'Pele de vidro' deixará Arena de Esportes R$ 2 milhões mais cara

Contrato prevê aplicação de vidro temperado nas fachadas e camarotes do complexo esportivo; custo total da obra, iniciada ainda no governo Cury, ultrapassa R$ 60 milhões

A conclusão da Arena de Esportes de São José dos Campos vai ficar R$ 2,097 milhões mais cara. Esse será o custo de um contrato à parte, que prevê a instalação de 'pele de vidro' em toda a fachada do complexo.

Bastante comum em edifícios corporativos, a 'pele de vidro' é um método de aplicação de vidros temperados e laminados em fachadas. A técnica visa ocultar os perfis estruturais de alumínio, mirando ganhos estéticos. Ao todo, devem ser instalados 1.724,20 metros quadrados de vidro na fachada e nos camarotes da arena.

Iniciado em maio, o processo licitatório tinha custo máximo de R$ 2,635 milhões. A tomada de preço foi vencida pela construtora Porto Belo Engenharia e Comércio, de Goiás, que é a mesma empresa responsável pela conclusão da obra da arena. O contrato da 'pele de vidro' foi assinado em 6 de julho, com prazo de duração de cinco meses. Ou seja, a estimativa é de que seja finalizado em dezembro, que é o mês de previsão de entrega do complexo esportivo.

Questionado pela reportagem, o governo Felicio Ramuth (PSDB) explicou que a 'pele de vidro' estava prevista na licitação para conclusão da obra da arena, lançada no início de 2019 pela gestão tucana, "mas o seu quantitativo teve que ser adequado à realidade da obra". Por isso, segundo o governo Felicio, "optou-se por uma nova licitação como alternativa para buscar uma redução do preço, o que de fato ocorreu". A gestão tucana alegou também que, "por já estar na obra, a empresa [Porto Belo] teve condições de vencer o certame licitatório ofertando o menor preço em relação aos demais concorrentes".

Iniciada em 2011, no penúltimo ano do governo Eduardo Cury (PSDB), a arena deveria ter ficado pronta em agosto de 2012, mas a gestão tucana foi encerrada quatro meses depois e deixou a obra com cerca de 40% de execução. O contrato foi rescindido em 2014 pelo governo Carlinhos Almeida (PT), quando já haviam sido pagos R$ 13,463 milhões do valor orçado inicialmente (R$ 33,4 milhões). Iniciada em maio de 2019, a conclusão da arena pelo governo Felicio custaria mais R$ 41,845 milhões. Mês passado foi assinado um aditamento de R$ 3,529 milhões, para a inclusão de serviços com luminárias de LED. Com a 'pele de vidro' e o gasto em governos anteriores, o custo total da obra chegou a R$ 60,935 milhões.

Arena de Esportes de São José tem a entrega prevista para mês de dezembro

Nos primeiros 12 meses de trabalho, a obra de conclusão da Arena de Esportes avançou 57,86%. O número representa o que foi feito entre os dias 14 de maio do ano passado e 14 de maio desse ano, de acordo com a última medição oficial divulgada pela construtora Porto Belo.

De acordo com o cronograma, a obra deveria ter atingido 67,91% de execução nos primeiros 12 meses. O governo Felicio alega que “são oscilações naturais de uma obra de grande porte, mas que não interferem no prazo de entrega” – ou seja, a entrega segue mantida para 14 de dezembro.

Ao lado do ‘Teatro Invertido’, a arena inacabada foi um dos marcos do governo Cury. Na gestão Carlinhos, a Câmara chegou a fazer uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar supostas irregularidades no caso. Concluir a obra foi promessa de Felicio na campanha de 2016.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.