Governo Saud diz à Câmara ter economizado R$ 2 milhões em três áreas da Prefeitura

Economia teria sido observada em janeiro e fevereiro nas secretarias de Serviços Públicos, Esporte e Lazer e Turismo e Cultura

O governo José Saud (MDB) informou à Câmara ter economizado ao menos R$ 2,021 milhões em três áreas nos primeiros dois meses do ano. A informação foi prestada em resposta a um requerimento do vereador Dentinho (PSL), que havia sido aprovado pelo plenário.
Das 10 secretarias municipais citadas na resposta, três traduziram em números de quanto teria sido a economia no período. O maior montante foi observado na pasta de Serviços Públicos, que alegou que deixou de gastar R$ 1,422 milhão com a suspensão de um aditamento do contrato de jardinagem.
A Secretaria de Esportes e Lazer disse ter economizado R$ 357 mil nos dois primeiros meses do ano, mas não explicou como. Já a pasta de Turismo e Cultura afirmou que a economia foi de R$ 242 mil, com a não realização de eventos como a Festa de São Sebastião e o Carnaval.
ÁREAS.
Outras quatro secretarias disseram que têm buscado reduzir as despesas, mas não fizeram um balanço do quanto teriam deixado de gastar em janeiro e fevereiro.
A pasta de Administração e Finanças, por exemplo, alegou que “vem gerenciando minuciosamente as finanças”. A de Desenvolvimento e Inovação argumentou que medidas como digitalização dos processos, melhor utilização de veículos e redução de horas extras foram adotadas para “otimizar os trabalhos”.
A Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social informou que “vem desenvolvendo suas atividades com o orçamento reduzido, mantendo apenas as despesas de manutenção básica dos serviços públicos”.
A pasta de Planejamento alegou que “vem gerenciando as finanças, tendo como objetivo a diminuição das despesas sem prejuízo ao funcionamento da secretaria”.
DESPESAS.
Já a Secretaria de Saúde informou que, com a realização "incansável de todas as ações necessárias para conter o avanço da pandemia", é a "área mais afetada" financeiramente, "por conta do grande aumento de preço dos materiais médicos hospitalares e de medicamentos, do aumento do consumo de oxigênio e da taxa de ocupação dos leitos de UTI e clínica médica".
A pasta alegou ainda que, como "está despendendo de todos os recursos necessários para melhor atender aos usuários do SUS em nosso município e assim evitar um colapso sem precedentes", é "inviável dizer que houve redução de custos vinculados aos serviços de saúde".
SEM CORTES.
A PGM (Procuradoria Geral do Município) alegou que, como o orçamento da pasta é "voltado basicamente ao custeio de pessoal", tornam-se inviáveis "quaisquer cortes significativos sob pena de atingir os vencimentos dos servidores".
A Secretaria de Meio Ambiente informou que "não houve corte de gastos uma vez que o orçamento da pasta já se encontra enxuto".
PROMESSA.
Na eleição de 2020, o prefeito José Saud (MDB) afirmou que economizaria R$ 30 milhões em 100 dias, “cortando gastos com mordomias, como carro oficial, celular e cartão de crédito corporativo, e revendo contratos”.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.