Logo Jornal OVALE

Sem emendas, Câmara de São José dá aval para a Linha Verde

Emendas apresentadas pela oposição acabaram barradas nas comissões permanentes e nem foram levadas ao plenário, onde projeto foi aprovado por unanimidade nessa quinta

Da redação @jornalovale | @jornalovale

A Câmara de São José dos Campos aprovou nessa quinta-feira, por unanimidade, a proposta do prefeito Felicio Ramuth (PSDB) que institui o projeto Linha Verde, como foi batizado o corredor que vai interligar as regiões sul e leste do município.

A oposição chegou a apresentar três emendas ao texto, mas elas foram rejeitadas pelas comissões permanentes e sequer foram apreciadas em plenário - uma delas queria dobrar o percentual de área que será destinada ao programa habitacional.

Após a votação, vereadores da base governista comemoraram a aprovação. "Esse projeto vai trazer um grande desenvolvimento para a zona sul e também para a zona leste", disse Lino Bispo (PL). "Será o maior projeto viário da nossa região ou, quiçá, até do estado", completou. "Vai ser um divisor de águas: São José antes da Linha Verde, e depois da Linha Verde", afirmou Calasans Camargo (PRP).

A aprovação do texto era necessária para o andamento do projeto, já que a prefeitura precisa de autorização dos vereadores para a compensação da desapropriação de 31% da faixa pertencente à CTEEP (Companhia Paulista de Transmissão de Energia Elétrica).

Pela área de 395.485 metros quadrados o município vai dar uma entrada de R$ 7,1 milhões e isenção de cinco anos de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para a empresa de energia, referente ao período de 2019 a 2023. Toda a operação é avaliada em R$ 60,9 milhões, o que, segundo o governo Felicio, representa um desconto de 85% sobre o valor de avaliação das áreas.

O objetivo da gestão tucana é iniciar ainda esse ano a primeira fase da obra, orçada em R$ 50 milhões. O edital deve ser lançado em setembro. Essa etapa compreende as obras na zona sul, com sete quilômetros. Nessa região também devem ser feitas quatro novas praças e a maior ciclovia da cidade. A previsão é de que a finalização do trecho coincida com o período da nova concessão do transporte público, no início de 2021. Pelo corredor do Linha Verde, que terá 20 quilômetros ao todo, está prevista a passagem do transporte rápido de massa - o modelo ainda não está definido, mas deve ser o VLP (Veículo Leve sobre Pneus) eletrificado..