Logo Jornal OVALE

Extinção da Arsaeg dará economia de R$ 700 mil por ano em Guará, diz Soliva

Projeto de lei que pedia pela extinção da agência reguladora foi aprovado no Plenário da Câmara nesta quinta-feira

Thaís [email protected]_thaisleite | @_thaisleite

O Plenário da Câmara de Guaratinguetá aprovou a extinção da Arsaeg (Agência Reguladora do Serviço de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá) durante sessão nesta quinta-feira.

Segundo o prefeito Marcus Soliva (PSB), a medida é eficiente para equacionar os cofres da Saeg (Serviço de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá).

O projeto, enviado pelo prefeito ao Legislativo durante o início de abril, ganhou uma emenda que somente permite a concretização da extinção após a contratação da agência reguladora que deve assumir o serviço.

A autarquia, criada no ano de 2007, tem como objetivo fiscalizar e regular a prestação dos serviços públicos que são realizados pela Saeg.

Duas semanas antes da votação, Soliva se reuniu com os parlamentares para justificar o pedido de extinção.

"Uma contratação de uma outra agência reguladora irá gerar uma economia em torno de R$ 700 mil aos cofres da Saeg, o que neste momento é extremamente importante", explicou o prefeito.

Um advogado e perito judicial também apresentou uma palestra aos vereadores sobre os pontos positivos e negativos da extinção, que teve voto favorável de nove vereadores e contrário de um.

ECONOMIA.

De acordo com o prefeito, as ações de economia para a Saeg incluem revisão no contrato firmado com a CAB (Companhia de Águas do Brasil), que atua no tratamento de esgoto no município, e, também, na implantação de projetos de energia fotovoltaica..