Sessão Extra: Felicio diz ser ‘fake news’ denúncia de sobrepreço em compra da prefeitura

Fake news

O prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), publicou um vídeo nas redes sociais em que diz ser ‘fake news’ uma postagem que apontava que o município havia pagado 20% mais do que a Prefeitura de Lorena para comprar máscaras de uma empresa, sem licitação.

Valores

A postagem dizia que Lorena havia pagado R$ 2 por máscara e São José R$ 2,40. No vídeo, Felicio mostrou a ordem de fornecimento, que aponta que cada uma das 400 mil máscaras foi adquirida por R$ 1,47.

Picareta

“Não sabe nem fazer conta na hora de ler uma autorização de fornecimento. É lamentável que a gente tenha que conviver com gente assim na nossa cidade”, disse Felicio, que chamou o autor da postagem de “picareta”, sem citar o nome dele.

Idiotas

“É gente conhecida [que fez a postagem], que a Justiça insiste em manter suas páginas abertas, [mesmo] com insistentes pedidos [nossos] para que a gente possa banir esse pessoal das páginas da internet e quem sabe um dia da cidade, que eles resolvam mudar daqui”, disse o tucano. “Eu não vou dar o nome do site porque não vou fazer propaganda de idiotas”, completou.

MP e PF

“Ele [autor da postagem] pergunta assim: 'Ministério Público e PF [Polícia Federal], cadê vocês?'. Olha, Ministério Público e PF, vocês já viram lá o negócio das fake news. Deviam estar visitando a porta da casa de cada um de vocês responsáveis por esse tipo de idiotice”, prosseguiu o prefeito.

Repúdio

“Vamos repudiar essas fake news que rodam por aí. É lamentável. Vamos ver se a Justiça consegue ser ágil e acabar de vez com essas brincadeiras na nossa cidade. Brincadeiras de mau gosto”, finalizou Felicio.

Autor

O autor da postagem é o comerciante Eduardo Sivinski, que cogita ser candidato a prefeito ou a vereador pelo Avante. Ele costuma fazer diversas publicações contra o governo Felicio.

Errei, mas…

Em nova publicação, Sivinski admitiu o erro no valor da máscara, mas disse que o equívoco foi ocasionado por falta de transparência da prefeitura. “Acabei de sair do cartório aonde filmamos e mostramos ata notarial de cartório que esse contrato não consta no portal da transparência, não consta as notas de pagamentos. Só consta no link do coronavírus a compra, mas não específica valor unitário [sic]”.

Faltam explicações

Sivinski também disse que Felicio deveria se explicar também sobre outras denúncias feitas pelo comerciante, como aquisição de produtos de uma “empresa com endereço fantasma”, “compra de máscara com a empresa de instrumento musical” e “compra do mesmo produto de 3 fornecedores com preços muito diferentes”.

Pobre Churchill

Por falar em fake news, o perfil Direita Vale compartilhou a postagem feita por dois filhos do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo e Flávio, que atribuiu a Winston Churchill uma frase nunca dita pelo famoso premiê britânico: "os fascistas do futuro chamarão a si mesmos de antifascistas".

Pesquisa

Após confusão no mês passado, será realizada essa semana em São José dos Campos a segunda fase da pesquisa do Ministério da Saúde que medirá o nível de imunização da população brasileira para identificar de que forma o vírus está se propagando pelo país. O levantamento será feito entre os dias 4 e 6 de junho.

Estudo

Financiada pelo Ministério da Saúde, a pesquisa é coordenada pela Universidade Federal de Pelotas e feita pelo Ibope. Ainda está prevista uma terceira e última fase, 14 dias depois do término dessa etapa.

Confusão

A pesquisa é feita em 133 municípios. Na primeira etapa, no mês passado, em cerca de 40 cidades as equipes foram impedidas de atuar pelas prefeituras. Uma delas foi São José dos Campos.

Detenção

Em São José, no dia 14 de maio, dois pesquisadores chegaram a ser detidos pela GCM (Guarda Civil Municipal) no dia 14 de maio por, segundo a prefeitura, estarem realizando coleta de amostra biológica sem equipe técnica supervisionada por profissional de nível superior legalmente habilitado e por fazerem uso de produtos de diagnóstico sem comprovação de regulamentação na Anvisa.

Estudo prejudicado

Na época, o reitor da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Hallal, que coordena o projeto, criticou a ação das prefeituras. "Temos profissionais de braços cruzados porque não podem atuar. Atrapalha o estudo e desperdiça o dinheiro público investido na ação".

Sem mais problemas

Dessa vez, a Prefeitura de São José disse ter sido notificada sobre a pesquisa. “Para esta segunda fase, a Ibope informa que haverá treinamento metodológico e de biossegurança de todos os entrevistadores que irão a campo. Para isso, foram contratados dois profissionais de enfermagem para cada um dos municípios participantes da pesquisa, com o intuito oferecer suporte técnico aos entrevistadores em campo e estreitar o contato com as autoridades locais”, informou o município.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.