Guerra

Rússia planeja continuar sua 'operação' na Ucrânia até atingir todas as metas, diz ministro

Ministro da Defesa diz que preservar vidas de militares, excluindo ameaças a civis, são prioridades da 'operação militar especial' da Rússia na Ucrânia

05/07/2022 às 08:46.
Atualizado em 05/07/2022 às 08:46
Guerra na Ucrânia (Divulgação)

Guerra na Ucrânia (Divulgação)

A operação militar russa na Ucrânia continuará até que as tarefas estabelecidas pelo presidente Vladimir Putin sejam totalmente concluídas, disse o ministro da Defesa, Sergey Shoygu, nesta terça-feira.

As prioridades são a preservação da vida e da saúde dos militares russos e a exclusão de ameaças a civis, disse Shoygu em uma reunião com chefes militares em Moscou.

"Os militares russos não vão parar após a libertação completa do território da República Popular de Luhansk. A operação militar especial continuará até que as tarefas definidas pelo comandante supremo sejam totalmente concluídas", disse ele.

O Ocidente continua entregando armas para a Ucrânia, o que, segundo a avaliação de Shoygu, é feito "para prolongar o conflito".

O ministro também observou que mais de 28 toneladas de carregamentos militares foram entregues ao país desde o início da guerra em 24 de fevereiro, enquanto parte deles foi para o mercado negro e foi revendido para o Oriente Médio.

Enquanto isso, o número de mercenários estrangeiros na Ucrânia vem diminuindo, alguns deles perderam a vida em batalhas e outros deixaram o país, disse Shoygu.

"Só nos últimos 10 dias 170 mercenários foram mortos, 99 se recusaram a participar das hostilidades e deixaram o território ucraniano", observou.

Os militares russos, além de realizar operações militares, participam de atividades humanitárias, prestando apoio aos civis "das cidades libertadas" e garantindo a vida pacífica nos territórios controlados pelas tropas russas, disse ele.

Além disso, sustentam a segurança da navegação no Mar Negro e no Mar de Azov, acrescentou.

"Criamos dois corredores humanitários para o movimento de navios civis no Mar Negro (Mar) e no Mar de Azov. O perigo de minas na área de água do porto de Mariupol (na Ucrânia) foi completamente eliminado", disse Shoygu.

Além disso, atividades de grande escala estão sendo realizadas nas regiões ucranianas de Luhansk e Donetsk para limpar as minas. Até agora, mais de 3.700 hectares de terra foram verificados em busca de minas, enquanto mais de 46.300 artefatos explosivos foram encontrados e desarmados, disse ele.

Quase 4.900 civis foram mortos na Ucrânia desde que a guerra com a Rússia começou em 24 de fevereiro.

Mais de 15 milhões de pessoas foram forçadas a fugir de suas casas, incluindo mais de 8,4 milhões que fugiram para outros países, segundo dados da ONU.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por