CPI da Covid

'Gabinete paralelo' da Saúde era ponte entre Prevent Senior e governo, mostra vídeo

Na mira da CPI, operadora de plano de saúde distribuiu kit Covid, com medicamentos ineficazes contra a doença, para pacientes infectados

Agência O Globo - Publicado em 18/09/2021 às 13:25Atualizado há 18/09/2021 às 13:28
A médica oncologista Nise Yamaguchi durante depoimento na CPI (PABLO JACOB / Agência O Globo)

A médica oncologista Nise Yamaguchi durante depoimento na CPI (PABLO JACOB / Agência O Globo)

Após um dossiê em posse da CPI da Covid apontar que o “gabinete paralelo” do Palácio do Planalto atuaram em parceria com a operadora de saúde Prevent Senior, um vídeo reforça que o estudo da empresa com o kit Covid, com medicamentos ineficazes contra a Covid-19, era compartilhado  com conselheiros informais do presidente Jair Bolsonaro.  A gravação foi publicada neste sábado pelo portal “Metrópoles.”

A pesquisa experimental da Prevent Senior foi amplamente criticada por não ter aval de comitê de ética e por esconder dados sobre mortes de participantes após o uso das drogas. A ocultação levou a empresa à mira da CPI da Covid. O estudo foi divulgado pelo presidente Bolsonaro, que, mesmo sem comprovação científica, fez amplamente a  defesa da hidroxicloroquina, usada contra malária, lúpus e artrite reumatoide, no combate ao novo coronavírus.

O vídeo  mostra conversa entre o virologista Paolo Zanotto, da Universidade de São Paulo (USP), e o diretor-executivo da operadora de planos de saúde, Pedro Batista Jr, em maio de 2020. Na conversa, Zanotto fala da imunologista Nise Yamaguchi e do anestesista Luciano Azevedo, aos quais o ex-assessor especial da Presidência da República Arthur Weintraub elogiava como referências do mandatário em relação ao tratamento. 

— Eles estão em Brasília neste momento e estão conversando com o alto escalão do governo brasileiro. Eles estão acompanhando isso, o Pedro sabe, muito mais perto do que vocês imaginam — afirmou o virologista. 

Os três estão no rol de investigados pela CPI. O “gabinete paralelo” foi responsável por aconselhar informalmente o presidente na gestão da pandemia, indo na contramão orientações científicas. Documento assinado por 15 médicos que afirmam ter trabalhado na Prevent Senior sustenta que o grupo não só conhecia, mas também acompanhava de perto das práticas ilegais da empresa.  

— A gente fez um arrazoado de dados do Pedro, Luciano visitou o Pedro, olhou tudo aquilo, trouxe para esse grupo informações impressionantes. Existe um entendimento muito interessante entre a Prevent Senior e o governo federal brasileiro — continuou. 

Pedro Batista Jr confirmou o compartilhamento de informações. Depois, Zanotto ri da administração de superdosagem de zinco no estudo, com 220mg, quando o recomendado é de 20mg. Esse protocolo segue a linha do realizado pelo cientista ucraniano Vladimir Zelenko, defensor da cloroquina. 

Segundo o dossiê, obtido pelo GLOBO e em posse da CPI, a diretoria da empresa “fez um pacto com o gabinete paralelo” para livrar a Prevent de ataques. A operadora foi criticada publicamente pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta em março do ano passado, após registrar grande número de mortes num hospital administrado pelo grupo em São Paulo.

Assuntos

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: