Covid-19 mata mais do que assassinatos e acidentes

Número de pessoas mortas no Vale do Paraíba em decorrência do novo coronavírus supera as vítimas de homicídio no ano e as de acidentes de trânsito, segundo informações oficiais

Xandu Alves @xandualves10 | @jornalovale

O coronavírus já é mais letal do que homicídios e acidentes de trânsito no Vale do Paraíba.

Para piorar, a doença segue com tendência de aumento na região, que vem batendo recordes de novos casos confirmados e de mortes em junho.

Desde a primeira morte por Covid-19 no Vale, registrada em 26 de março, em Taubaté, a região acumula 222 óbitos pela doença.

Nos cinco primeiros meses do ano, segundo o Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo), 123 pessoas morreram em acidentes de trânsito na região.

Desse total, 65 vítimas perderam a vida entre março e maio, quando o coronavírus deixou um rastro de 89 mortes na região no mesmo período.

A comparação com o total de vítimas de homicídio doloso (com intenção de matar) é ainda mais dramática. A SSP (Secretaria da Segurança Pública) registra 137 pessoas mortas em homicídios na região em 2020, entre janeiro e maio.

Também um número inferior ao número de mortos por Covid-19: 222.

Em todo o ano de 2019, 303 pessoas morreram em homicídios na região. Se o Vale mantiver a taxa de crescimento de óbitos por Covid-19, esse número poderá ser batido em julho pelo total de vítimas do coronavírus.

"Os achismos sobre medicamentos têm que acabar. Há possibilidade de segunda e terceira onda, como estamos vendo no mundo", disse Sérgio Cimerman, médico infectologista do Hospital Emílio Ribas e membro da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia).

"As pessoas não devem perder as medidas de prevenção, como distanciamento, uso máscara e higienização das mãos, é o que temos de solução e resposta no mundo todo."

SÃO JOSÉ.

Os números da Covid-19 em São José dos Campos são ainda mais assustadores. A doença vitimou 86 pessoas na cidade até sexta-feira (26), contra 23 pessoas que morreram em acidentes de trânsito no ano, entre janeiro e maio.

De acordo com a SSP, a cidade acumula 98 pessoas mortas em homicídios desde janeiro de 2018 até maio deste ano, número que pode ser superado pelas mortes por Covid-19 em poucas semanas.

Apenas em junho, São José registrou 49 novas mortes em decorrência do coronavírus, número bem superior à média mensal de óbitos por homicídio (3,8) e a de vítimas em acidentes de trânsito (4,6).

"Essa doença não tem ideologia, ela ataca todo mundo. É uma doença gravíssima, cruel e que faz com que o familiar não possa visitar o doente, por causa do isolamento. Nem depois caso tenha um desfecho ruim. É uma doença que não faz distinção ou respeita alguma coisa. Ataca a todos. Muito agressiva", disse o médico anestesista Gabriel Tamiasso, que atua no Hospital Municipal de São José dos Campos.

"Tivemos pacientes que faleceram em minutos. A doença traz muita limitação e o paciente passa a ter necessidade de cuidados. Quem teve alta, mesmo depois de 20 e 30 dias, ainda se sente mal."

"Diferença do mundo globalizado é a facilidade com que vírus conseguiu migrar em diferentes regiões e continentes em pouco tempo", afirmou Alex Galoro, médico patologista clínico e gestor do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.