Sessão Extra: Pagamento ao CAF deve tornar 2022 um ano ‘mais difícil’, diz secretário

Empréstimo em dólar assinado pela Prefeitura de Taubaté em dezembro de 2017 começará a ser pago em junho do ano que vem, com o real mais desvalorizado

Ano difícil
O secretário interino de Administração e Finanças de Taubaté, Marco Antônio Campos, disse que 2022 será um ano “mais difícil” para a Prefeitura, devido ao início do pagamento do empréstimo do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina).
CAF
“Ano que vem vai ser mais difícil, vamos pagar R$ 60 milhões de dívida do CAF, vai impactar e muito nos investimentos da cidade”, disse Campos, em audiência na Câmara para debater o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2022.
Orçamento
No ano em que começará a pagar o empréstimo, a Prefeitura deverá ter queda na receita: o orçamento estimado para 2022 é de R$ 1,066 bilhão, uma queda de 8,4% sobre o montante fixado para 2021 (R$ 1,164 bilhão) – a diferença é de R$ 98 milhões.
Não existe mágica
“Pegamos uma herança de dívida muito grande que é responsabilidade nossa sanar, mas nenhum administrador faz mágica se não tiver receita”, afirmou o secretário.
Transferências
Campos explicou que 67% das receitas do município vêm de transferências correntes. “O país estando em crise, as transferências governamentais sendo reduzidas, implica e muito na receita municipal”, afirmou.
Empréstimo
Assinado em dezembro de 2017, o empréstimo do CAF foi de US$ 60 milhões. Com conversões feitas automaticamente no dia de cada repasse, a Prefeitura recebeu um total de R$ 244,426 milhões – ou seja, em média recebeu cada dólar a R$ 4,07.
Dólar
A quitação do empréstimo começa em 1º de junho de 2022 e termina em 1º de dezembro de 2027. Pela cotação atual da moeda americana, a Prefeitura teria que pagar R$ 303,96 milhões. Ou seja, perderia R$ 59,5 milhões apenas pela desvalorização do real nos últimos anos.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.