Recriação de benefício para servidores tem votação adiada

A Câmara de Taubaté adiou, por duas sessões, a votação do projeto de minirreforma administrativa da Casa. O texto estava na pauta da sessão dessa terça-feira.

O pedido de adiamento foi feito pelo vereador Digão (PSDB), que integra a Mesa Diretora, autora da proposta - ele é o 1º secretário. Segundo o tucano, o objetivo é "aparar arestas".

Um dos principais pontos do projeto é a tentativa de recriação da prática de contratar plano de saúde para os servidores do Legislativo. O auxílio foi suspenso esse ano, depois que o Tribunal de Justiça considerou inconstitucional a lei municipal de 2009 que permitia a prática.

Após a decisão, o contrato com a Santa Casa Saúde, que custava R$ 952 mil por ano e atendia 145 servidores, foi rescindido em setembro. O Legislativo subsidiava entre 60% e 90% do custo do serviço para os funcionários.

O novo projeto não define se a Câmara irá fazer contratação direta da operadora ou se irá indenizar os funcionários, por meio de subsídio. A proposta também não cita uma previsão de custos da medida.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.