Nossa Região

Conhecida como 'Musa do PCC', Luana Don será julgada nesta segunda-feira

Luana aguardava julgamento na Penitenciária de Tupi Paulista, interior de São Paulo, desde o dia quatro de julho, quando foi presa em Ilhabela por suspeita de envolvimento com a facção criminosa PCC

Da Redação
11/09/2017 às 14:41.
Atualizado em 08/07/2021 às 14:30
Luana era uma das mais procuradas do Estado de São Paulo, com recompensa de R$ 50 mil.  (Divulgação)

Luana era uma das mais procuradas do Estado de São Paulo, com recompensa de R$ 50 mil. (Divulgação)

O julgamento da repórter paulista Luana de Almeida Domingos, conhecida como Luana Don, de 32 anos, sob a acusação de integrar organização criminosa, está marcado para esta segunda-feira (11). Participarão da audiência o juiz Gabriel Medeiros, o promotor Lincon Gakiya e a família da acusada.

Luana aguardava julgamento na Penitenciária de Tupi Paulista, interior de São Paulo, desde o dia quatro de julho, quando foi presa em Ilhabela, por suspeita de envolvimento com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Ela foi detida em uma residência utilizada como seu esconderijo. A ação realizada por policiais civis do Rio de Janeiro contou com o apoio da Polícia Civil de São Paulo. 

Luana era considerada uma das criminosas mais procuradas, figurando na primeira página do portal de procurados da Polícia Civil, com recompensa de até R$ 50 mil por informações que levassem à prisão dela. Havia mandado de prisão preventiva da jornalista pelos crimes de corrupção ativa e por integrar organização criminosa. A polícia informou que a Luana é suspeita de integrar uma célula criminosa do PCC denominada 'sintonia dos gravatas', responsável por transmitir as ordens da cúpula da organização criminosa.

A defesa dela alega inocência —segundo os advogados, ela não sabia que trabalhava para a facção.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por