Estatístico vê 'efeito de segunda onda' em alta de casos em S.José

DADOS. O aumento dos casos de Covid-19 em São José tem um efeito de 'segunda onda' em paralelo com a primeira, como se estivessem sobrepostas e acumulando casos.

A avaliação é do estatístico Paulo Barja, professor da FEAU (Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo) da Univap (Universidade do Vale do Paraíba). Ele acompanha diariamente os dados epidemiológicos das principais cidades da região.

"Em vários lugares houve a retomada comercial e tem sido relatado comportamento de uma segunda onda. Volta a acelerar. Mas há diferenças com o que ocorre aqui", disse Barja. "Em outros países, a curva estava mais controlada e aqui ainda estávamos subindo de forma significativa quando reabrimos. Por isso, não temos essa clareza de duas ondas separadas aqui porque ainda estávamos numa crescente."

Segundo ele, os dados mostram que essa "segunda onda" está "mais grave do que a primeira", o que torna a flexibilização mais arriscada..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.