozinha, evidenciar potes coloridos e panos de pratos bordados com flores e folhagens.   Projeto Dantas ENTITY_amp_ENTITYPassos Arquitetura   Paleta de cores Projeto Figa Arquitetura Tons claros como o off white ou cinza claro são a base para a alquimia efervescente das cores da primavera. Para Roberta Iervolino Giglio, “amarelo, laranja, rosa, verde e azul se ajustam perfeitamente com a estação”. Na varanda projetada por Roberta, a ambiência primaveril é realçada com as almofadas laranjas no sofá chaise. “A base neutra do décor permite esse contraste com as cores fortes”, clarificou. Acessórios dão o charme Projeto Andrade ENTITY_amp_ENTITYMello Arquitetura A arquiteta Erika Mello demonstrou seu olhar para os acessórios, que possibilita entrar no mood da época. Além da decoração em si, ela recomenda tirar do armário os acessórios utilizados em ocasiões especiais. De olho nas tendências Projeto Andrade ENTITY_amp_ENTITYMello Arquitetura A primavera abre a perspectiva para a aplicação de papel de parede e tecidos florais, que podem apresentar desde ilustrações menores, até as mais trabalhadas, com desenhos à mão, que encantam e deixam o visual inovador e diferenciado. Materiais do tipo sisal, vime e a corda, por exemplo, remetem à natureza. Entretanto, Erika ressalta uma tendência que, ao mesmo tempo, é uma de suas paixões: o design biofílico. Serviço. Gostou das ideias? O Clube+OVALE também trouxe uma dica especial para você. A Oppa cria móveis que inspiram, facilitam e descomplicam a rotina, afinal: design é pra ser usado! O design é produzido com a preocupação de uso de bons materiais e bons acabamentos. Membros do clube têm desconto de 20%. Confira as condições no app ou acesse: ovale.com.br.
Esperada pelos fãs de carros esportivos, a nova Volkswagen Amarok V6 com 258cv finalmente chega ao Brasil. A picape mais potente do país movida a diesel será apresentada no dia 29 deste mês, quando também serão revelados os preços. O modelo já está à venda na Argentina como uma série especial, batizada de Black Style. Como o nome sugere, o carro tem acabamento todo preto, ao estilo das “Midnight” da Chevrolet - baseada na variante Extreme, de topo. A picape vai oferecer santantônio e rodas com o mesmo desenho da Extreme, mas pintados de preto. Além disso, os únicos cromados da carroceria ficam para a grade e os símbolos da VW na dianteira e na traseira. O logo com o nome do automóvel vem em cromo escurecido. Até o skid plate, uma espécie de falso peito de aço no para-choque dianteiro, foi pintado de preto. Com maior nível de equipamentos, o principal destaque da picape é o motor 3.0 turbodiesel com seis cilindros em V. Nele, a potência foi ampliada em 33 cv - de 225 para 258 cv. O torque sobe de 56,1 para 59,1 mkgf. A transmissão continua automática de oito marchas. E a tração é integral. A versão deve ficar mais cara que a Extreme V6. O preço sugerido parte de R$ 241 mil. Ou seja, a novata não deve custar muito menos que R$ 250 mil. SUSPENDIDO. O modelo mais “apimentado”  da Amarok deveria ter sido lançado no Brasil em maio, mas a pandemia da Covid-19 adiou os planos da Volkswagen por aqui. No país vizinho as vendas estão a todo vapor.
Agora, as pessoas físicas que assinarem contratos novos de financiamento imobiliário pela Caixa Econômica Federal no SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) pagarão taxas menores. A redução do juros poderá chegar a 0,5 p.p (ponto percentual), que passarão a variar entre TR (Taxa Referencial) mais 6,25% ao ano e TR mais 8% ao ano, dependendo do perfil do cliente. Nas linhas de crédito corrigidas pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que cobram IPCA mais 2,95% ao ano, a diferença é ainda maior. Privilegiada pela baixa inflação em 2020, a prestação inicial para os novos contratos está em R$ 1.040,70, redução de 46% no preço da parcela em comparação com dezembro de 2018.  O banco ainda irá facilitar a retomada do pagamento do financiamento para quem pediu a suspensão da dívida. Será permitido quitar a prestação de forma parcial: entre 50% e 75% do valor por até seis meses - que dependerá do perfil do contratante. Com as medidas, a Caixa prevê beneficiar 830 mil famílias, envolvendo um montante de R$ 83 bilhões considerando renegociação de dívidas e novos contratos. REPERCUSSÃO. A assessora de investimentos e sócia-fundadora do escritório Ikedo Investimento, Luciana Ikedo, defende o plano. Para ela, esse conjunto de ações traz um alívio para o fluxo de caixa de curto prazo das famílias. "Não há riscos adicionais para o cliente que aderir às novas condições. São procedimentos realmente vantajosos aos usuários", defendeu a especialista. Entretanto, a assessora alerta que antes de qualquer tomada de decisão quando envolve financiamento é fundamental ter alguns cuidados. "Para quem deseja financiar, é indispensável avaliar bem se o valor das parcelas irá caber no orçamento. Nos casos de quem já possui o acordo, penso que a suspensão das parcelas e a retomada gradativa ajudarão o encaixe do fluxo de caixa. Assim, mesmo que não tenha acontecido redução na renda familiar, essas medidas podem ajudar na constituição da reserva de emergência para necessidades pontuais que possam surgir no curto e no médio prazo". 
Condomínios com mandatos de síndicos vencidos a partir de 20 de março precisam correr contra o tempo. Na próxima sexta-feira (30), chega ao fim à vigência da Lei 14.010/2020, que prorroga o mandato do administrador em casos de impossibilidade de realização de assembleias virtuais. Com a aproximação do fim do prazo da lei, muitos condomínios precisam se adequar às exigências e realizar a assembleia o quanto antes para evitar qualquer tipo de interrupção de atividade. “As administradoras de condomínios estão com a agenda tomada por assembleias, realizando reuniões todos os dias para cumprir a legislação, independentemente da possibilidade de prorrogação da lei”, alerta José Roberto Graiche Júnior, presidente da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios do Estado de São Paulo). Os condomínios que deixaram para se adequar à legislação na última hora precisam acelerar a convocação de reuniões, pois não podem ficar sem um representante legal. Entre as principais implicações que podem acarretar na falta do síndico, estão a impossibilidade de movimentação financeira, uma vez que a representação na agência bancária está vencida, e a prestação de informações a órgãos públicos. Com o certificado digital vencido, por exemplo, não é possível enviar informações para o programa e-Social. Assembleia virtual. Muitos condomínios testaram sistemas on-line para realizar as assembleias virtuais e se depararam com plataformas que precisavam de aperfeiçoamento para transmitir corretamente as reuniões. Para contornar a situação, a saída encontrada pela Aabic e pelas empresas associadas foi dialogar com os principais representantes de softwares de assembleias para atender as exigências legais do condomínio e evitar dúvidas e impugnações. Correção de listas de inscritos e de presença, integração entre vídeo e chat e resultado de votação foram algumas das implementações solicitadas para melhorar a prestação do serviço. Para que as assembleias on-line fiquem mais produtivas e eficientes, Graiche Júnior recomenda que a pauta de discussões seja enxuta e priorize itens estritamente necessários para cumprir a obrigação legal, como a eleição de síndico e a aprovação de contas. Ainda não é o momento para discussões secundárias, que envolvem, por exemplo, obras, benfeitorias e sorteio de vagas de garagem. “Quando a reunião tem muitos assuntos acumulados, demonstra ineficiência administrativa. A assembleia se torna cansativa e as pessoas ficam desinteressadas pelas discussões”.
A correria do dia a dia entre trabalho, estudo, tarefas de casa e trânsito tem influenciado muitas pessoas a buscar pela praticidade na hora da refeição. E é neste cenário que cresce o mercado das famosas marmitas saudáveis congeladas. Não a toa que incentivar o consumo da comida caseira tem sido a aposta da Marcela Daniel, proprietária da Marmitaria Refeições Na Medida, com a criação de uma linha de pratos congelados. "Pessoas que moram sozinhas, ou até famílias com crianças e adolescentes em casa, encontraram nas refeições fitness a praticidade e uma opção de comer bem e estar em dia com a saúde”, comentou Marcela. Na Medida. Com um cardápio variado, a empresa segue novas tendências de mercado ao utilizar técnicas modernas que dispensam adição de conservantes ou aditivos químicos em suas receitas. O menu conta com opções como arroz integral, purês de mandioquinha, batata e batata doce, abóbora, inhame, frango, escondidinhos, brócolis e filé de peixe e carne, legumes. Além, disso a quantidade da refeição fica ao critério da sua fome. A empresa oferece até três tamanhos de marmita: pequena, média e executiva. “Pensei em todos os detalhes. Tudo separado, embalagens para manter tudo quentinho. Sem falar em nosso tempero como diferencial. Tudo caseiro, produtos de primeira linha. Segue para a casa dos clientes da mesma forma que coloco em minha mesa, para minha família”. Serviço. Pensando em manter uma dieta saudável? Em tempo, membros do Clube+OVALE têm desconto de 10% nas marmitas diárias. Confira os detalhes do benefício no app ou no site: clubeovale.com.br. Para pedir as refeições delivery é só ligar no (12) 3943-4673 ou enviar uma mensagem para o número de whatsapp (12) 99604-7450.
Rigoroso. O governo do estado de São Paulo aperta o cerco contra fraudes nas compra dos veículos para PCD (pessoas com deficiência). O decreto 65.259 publicado na última terça-feira (20), no Diário Oficial do Estado de São Paulo, prevê que o cliente só tenha direito de requisitar novamente as isenções do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) após um período de quatro anos desde a compra do veículo anterior. Até agora, este tempo era de dois anos. E não é só isso: a emenda ainda impõe que a nova regra seja retroativa desde 26 de julho de 2020. Ou seja, quem comprou o automóvel a partir desta data terá que seguir a norma de quatro anos. Exceções para casos de destruição completa do veículo ou desaparecimento. De acordo com Henrique Meirelles, Secretário da Fazenda e Planejamento do estado paulista, a mudança já deveria ter acontecido já que foi uma decisão do Confaz (Conselho da Fazenda) em 2018, mas que o então governador de São Paulo, Márcio França, decidiu não seguir. “O referido Convênio ICMS 50/18, de 5 de julho de 2018, em que pese o Estado de São Paulo não tê-lo ratificado por meio do Decreto 63.603, de 23 de julho de 2018, restou aprovado pelo CONFAZ, razão pela qual se faz impositiva a sua implementação na legislação interna paulista”, diz Meirelles, no texto. No entanto, outro ponto destacado no decreto deixa uma porta aberta para golpistas. No Artigo 1º, inciso II, um dos trechos diz que “o modelo possa ser adquirido por qualquer pessoa, ainda que não beneficiária da isenção prevista neste artigo” para os veículos com preços até R$ 70 mil (que é o limite para as versões para PCD para receber todas as isenções). O que dá a entender que estas versões devem ser oferecidas também para pessoas sem deficiência.
A fabricação nacional de motos teve alta de 13,1% em setembro comprado ao mesmo período do ano passado. No total, 105 mil unidades foram produzidas - sendo o melhor resultado de 2020 até agora. Os dados são da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares). Apesar do saldo positivo, o setor ainda demostra retração de 17,1% da fabricação no acumulado desde janeiro. Nos nove primeiros meses do ano, foram produzidos 693,5 mil veículos; contra 836,4 mil na comparação com 2019. “A produção de motocicletas foi fortemente impactada no período mais crítico da pandemia, e os números comprovam isso. No entanto, desde a retomada gradual das atividades, as fábricas registram curva ascendente. Este quadro se confirmou em setembro, quando alcançamos o melhor resultado do ano”, afirmou em nota o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. Ainda não há previsão para o fim da crise do novo coronavírus ou como a economia irá reagir no pós-pandemia, mas o que tudo indica é que o segmento deverá apresentar uma queda menor do que os outros setores da industria. "Hoje a motocicleta é indicada para evitar a aglomeração natural no transporte público, representando um meio de transporte ágil, econômico e de baixo custo de manutenção. Também passou a ser um instrumento de trabalho e fonte de renda para as pessoas que passaram a atuar nos serviços de entrega”, ponderou Fermanian. MERCADO. As vendas no atacado - das fábricas para as concessionárias - subiram 4,4% (100.656 motos) ante agosto (96.415 unidades) e 5,6% acima do mesmo mês do ano passado (95.282 motocicletas). No acumulado, as vendas no atacado somaram 665,6 mil unidades, uma queda de 18,4% em relação a 2019. Segundo a avaliação da Abraciclo, as fábricas deverão repassar para as concessionárias 909.000 motocicletas, volume 16,2% menor do que o registrado em 2019 (1.084.639 unidades). A estimativa inicial, ainda do começo do ano, apontava 1.147.000 unidades. Já no caso das exportações a queda no acumulo foi de 18,8%. Nos primeiros nove meses de 2020, foram vendidas para o exterior 23,6 mil motos. A Argentina é o principal destino, com 7,2 mil unidades. Em seguida vêm a Colômbia (4,5 mil unidades) e os Estados Unidos (4,3 mil unidades). Com este novo cenário, a Abraciclo revisou suas projeções. A expectativa é produzir ao todo este ano, 937.000 motocicletas, que representaria retração de 15,4% na comparação com 2019 (1.107.758 unidades). 
O aposentado Orotildes Mangerona, de 84 anos, resolveu aproveitar seu tempo livre com muita imaginação. Morador de São Carlos, interior de São Paulo, ele criou uma charrete mecanizada, cujo vídeo ganhou as redes sociais e já atingiu mais de dois milhões de visualizações no aplicativo Tik Tok. “Não imaginava que iria estourar desse jeito. Postei o vídeo com o intuído de espalhar a criação por aqui, na região. Quando fui ver já tinha viralizado. Ficamos até chocados com tamanha repercussão!”, disse a neta Lorena Mangerona.  Os três meses de trabalho árduo e as inúmeras tentativas até a engenhoca ficar pronta valeram a pena! O modelo é completo: tem farol, seta, buzina, marcha ré e carrega até duas pessoas. "O material que usamos na primeira vez não aguentava o peso da carroça, então precisamos ir adaptando e fazendo modificações. Fomos estudando como que tinha que fazer, as ideias foram surgindo e eu fui fazendo", contou o idoso. HORA EXTRA.  Para confeccionar o veículo, Mangerona fez diversas adaptações. O volante e o motor são de um carrinho para pessoas com dificuldade de locomoção. Duas baterias foram instaladas e oferecem a energia necessária para a charrete andar. As rodas são de motocicletas e até um pedal e a correia de uma bicicleta foram ajustadas para ajudar na movimentação. No ferro-velho, ele encontrou a lataria que dá o charme ao veículo, apelidado de gafanhoto. Tudo foi feito no quintal da chácara do idoso. E para que sua ideia desse certo, ele contou com o apoio da família. "Tudo que ele tenta fazer a agente incentiva. Meu avô sempre foi uma pessoa muito ativa”, comentou a jovem. Essa não foi à primeira invenção feita pelo aposentado. Curioso e criativo, segundo Lorena, o avô já até criou um poço que rodava com uma bicicleta. "Entre todas suas invenções esta foi a mais surpreendente. Quando meu avô falou em construir um cavalo mecânico ficamos espantados, sem entender muito. Já pronto, ainda não acreditávamos que ele tinha conseguido fazer tudo aquilo”, acrescentou a neta. Para assistir o vídeo clique aqui.