Nossa Região

Número de reprodução do vírus na região registra queda progressiva desde o início de julho

Da redação@jornalovalePublicado em 17/07/2021 às 02:00Atualizado há 22/07/2021 às 12:05
Orientação. Moradores ainda devem se atentar para evitar aumento da circulação do vírus nas cidades (Adenir Britto/PMSJC)

Orientação. Moradores ainda devem se atentar para evitar aumento da circulação do vírus nas cidades (Adenir Britto/PMSJC)

A RMVale registra uma queda progressiva na taxa de contágio desde o início do mês de julho. A informação é da plataforma Info Tracker (USP e Unesp), que faz o monitoramento da pandemia em todas as regiões do estado.

Segundo os dados da plataforma, no dia 1º de julho, o RT (número efetivo de reprodução) estava em 1,05. Contudo, desde então, houve uma queda progressiva da taxa, que encerrou a última semana em 0,62 -- em um provável controle da transmissão.

Desde o início do ano, a região registrou a taxa mais alta em janeiro, com 1,69. Em 1º de março, se obteve a taxa mais baixa, de 0,39.

Quando a taxa de contágio se encontra acima de 1, indica para um aumento na transmissão do vírus. Já quando os valores estão abaixo, há uma tendência de redução.

Dentre as demais regiões do estado, neste momento São José do Rio Preto lidera a tendência de queda, com taxa de contágio em 0,49. Já a região leste da Grande São Paulo é a única que segue com o número de reprodução acima de 1, com registro de 1,07.

O médico infectologista Lucas Darrigo, de São José dos Campos, reforça que é preciso que a população mantenha o uso de máscaras e o distanciamento social para que a circulação do vírus seja cada vez menor, já que o patamar dos registros diários ainda é alto.

"Quanto mais tempo a gente mantém a circulação viral alta, mais oportunidade nós estamos dando para o vírus criar cepa que podem escapar do efeito da vacina", afirmou..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: