Festival Excluso, Eu? escancara preconceito e falta de protagonismo das pessoas com deficiência

Da Redação | @jornalovale

A discussão entre “exclusão” e “inclusão” não sai da vida da maioria das pessoas com deficiência, não importa a idade, nem a formação acadêmica. Por isso, um grupo de profissionais com e sem deficiência realizarão, de 25 a 28 de fevereiro, o Festival Excluso, Eu? com transmissão gratuita pelo Youtube.

Com o apoio da companhia teatral Casa das Lagartixas, de São José dos Campos, serão quatro noites de apresentações e debates que colocarão na mesa a participação e o profissionalismo das pessoas com deficiência.

Além dos artistas, a maioria dos profissionais que estão nos bastidores possui alguma deficiência. Estão na direção-geral, nas artes gráficas, na assessoria de comunicação e outras funções.

Uma das inspirações para produzir o Festival Excluso, Eu? é a necessidade que o grupo tem de explorar seu próprio potencial profissional. De acordo com o último Censo, realizado em 2010 pelo IBGE, o Brasil tem uma população de aproximadamente 25% que se declaram com algum tipo de deficiência.

Para a idealizadora do festival, Ariadne Antico, a Palhaça Birita, é preciso cada vez mais se discutir políticas públicas efetivas para as pessoas com deficiência. “Não adianta se debater ações para esse público sem a verdadeira participação delas”, afirma.

Os espetáculos que fazem parte do Festival Excluso, Eu? foram selecionados por, em sua maioria, evidenciar os questionamentos e atitudes em relação aos mais diversos tipos de deficiências.

Um exemplo é o curta-metragem ProfanAção, da Companhia Estela Laponni. da cidade de São Paulo. Ele é protagonizado por cinco artistas com deficiência que se deparam com diversas perguntas enviadas pelo público que revelam a curiosidade em torno de seus corpos.

Já a Companhia Trupe Sentidos, de São José dos Campos, traz o espetáculo Baú de Histórias, uma peça lúdica que desperta no público as necessidades de quebrar as barreiras da comunicação e que as realidades podem mudar.

Ainda na programação artística do festival estão dois monólogos. A atriz cearense Jéssica Teixeira protagoniza a peça Pudesse ser apenas um enigma, onde ela faz uma desmontagem de seu primeiro solo, “E.L.A”, que surge de uma pesquisa de Jéssica a partir do próprio corpo estranho da atriz, produtora e diretora.

O festival contará também com o monólogo Birita, Procura-se, que terá quatro episódios. Interpretada pela palhaça Birita (Ariadne Antico), ela quer encontrar um emprego para pagar as suas contas e atingir suas metas. Mas será que ela está preparada para lidar com as frustrações do mercado de trabalho?

Todos os eventos e materiais de divulgação contarão com recursos de acessibilidade de comunicação: como audiodescrição e intérprete de Libras.

Serviço

Festival Excluso, Eu?

Data: De 25 a 28 de fevereiro de 2021

Exibição Gratuita no Canal da Cia. Casa das Lagartixas

Programação

Dia 25 - Quinta-feira

19h - Birita Procura-se (Ep. 1)

Dia 26 - Sexta-feira

19h - Birita Procura-se (Ep. 2)

22h - ProfanAção

Dia 27 - Sábado

17h –Café com Prosa: O Protagonismo DEF, explodindo territórios

19h - Birita Procura-se (Ep. 3)

22h - Pudesse ser apenas um enigma

Dia 28 - Domingo

15h - Baú de Histórias

17h – Café com Prosa: Políticas e economias DEF

19h - Birita Procura-se (Ep. 4)

* Todos os espetáculos ficarão disponíveis por 24h no canal da Cia Casa das Lagartixas no Youtube.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.