MP pede suspensão de etapa de concurso público em Jacareí

Promotoria aponta que teste físico pode prejudicar candidatos com deficiência; suspensão seria até o fim do julgamento

Thaís [email protected]_thaisleite | @_thaisleite

O Ministério Público ingressou com uma ação em que pede pela suspensão, seguida da exclusão, da segunda fase do concurso público que visa contratar agentes comunitários de saúde em Jacareí.

Para a promotoria, há afronta ao Estatuto do Deficiente no TAF (Teste de Aptidão Física), que servirá como segunda fase de avaliação dos candidatos. O exame deve submeter os aprovados na prova objetiva à corrida de 400 metros, polichinelo e abdominal em cinco minutos.

Para o MP, a seleção tem o objetivo de afastar a possibilidade de aprovação de pessoas com deficiência, já que para a atuação no cargo não seriam exigidas condições atléticas.

"A exigência do TAF no concurso de agente comunitário de saúde é ilegal, desarrazoada e indevidamente restritiva ao caráter competitivo do certame seletivo", afirmou o promotor José Luiz Bednarski, na ação.

O promotor embasa sua justificativa na lei federal que rege a função, e, que não apresentaria sequer a exigência de que o servidor tivesse uma boa saúde.

"A função é exclusivamente técnica (sanitária), sem demandar qualquer tipo de desempenho atlético ou função braçal", argumentou, Bednarski. "Se no máximo é preciso caminhar alguns quarteirões até a residência e apertar a campainha para iniciar o atendimento, é exagerado e restritivo exigir preparação física com corrida contra o cronômetro na distância de uma volta completa no estádio olímpico", continuou.

OUTRO LADO.

Em nota, a prefeitura informou que o teste é necessário devido às exigências físicas para a realização das atividades requisitadas para o cargo.

"Além disso, a administração apresentou elementos que comprovam a necessidade do TAF, como manifestações favoráveis para realização do exame expedidas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em casos similares", justificou..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.