Administração/Finanças: conheça as principais propostas dos candidatos de São José

A convite do jornal, candidatos ao Paço Municipal listam aquelas que consideram suas três principais propostas para essa área

A partir dessa segunda-feira (26), OVALE irá listar as principais promessas dos candidatos a prefeito de São José dos Campos.

Serão, ao todo, 10 publicações. Cada uma trará as principais propostas de cada candidato para uma determinada área: Administração/Finanças, Assistência Social, Cultura, Educação, Emprego, Esporte, Habitação, Mobilidade Urbana, Saúde e Segurança.

A série será aberta com as propostas para Administração/Finanças. Cada candidato foi convidado a listar os três principais projetos para essa área.

Confira abaixo as propostas de cada um (conforma combinado com os partidos, a ordem de aparição respeita a data de envio do material pelos candidatos):

ANDERSON SENNA (PSL)

-Implantar um planejamento integrado, baseado em diretrizes e planos com metas e objetivos bem definidos, trabalhando em conjunto para apresentar soluções e atender a necessidades das pessoas de forma rápida e eficiente.

-Enxugar a máquina pública, diminuir o número de secretários e de cargos comissionados em até 40% de forma gradual, sem deixar de atender a população.

-Valorizar os servidores públicos municipais com ferramentas de avaliação de desempenho e ascensão funcional por mérito.

JOÃO BOSCO (PCdoB)

-Usar a Ciência de Dados, visando a desburocratização e agilização no acesso aos dados e informações disponíveis.

-Ações para o funcionalismo, como revogação da cobrança dos 14% de alíquota previdenciária; realização de concursos públicos, principalmente nas áreas da Saúde e Educação; unificação do Plano de Carreira dos Professores; e pôr fim às terceirizações e à pejotização, especialmente dos médicos.

-Aperfeiçoar os mecanismos de participação popular na elaboração do planejamento e das peças orçamentárias e auditar as dívidas e compromissos herdados das administrações anteriores.

MARINA SASSI (PSOL)

-Reavaliação de todos os contratos estabelecidos e avaliação criteriosa dos investimentos visando combater o desperdício dos recursos públicos

-Política de valorização da administração e do funcionalismo público, combatendo a terceirização em amplos setores, principalmente nas áreas da saúde, educação e segurança pública, bem como substituir os cargos de confiança por funcionários de carreira, visando eliminar o empreguismo político e valorizar o servidor concursado.

-Estabelecer IPTU maior para os ricos e super-ricos da cidade e para as áreas especulativas.

WAGNER BALIEIRO (PT)

-Retomar o Orçamento Participativo e avançar na transparência total dos dados da Prefeitura, para que a população tenha voz e voto na definição das prioridades da gestão;

-Informatizar 100% dos serviços municipais, facilitando a vida do cidadão que busca o atendimento público;

-Valorizar os servidores, realizando novos concursos públicos para recompor o quadro de pessoal da administração devido às aposentadorias e exonerações, garantindo a qualidade dos serviços prestados aos munícipes.

RAQUEL DE PAULA (PSTU)

-Criação de conselhos populares em fábricas e locais de trabalho, onde a população decidirá por si mesma como resolver suas carências, sem ficar na falsa democracia onde só privilegiados decidem.

-Taxação de grandes propriedades e fim da isenção fiscal dos ricos e das empresas que demitirem, com a criação de uma lei de responsabilidade social.

-Auditoria da dívida pública municipal e suspensão do pagamento aos grandes bancos.

CORONEL ELIANE NIKOLUK (PL)

-Valorização dos servidores: criaremos a Escola de Gestão e ampliaremos o diálogo com os servidores, para participarem dos processos decisórios.

-Gabinete de crise e transparência: faremos um diagnóstico das contas públicas, com levantamento das dívidas e revisão dos contratos, viabilizando um planejamento estratégico que garanta serviços de qualidade e os investimentos prioritários no pós-Covid, com transparência total.

-Trabalho em Rede: vamos fortalecer os conselhos e audiências públicas, e articular redes de trabalho em parceria com a iniciativa privada para implementação de soluções inovadoras.

DR. CURY (PSB)

-Nortear a execução do orçamento anual, de quase R$ 3 bilhões, com base na priorização do bem-estar da população joseense, focando em investimentos que façam diferença na vida das pessoas, especialmente na área da saúde.

-Atuar com eficiência na gestão dos recursos públicos, aprimorando os mecanismos de transparência e fiscalização dos gastos públicos.

-Enxugar os gastos desnecessários da máquina pública, adequando as despesas de pessoal para que sirvam para a valorização do funcionalismo.

RENATA PAIVA (PSD)

-Tecnologias para assegurar transparência, a correta aplicação dos recursos e combater a corrupção, tornando permanente o departamento de auditoria e transparência.

-Unificar o sistema de dados, assegurando a desburocratização de processos, motivando servidores, aumentando a produtividade e os serviços aos munícipes.

-Implantar sistemas de racionalização de recursos, reavaliação dos contratos e dos investimentos, visando combater o desperdício do dinheiro público e endividamento municipal.

FELICIO RAMUTH (PSDB)

-Continuar pagando os fornecedores em dia e manter o caixa da Prefeitura no verde, consolidando a credibilidade de “bom pagador” que o município readquiriu nesta gestão.

-Manter o pagamento do gatilho salarial dos servidores.

-Garantir o crescimento do orçamento municipal, mesmo após a pandemia, para investir em novas escolas, mais equipamentos públicos e melhorias no atendimento à Saúde.

PROFESSOR AGLIBERTO (NOVO)

-Reforma administrativa com foco na redução de 70% dos cargos comissionados não concursados (o que já promoverá uma economia de R$ 50 milhões por ano), revisando ainda cargos e funções para a reformulação dos processos administrativos com a implementação de tecnologias de gestão eficiente.

-Venda de todos os veículos oficiais e não operacionais da Prefeitura.

-Revisão do código tributário para diminuir a carga de impostos de atividades econômicas estratégicas para o município, contemplando a redução da burocracia para abertura de novos negócios, a fim de favorecer, principalmente, pequenos empreendedores.

LUIZ CARLOS (PTC)

O candidato não enviou as propostas ao jornal.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.