Karla Clarinda

Trago verdades sobre o empreendedorismo

Karla Clarinda, Empreendedora Social e estrategista em recolocação profissional
17/01/2022 às 13:53.
Atualizado em 17/01/2022 às 13:53
Empreendedorismo (Loe Moshkovska/Pexels)

Empreendedorismo (Loe Moshkovska/Pexels)

Sabe aquela frase que remete a liberdade? Ser dono do nosso próprio nariz, empreender é quase isso. Porém, você vai precisar desenvolver muitas habilidades e competências técnicas e comportamentais para se tornar um empreendedor de sucesso.

O tema Empreendedorismo sempre esteve envolto em uma aura de glamour, sucesso, liderança e até de heroísmo. Acontece que, na vida real, planejar, abrir, administrar e manter um negócio próprio pode não ser algo tão inspirador, e tampouco, um caminho de espinhos.

Isso porque não há uma fórmula mágica a ser aplicada na mesma medida para uma empreitada que pode ser minha, sua ou dela, pois há uma série de variáveis que interferem no resultado final de cada novo negócio.

Eu, que sou empreendedora, vou trazer, a seguir, alguns mitos sobre este tema, para que você, leitora ou leitor, reflita e, se tiver a intenção de empreender, o faça tendo consciência de que, além de planejamento e outras ações preliminares, o processo requer muito trabalho, suor e dedicação.

Descobri esse talento logo que tive o meu despertar, onde empreender nada mais, nada menos é do que curar uma dor do mercado, seja ela oferecendo seu serviço ou produto.

Adeus, chefe

Não é bem assim! Aliás, pode ser que ao invés de chefe, você passe a ter chefes, no plural. Isso porque, se a sua empresa presta algum serviço,

os clientes são os seus chefes. Isso acontece comigo. Felizmente, tenho cada vez mais chefes, quero dizer, clientes, para os quais dou satisfações

sobre o andamento do trabalho. E quando você vende um produto, não

é diferente, pois se o cliente não estiver satisfeito, seu negócio estará prestes a naufragar.

Meu negócio, minhas regras

Não é porque você é proprietário(a) de seu negócio, que vai trabalhar o dia que quiser, fazer o horário que quiser e passar metade do ano na praia, muito pelo contrário. O bom empreendedor toma conta do negócio de perto. Comigo é assim. Trago, também, como exemplo uma padaria famosa na cidade de Jacareí. Sempre há algum dos proprietários no comando, e de preferência, no caixa. Nada melhor do que a liderança do dono para manter o ritmo de funcionamento e entender quais são os pontos a melhorar.

Shazam!

Não é de uma hora para outra que o seu negócio vai lhe trazer retorno financeiro. Tudo dependerá de uma gama de fatores, como ramo, investimento, local e outros tantos mais. E, quando dá tudo certo, pode levar um tempo até o lucro vir.

Tô ricaaaaaa

Benza Deus, tomara que você conquiste seus objetivos e até, fique rico, por que não? Porém, não ache que essa condição será mera consequência do sucesso da sua empreitada. De novo, são vários fatores que estão em jogo. No entanto, empreender é, sobretudo, um ato de coragem, generosidade e, também, uma delícia quando você ama o que faz. Se esse é o seu desejo, vá em frente, capacite-se, tenha parceiros para preencherem suas eventuais deficiências e busque sempre a felicidade.

Empreendedorismo passo a passo

Essa missão que requer atitude, força de vontade e disciplina.

Novamente, faz-se necessário ressaltar que não há uma receita de bolo quando o assunto é empreender, e que a soma de diversos fatores inerentes a cada negócio é o que implica no sucesso ou insucesso de uma empreitada. Vamos a alguns pontos importantes:

1) Mais vale uma ideia mediana na mão do que duas inovadoras voando

Ter como ponto de partida uma ideia de negócio é um bom indício de que o resultado pode ser satisfatório. Pense nos prós e contras, na concorrência, no diferencial do seu serviço/produto e no público potencial. Não precisa ser uma ideia inovadora e mirabolante, e sim uma proposta que atenda uma demanda de mercado. Ah, é importante se certificar se há demanda de marcado para o seu futuro negócio.

2) Tenha sinergia com sua área de atuação

Ter afinidade com a área na qual pretende atuar lhe deixará mais confortável nas tomadas de decisão. Pode ser que aquela atividade que é um hobby ou uma segunda fonte de renda se torne a área de atuação de seu negócio, e que a labuta seja acompanhada pela satisfação e plenitude de se fazer o que gosta.

3) Por onde começar?

Depois de você definir sua área de atuação, é necessário saber o que você precisa, inicialmente, para tirar seu projeto do papel. Preciso alugar um imóvel? E equipamentos? Vou possibilitar pagamento com maquininha de cartão?

4) Desenvolva um plano

Organize-se e elabore um roteiro, ou um check-list, com tudo o que sua empresa necessita para abrir as portas. Nele devem constar Análise de Mercado, Plano de Marketing, Plano Operacional, Plano Financeiro, entre outros tópicos.

5) Você, gestor

Seja qual for a sua área de negócio, é altamente recomendada a realização de, pelo menos, um curso de gestão. Você pode ser um expert na área em que irá atuar e, ainda sim, ver seu plano naufragar por falta de conhecimento em gestão de negócios.

Aliás, o SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas é a fonte ideal para obtenção de informações, esclarecimento de dívidas e realização de cursos de capacitação para a abertura de uma pequena ou micro empresa. Se é isso o que deseja, vá em frente e empreenda. Com foco, perseverança, planejamento, organização e vontade de vencer, você inicia essa caminhada com o pé direito.

6) Eu sou muito mão na massa

Saiba que você vai precisar desenvolver algumas competências e caso isso não esteja nos planos, precisará de um socio para te apoiar nessa jornada.

Dica de livro: O MITO DO EMPREENDEDOR - Michael e Gerber

LEIA MAIS

21/05/2022 - 00:35

Carlito Paes

O que guardar?

20/05/2022 - 16:01

VER MAIS
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por