Política

Cade confirma cartel em licitações da FDE e multa em R$ 37 milhões as três empresas do caso

Após denúncia do caso FDE, que envolve a família Ortiz, Conselho Administrativo de Defesa Econômica descobriu um grande esquema que envolvia seis empresas que fraudavam licitações em pelo menos quatro estados; ao todo, as multas aplicadas ao grupo somam R$ 97,4 milhões

Julio Codazzi@juliocodazziPublicado em 26/06/2021 às 02:00Atualizado há 24/07/2021 às 01:07
BALL (D)

BALL (D)

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) condenou esse mês seis empresas e 12 pessoas por formação de cartel em licitações para aquisição de uniformes e kits de materiais escolares. As multas aplicadas somam R$ 97,4 milhões.

A decisão cita certames realizados entre 2007 e 2012 em diversos estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Goiás. O caso principal, no entanto, envolve dois pregões realizados pela FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação) em 2011, durante a presidência de José Bernardo Ortiz (PSDB), ex-prefeito de Taubaté, e que teriam tido a participação de Ortiz Junior (PSDB), também ex-prefeito da cidade.

Bernardo Ortiz e Ortiz Junior são citados no processo e na decisão, mas não constam entre os condenados, já que o Cade tem autonomia apenas para investigar e punir empresas e pessoas ligadas a elas. No entanto, a conclusão do órgão será remetida ao Ministério Público, que em 2012 denunciou os dois tucanos e três das empresas por improbidade administrativa – desde então, eles estão com os bens bloqueados. O processo ainda aguarda decisão de primeira instância.

Entre as três empresas condenadas pelo Cade estão as três citadas no processo do MP contra o clã Ortiz: Capricórnio (multada em R$ 17,1 milhões), Diana Paolucci (R$ 18,8 milhões) e Mercosul (R$ 1,7 milhão). Executivos ligados a essas empresas também foram multados.

PROVAS.

A investigação teve início em 2012, após denúncia feita pelo lobista Djalma Santos, que é de Taubaté e firmou acordo de leniência (uma espécie de delação premiada). Ele afirmou que Ortiz Junior o chamou para intermediar a participação do cartel de empresas em licitações da FDE. Assim, os certames seriam direcionados para o grupo, em troca de propina.

Com base na denúncia, o Cade obteve autorização judicial para realizar, em setembro daquele ano, operação de busca e apreensão na sede das empresas citadas. Em computadores apreendidos, foram localizadas conversas em que os empresários, teoricamente concorrentes, combinavam atuação em diversas licitações pelo país.

Segundo a conclusão do Cade, o cartel fraudou duas licitações da FDE, realizadas no mesmo dia – uma para compra de mochilas e outra de kits escolares.

Clã Ortiz e empresas citadas no caso da FDE negam qualquer irregularidade

A denúncia de improbidade administrativa, feita pelo MP em 2012, cita uma dessas licitações da FDE, para a compra de mochilas escolares. Segundo a Promotoria, Ortiz Junior recebeu propina equivalente a 5% do contrato, o que representou R$ 1,74 milhão, que teria sido destinado a sua campanha para prefeito em 2012. Essa ação deu origem ao processo na esfera eleitoral em que o tucano teve o mandato cassado em três instâncias, mas conseguiu reverter a decisão em um último recurso, em 2016.

O clã Ortiz e as empresas citadas negam qualquer irregularidade. Sobre a decisão do Cade, Ortiz Junior ressaltou que não era parte no processo. “Não sou réu, não fui intimado e tampouco me manifestei em qualquer fase preliminar de investigação”.

Pride Rose (Divulgação)
superedição (Divulgação)
Imunização. Registro de vacinação na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim Satélite, na zona sul (Cláudio Vieira/PMSJC)
Secretária de Saúde de São José, Margarete Correia (CLAUDIO VIEIRA/PMSJC)
Benefício. Programa de Regularização foi instituído no dia 27 de maio (PMJ)
SAAE (ALEXBRITO)
Pró-lAr (ALEXBRITO)
Tratamento. Variantes acendem alertas de especialistas na região (Adenir Britto/PMSJC)
Vítima foi grávida de 42 anos do norte do Paraná. (Handout)
No drugs composition with isolated colored icon set red prohibition sign and title no drugs vector illustration (Freepik)
Legenda. legenda Leg (Divulgação)
Calçadão de São José dos Campos, em retomada comercial (Adenir Britto/CMSJC)
Covid-19. Doze hospitais do Vale estão com 100% ou mais de ocupação em leitos de UTI Covid (Hélia Scheppa/SEI)
Os ex-prefeitos Ortiz Junior e Bernardo Ortiz, do PSDB (Rogério Marques/Arquivo OVALE)
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: