Ligia Kamada e Luise Martins preparam primeiro single do Sollo Duo

Dupla lana o primeiro single do lbum 'Meu corpo, o universo" no dia 22 de novembro, em um show gratuito na Casa de Cultura Flvio Craveiro, na zona sul de So Jos

Thais [email protected]_thaisperez | @_thaisperez

A reconexão entre o corpo, o feminino e a natureza o que levou Ligia Kamada e Luise Martins se unirem para o projeto musical Sollo Duo. Descrito como uma trilha musical, o resultado é como um canto de um pássaro, que se perde no meio dos fios de eletricidade da cidade ou ecoa pela Serra da Mantiqueira.

As duas artistas começaram o projeto no ano passado, principalmente pela vontade de Ligia em fazer algum projeto com uma mulher.

"Sempre estive em bandas com homens, é muito raro ter mulher em uma banda que não seja para chamar atenção", disse Ligia, que participou da banda joseense Salve as Kamadas Líricas.

Ao encontrar Luise, a artista achou outra exceção. Luise era baixista na banda Homens de Melo. Desde que se conheceram, começaram a compor no pé da serra, na casa de Ligia, que fica em Monteiro Lobato.

"Esse processo está sendo longo, tivemos esse tempo para nos conhecer e criar algo que valha a pena", completa Ligia.

Além das músicas que misturam sons urbanos e da zona rural, as artistas realizam um trabalho multimídia em seus shows, com projeções em vídeo mapping, cenas registradas Gabriel Barbosa e Camila Grun.

A dupla vai lançar o primeiro single do álbum 'Meu corpo, o universo" no dia 22 de novembro, em um show gratuito na Casa de Cultura Flávio Craveiro, na zona sul de São José dos Campos. A música se chama "Nupeito" e o projeto foi contemplado pelo FMC (Fundo Municipal de Cultura) de São José.

"Nossas apresentações são introduzidas pelo o canto do pássaro Acauã, que costuma cantar todos os dias aqui em Monteiro", conta.

Tudo isso para se sentir mais conectado consigo mesmo através da música, propondo reflexões sobre o feminismo.

"Queremos falar sobre tudo que nos foi negado por tanto tempo", afirma Ligia.

Inspirada na filosofia oriental, a musicista trata o som do disco como minimalista. No início do projeto, Ligia tocava sozinha, mas decidiu se juntar à Luise após refletir sobre a necessidade de união das mulheres na cena musical.

"Acredito que esse tipo de movimento tem se fortalecido nos últimos anos. Temos muito mais dificuldade, sejam elas técnicas ou não, mas o acontecer só se realiza com o experimentar", finaliza a cantora.

FESTIVAL.

Em janeiro deste ano, Luise Martins e um grupo de produtoras realizou o festival "Lugar Delas", iniciativa que reuniu musicistas, produtoras, fotógrafas, cenógrafas em um mesmo espaço. No próximo ano, acontecerá a segunda edição. Para Luise, a representatividade é o foco desse evento.

"Estou sempre batendo na tecla de que temos que ter mais mulheres nos festivais. O principal fruto, para nós, foi conhecer outras mulheres da área, ver essa rede grande que tem o mesmo objetivo e que o Vale também faz parte dele", disse Luise..

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.