Mortes no trânsito caem 21% na RMVale no primeiro semestre

Região teve o primeiro semestre do ano com menos mortes no trânsito em série histórica do Infosiga, desde 2015; quarentena e isolamento social contribuíram para reduzir óbitos

Xandu [email protected] | @jornalovale

A quarentena e o consequente isolamento social provocaram queda no movimento nas estradas e nas cidades do Vale do Paraíba, reduzindo os acidentes fatais, segundo apontam dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo).

As mortes em acidentes de trânsito caíram 21% na região no primeiro semestre, com 146 óbitos contra 184, no mesmo período do ano passado.

Trata-se da menor quantidade de vítimas no trânsito da região para o primeiro semestre de toda a série histórica do Infosiga, desde 2015.

Em 2018, de janeiro a junho, 169 pessoas morreram em acidentes de trânsito na região, com 150 vítimas em 2017, 210 em 2016 e 213 em 2015.

O Vale foi a quarta de 16 regiões do estado de São Paulo com o maior percentual de queda nas mortes em acidentes, atrás de Franca (-32%), Presidente Prudente (-28%) e Central (-26%).

Em todo o estado, os óbitos no trânsito recuaram 11% no primeiro semestres: 2.321 mortes neste ano contra 2.596 em 2019.

CIDADES.

Maior frota de veículos do Vale --mais de 440 mil-- e ainda cortada por rodovias, São José dos Campos anotou uma queda de 9% nas mortes em acidentes nos seis primeiros meses do ano (31 contra 34).

Os números da cidade mostram bem o impacto da quarentena nos acidentes de trânsito. Em junho, mês de reabertura comercial e maior movimentação de veículos, a cidade registrou oito mortes no trânsito neste ano, mesmo número do ano passado.

Nos três meses anteriores, com a necessidade de isolamento, os índices foram de queda nas mortes: -40% em maio, -43% em abril e -20% em março, sempre comparado ao ano passado.

Em Taubaté, mesmo com o isolamento social, as mortes aumentaram neste ano, com 27 contra 22 no primeiro semestre do ano passado, um crescimento de 23%.

Guaratinguetá e Jacareí reduziram os óbitos, com -63% (6 contra 16) e -14% (12 contra 14), respectivamente.

RODOVIAS.

Mesmo com aumento no volume de veículos nos dois últimos meses do primeiro semestre, as rodovias paulistas registraram queda nas mortes e no total de feridos e acidentes neste ano, segundo o governo esatdual.

Após queda em março e abril --início da pandemia do coronavírus--, o tráfego nas estradas subiu em maio (6%) e junho (6,5%). Mesmo assim, houve queda nas mortes (- 17,6%), feridos (- 22%) e acidentes (- 24,6%) no primeiro semestre.

Os dados são do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), da Artesp e da Polícia Rodoviária e a comparação é sempre em relação a igual período de 2019.

De acordo com o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, a explicação para a redução dos acidentes se deve, principalmente, à diminuição do consumo de bebidas alcoólicas em razão do fechamento de bares e restaurantes na quarentena.

"A queda é expressiva e é um motivo para comemorar, pois estamos salvando vidas e evitando sobrecarga nos hospitais justamente em um momento de grande dificuldade por causa da pandemia do Coronavírus", afirmou.

Na região do Vale, segundo o governo estadual, houve queda de 41,4% no número de mortes em acidentes nas rodovias paulistas da região no primeiro semestre deste ano, de acordo com o Infosiga.

Foram registrados 34 óbitos em 2020 contra 58, nos seis meses de 2019..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.