Projetos Especiais

Distrito de Quiririm é o reduto italiano em Taubaté desde 1891

Local é um 'pedacinho da Itália' dentro da cidade e, desde 1989, também é conhecido por conta da tradicional festa italiana; descendentes ainda tentam manter os costumes e a memória dos antepassados que viviam lá

Marcos Eduardo Carvalho@marcosovale78
04/12/2017 às 23:31.
Atualizado em 08/07/2021 às 02:20
Antigos moradores do distrito (Societá 30 de Aprile/Divulgação)

Antigos moradores do distrito (Societá 30 de Aprile/Divulgação)

Um pedacinho da Itália dentro de Taubaté. Esse é o distrito de Quiririm. Quando um grupo de aproximadamente 400 imigrantes italianos chegou à cidade em 1891, começava uma história que dura até os dias atuais. Aquele grupo, que veio à região para plantar arroz, se organizou e, alguns anos depois, formou o reduto dos colonos da 'Velha Bota'. Lá, os italianos foram se consolidando e formando suas famílias. Hoje, praticamente não se tem italianos no local. Porém, seus descendentes ainda estão lá, firmes, para manter a tradição e a cultura italiana em uma das regiões mais charmosas da cidade.

A principal atividade para manter viva a história do distrito é a Festa Italiana de Quiririm, que acontece anualmente desde 1989 e reúne barracas de comidas típicas, shows de músicas e danças italianas. Outra festa tradicional no distrito, e que acontece nos dias 12 e 13 de dezembro, é a Festa de Santa Lucia.

"Uma charrete visita as ruas principais do distrito, acordando as crianças, que colocam um prato com capim embaixo das janelas e ficam esperando a passagem dela, para ganhar doces. Sempre umas 90 ou 100 crianças participam. Outras festas que acontecem aqui são da Imaculada e de Anto Antônio", disse Maria Rosa Pistili, presidente da Societá 30 di Aprile, uma entidade criada e mantida apenas por descendentes de italianos para fomentar as tradições italianas no bairro. A Associação Cultural e o Esporte Clube Quiririm também ajudam a manter as tradições do local. Sobrenomes como Indiani, Guarniéri, Valerio, Canavezzi, Piccini, entre outros, são bastante comuns no bairro.

Segundo ela, logo após o encerramento da Festa Italiana, em maio, os descendentes de italianos que fazem parte dos grupos de dança tarantela já começam a se preparar em agosto para a festa do ano seguinte. "Eles até fazem apresentações em outros lugares da cidade", afirmou Rosa, que é neta de italianos.

O Quiririm conta ainda com diversos restaurantes de comidas típicas e a avenida principal foi, recentemente, revitalizada pela Prefeitura.

EMBELEZA.

Com o passar dos anos, o distrito de Quiririm foi se modernizado, foram surgindo novos prédios, e outros já não existem mais ou se transformaram bastante. Porém, muitas casas ainda conservam ao menos a fachada original dos tempos da colonização italiana.

Os proprietários que não têm condições de fazer a manutenção ganham a ajuda da Societá 30 di Aprile, que realiza bingos e festas para arrecadar dinheiro. "Já fizemos três fachadas no bairro. É um projeto maravilhoso. O pessoal se entusiasmou e já estão pintando outras casas", afirmou a presidente da entidade, Maria Rosa Pistili..

História. Museu da Imigração fica no casarão da Família Indiani (Societá 30 de Aprile/Divulgação)
'Va bene cosi'! (Divulgação)
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por