S.José pagou R$ 468 mil pela distribuição de cestas básicas

Serviço foi executado por 169 transportadores escolares, que estão sem trabalhar e sem renda desde março, devido à suspensão das aulas; medida foi adotada pelo município para tentar conter insatisfação da categoria

Da redação @jornalovale | @jornalovale

A Prefeitura de São José dos Campos pagou um total de R$ 468 mil aos transportadores escolares que atuaram na entrega das cestas de alimentação doadas pelo governo estadual para famílias em situação de extrema pobreza durante a pandemia do coronavírus.

O custo das 28.484 cestas coube ao Estado. Já o município ficou responsável pela logística de distribuição.

Para fazer as entregas, a Prefeitura convidou os transportadores escolares que prestam serviço no município e que, com a suspensão das aulas desde março, estão sem trabalhar e sem renda. Segundo a administração, 169 deles aceitaram atuar na distribuição dos alimentos, de porta em porta.

Segundo o contrato, o pagamento foi por quilômetro rodado. Portanto, os valores pagos variaram de acordo com a distância percorrida pelo profissional. Teve transportador que recebeu R$ 141,56. Por outro lado, teve quem ganhou R$ 5.724,24. A remuneração média ficou em R$ 2.771,48.

O convite para que os transportadores auxiliassem na distribuição das cestas, entre o fim de maio e o início de julho, foi feito como uma forma de atenuar o prejuízo da categoria e também conter a insatisfação do grupo.

E essa não foi a única medida adotada. Em abril, por exemplo, após protestos dos transportadores, a Prefeitura antecipou o pagamento que esses profissionais receberiam depois da retomada das aulas. A antecipação, no valor de R$ 3 mil por contrato, foi paga por dois meses seguidos. O valor antecipado será descontado do contrato de prestação de serviço, podendo ser parcelado até 31 de dezembro de 2020.

Mesmo assim, no início de julho os transportadores fizeram novos protestos, em que reivindicaram auxílio de um salário mínimo durante a pandemia, isenção do ISS (Imposto Sobre Serviços), prorrogação do período de alvará e ampliação, em pelo menos um ano, do período de vida útil dos veículos..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.