Logo Jornal OVALE

São José: secretário é exonerado após denúncia de assédio sexual

Antero Alves Baraldo, que chefiava a pasta de Proteção ao Cidadão em São José, pediu demissão nesta terça; agora ex-secretário é alvo de denúncia feita por guarda, que será investigada pela polícia civil e pelo governo

Caíque Toledo @CaiqueToledo | @caiquetoledo

Alvo de uma denúncia de assédio sexual, o secretário de Proteção ao Cidadão de São José dos Campos, Antero Alves Baraldo, pediu exoneração nesta terça-feira.

A informação foi confirmada pela prefeitura de São José, que informou que o pedido, de caráter irrevogável, foi aceito pelo prefeito Felicio Ramuth (PSDB).

Baraldo nega a acusação de assédio, feita por um guarda municipal e oficializada em um boletim de ocorrência (registrado no último dia 10, no 3º Distrito Policial). A Polícia Civil instaurar um inquérito para apurar o suposto caso.

Em carta, o secretário afirmou que se torna necessária uma apuração ampla e minuciosa e que decidiu pela saída do cargo para que a investigação tenha andamento "regular, isento e imparcial."

No documento, Baraldo também cita os avanços da Guarda Civil Municipal enquanto esteve no cargo. "Ainda não tive acesso aos detalhes da reclamação, nem tampouco aos autos de procedimento que eventualmente tenha sido instaurado para a apuração do que foi noticiado, tendo acesso apenas ao que tem sido veiculado na própria mídia e nas redes sociais", afirma.

O governo Felicio afirma que, em breve, anunciará o novo comandante da pasta. Em nota, a secretaria de Governança, por meio da Controladoria, instaurou um procedimento interno "para apurar a denúncia apresentada e esclarecer os fatos."

O CASO.

De acordo com o relato do guarda no boletim de ocorrência, os casos de assédio teriam começado com ofensas verbais, ainda no ano de 2017. Em determinado momento, segundo a declaração, o secretário teria chegado a forçar tentativas de relações sexuais dentro da própria secretaria, e passou a fazer ameaças, de maneira indireta, por sua demissão.

O guarda conta que, em março deste ano, relatou os casos às secretarias de Governança e Administração e Finanças, e, em reunião posterior, Baraldo teria se calado diante das denúncias feitas pelo profissional. Desde então, o guarda foi redesignado de cargo dentro da prefeitura..