Nossa Região

Relato sobre a possível cova gerou uma série de boatos nos últimos meses

Publicado em 17/07/2021 às 02:00Atualizado há 22/07/2021 às 12:05

FAKE NEWS. Nos últimos meses, Piquete foi palco de uma série de boatos sobre o Caso Marco Aurélio. Um deles dizia que o relato sobre a cova teria sido feito por outra filha de Afonso, Marly Xavier, que morreu no início desse mês, de Covid-19. A família diz, no entanto, que Marly estava intubada, e portanto inconsciente, antes de morrer - ou seja, não poderia ter dado nenhuma declaração antes de falecer.

O outro boato dizia que o relato apontava que Marco Aurélio teria sido morto por João Carlos, que teria transtorno mental, e que teria sido enterrado por Afonso no chão da casa da família, que era de terra. Essa segunda versão é rebatida pelas filhas de Afonso. "Ele [João Carlos] começou a ter ataques epiléticos quanto tinha 15 anos, mas não tinha dificuldade mental", relatou à reportagem Marlene, que hoje mora em Delfim Moreira (MG). "Ele tinha ataque epilético, tomava remédios. Às vezes fugia e meus pais achavam. Um dia saiu e ninguém mais achou", disse Helena. "Isso que estão dizendo, que o João matou o Marco Aurélio, é mentira. Ele não faria isso, e muito menos meu pai, que nem tinha arma", completou Helena, que disse ainda que a possível cova que ela teria avistado não ficava próxima à casa da família. "Tem um laguinho no sítio, antes de chegar ao restaurante [construído pelos atuais proprietários]. Seria do lado do lago", afirmou. Ao contrário de Helena, Marlene não acredita que o irmão e o escoteiro estejam enterrados na propriedade. "Eu não acredito. Já cavoucou tudo lá, mas não tem nada, não acharam nada"..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: