+ Design

é preciso reduzir adesigualdade

Professor da USP e do Insper, o economista Naercio Menezes Filho defende uma renda básica no Brasil

17/03/2021 às 00:00.
Atualizado em 24/07/2021 às 03:32
SP. O secretário Marcos Penido (Arquivo)

SP. O secretário Marcos Penido (Arquivo)

Menos ricos e pobres.

É necessário aumentar a taxação sobre os mais ricos no Brasil e transferir o valor arrecadado para as famílias pobres com crianças, para começar a igualar as oportunidades no Brasil.

Essa é a tese do economista Naercio Menezes Filho, professor da USP (Universidade de São Paulo) e do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa).

"O Brasil é extremamente desigual, em que o 1% mais rico se apropria de uma parcela imensa da renda nacional. Assim, as oportunidades para realização de projetos de vida são muito desiguais também".

Segundo ele, concentrar os recursos de proteção social nas famílias pobres com filhos seria uma forma mais eficaz e menos custosa de garantir a igualdade de oportunidades à futura geração de brasileiros.

A medida serviria para "começar a igualar as oportunidades no Brasil", país "extremamente desigual". Mas Menezes Filho não vê chance de a taxação prosperar no governo Jair Bolsonaro. "Não acredito que o governo atuasse na direção de taxar os mais ricos".

O economista diz que a pandemia acentuou as desigualdades no Brasil, tanto com relação à mortalidade pela Covid quanto pela queda de renda e emprego entre os mais pobres, como pela falta de condições de estudar à distância entre as crianças nas escolas públicas.

"O programa de renda básica emergencial foi bem sucedido em atenuar os efeitos da pandemia entre os mais pobres, deixando claro para a sociedade que é possível melhorar as condições de vida das famílias mais vulneráveis de forma rápida e eficaz, o que despertou o sentimento de que devemos melhorar a nossa rede de proteção social", afirmou ele.

Para funcionar, afirmou ele, um programa de renda básica deve transferir um volume maior de renda para as famílias mais pobres com crianças pequenas, de forma que elas consigam "ter o suficiente para comprar alimentos, roupas, produtos de higiene e para pelo seu transporte e habitação".

Segundo ele, segundo evidências científicas, os seis primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento cerebral e das habilidades cognitivas e socioemocionais das pessoas. Portanto, longos períodos de estresse nessa fase da vida podem ter consequências dramáticas para o desenvolvimento das crianças. "Assim, temos que proteger as crianças nessa fase da vida. Isso faria com que o Estado economizasse no futuro, pois não teria mais que gastar com programas de transferência de renda, construção de presídios, hospitais para esses adultos",

Na prática, ele propõe a ampliação do Bolsa Família: "Tem que transferir R$ 800 para as famílias pobres que têm crianças e manter os valores atuais para as famílias sem crianças. Isso faria com que essas crianças pudessem crescer em um ambiente saudável e sem o estresse da falta de renda".

O dinheiro para financiar o programa viria da taxação sobre os mais ricos. "Quem nasce numa família pobre já começa com uma desvantagem muito grande. Isso faz com que o crescimento da produtividade seja baixo", disse..

Estrutura. Prefeitos pedem por ampliação de leitos nos Hospitais Regionais de S. José e do Litoral Norte (foto)r (Divulgação)
Izaias Santana (PSDB) (Vitor Fracchetta/OVALE)
plano Sp.rGovernador João Doria (PSDB) durante anuncio da fase emergencial, a mais restritiva até hoje no Plano SP (Divulgação)
Saúde. Leitos (Cláudio Vieira/PMSJC)
Leitos para pacientes com coronavírus (ValterPontes)
Superedição (Sergio Andrade)
isolamento (Fotos Públicas)
Governo. O Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (Divulgação)
Superedição (Divulgação)
análise biológica (Cláudio Vieira/ PMSJC)
Epicentro. Brasil transformou-se no foco principal em todo o mundo (Divulgação)
CONTRADIÇÃO. Bolsonaro fez pronunciamento na última terça-feira, em Brasília, sobre a crise sanitária no país (Divulgação)
ButanVac. Anúncio do desenvolvimento da nova vacina contra a Covid-19, que será 100% nacional (Governo de São Paulo)
vacina (Divulgação)
Covas (Divulgação)
Reunião. Encontro entre poderes no início da semana para selar um pacto de união durante a crise da Covid-19 no país (Marcos Correa/Presidência da República)
Marcelo Queiroga (Divulgação)
Luiz Fux (Divulgação)
Arthur Lira (Divulgação)
Rodrigo Pacheco (Divulgação)
Vale Histórico. De acordo com o prefeito, população não deve baixar a guarda contra o coronavírus (Bruno Motta/OVALE)
Fachada do IPMT (Instituto de Previdência do Município de Taubaté) (Divulgação/CMT)
Palácio do Bom Conselho, sede da Prefeitura de Taubaté (Divulgação/PMTr)
Câmara de Taubaté (Caíque Toledo/OVALE)
Legenda. legenda Leg (Divulgação)
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por