Sessão Extra: Comus aprova contas do 1º quadrimestre em São José

Saúde

Membros do Comus (Conselho Municipal de Saúde) de São José dos Campo aprovaram na semana passada o relatório de prestação de contas da Secretaria de Saúde do primeiro quadrimestre de 2020.

Pandemia

Embora os eventos públicos estejam suspensos na Câmara, em razão da pandemia da Covid-19, foi autorizada a realização da reunião do Comus, respeitando regras de distanciamento, o uso obrigatório de máscara e a disponibilização de álcool em gel nas dependências do Legislativo.

Área

De janeiro a abril deste ano, a Prefeitura destinou R$ 184 milhões para a área da saúde – de um total de R$ 758 milhões arrecadados, o que corresponde a 24,3% da receita.

Repasses

No período, a pasta também recebeu recursos vinculados, que são repasses federais, estaduais, multigovernamentais e de instituições privadas, que incluíram R$ 72 milhões. Entre os meses de março e abril, parte dessa receita, R$ 20,8 milhões, foi destinada para uso exclusivo em ações de combate ao novo coronavírus, como a aquisição de serviços e produtos.

Despesas

No quadrimestre, as despesas mais representativas foram com serviços terceirizados, com o pagamento de R$ 87 milhões para serviços prestados em unidades como Hospital Municipal, Hospital de Clínica Sul, Ambulatório da Mulher, UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Putim, Alto da Ponte e Campo dos Alemães.

Gastos

Outras despesas incluem folha de pagamento dos servidores (R$ 58 milhões), serviços contratados (R$ 32 milhões), como médicos e clínicas para exames laboratoriais e de imagem, e material de consumo (R$ 11 milhões), como medicamentos e materiais farmacológicos.

Concursos

Balanço divulgado pelo governo Felicio Ramuth (PSDB) aponta que, entre 2017 e 2020, a Prefeitura de São José efetivou mais de 1.800 profissionais aprovados em concursos públicos.

Comparativo

Segundo o balanço, foram realizados 25 concursos públicos em três anos, de 2017 a 2019. Entre 2013 e 2016, no governo Carlinhos Almeida (PT), teriam sido 16 concursos.

Arco da Inovação

Após o jornal noticiar que, segundo um laudo pericial, o trânsito no Arco da Inovação deve ficar saturado já a partir de 2025, o vereador Wagner Balieiro (PT) fez críticas ao governo Felicio.

Prioridades

Balieiro afirmou que a ponte estaiada não estava “prevista em lugar algum”, foi construída “sem nenhum debate e com um financiamento indireto deixando para as próximas gestões pagar a conta de milhões [o custo ficou em R$ 60,972 milhões]” e que o montante poderia ter sido investido “em outras obras e serviços mais importantes para a nossa população”.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.