Câmara de Taubaté abre licitação para plano de saúde de servidores

Câmara irá subsidiar parcialmente o contrato, que poderá custar até R$ 2,28 milhões por ano, mas percentual ainda não foi definido; contrato anterior foi rescindido em setembro, após uma decisão do Tribunal de Justiça

Julio Codazzi @juliocodazzi | @jornalovale

A Câmara de Taubaté abriu uma licitação para definir a empresa que ficará responsável por oferecer plano de saúde para os servidores da Casa e seus dependentes.

A sessão do pregão está marcada para o dia 13 desse mês. O valor máximo previsto é de R$ 2,28 milhões. Vencerá a disputa a operadora que oferecer o menor preço.

Esse valor foi calculado tendo como base o interesse de 166 servidores em aderir ao benefício, além de 297 dependentes. O custo médio por beneficiário seria de R$ 410,46. O plano de saúde não atenderá vereadores.

A Câmara deverá subsidiar parcialmente os valores pagos pelos servidores. O percentual não foi definido ainda. No contrato anterior, o subsídio variava entre 60% e 90% do custo do serviço para os funcionários, de acordo com a faixa salarial.

VAIVÉM.

O contrato anterior do plano de saúde foi rescindido em setembro, depois que o Tribunal de Justiça considerou inconstitucional a lei municipal de 2009 que permitia a prática. No julgamento, realizado em abril, o Órgão Especial entendeu que, por serem funcionários da administração pública direta, deveriam utilizar o sistema de saúde gratuito - ou seja, o SUS (Sistema Único de Saúde). Após a decisão, o contrato da Câmara com a Santa Casa Saúde, que custava R$ 952 mil por ano e atendia 145 servidores, foi rescindido.

A recriação do benefício foi proposta pela Mesa Diretora da Câmara, que é composta pelos vereadores Boanerge dos Santos (PTB), que é o presidente, Neneca (PDT), o 1º vice-presidente, Loreny (Cidadania), a 2ª vice-presidente, Digão (PSDB), o 1º secretário, e Orestes Vanone (PV), o 2º secretário. A proposta foi inserida no projeto da minirreforma administrativa do Legislativo, protocolado em agosto e aprovado em novembro.

Para tentar escapar de novas contestações judiciais, o trecho sobre o plano de saúde foi inspirado na legislação sobre os servidores públicos federais, que beneficia juízes e funcionários do Judiciário de todo o país..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.