Nossa Região

vale cria 2.690 vagasem maio, afirma Caged

Trata-se do primeiro resultado positivo depois da queda de 228 empregos em abril, o único período negativo em 2021 até o momento; no ano, o saldo é de 8.281 novos postos de trabalho

Da redação@jornalovalePublicado em 03/07/2021 às 02:00Atualizado há 22/07/2021 às 12:28
Carteira de trabalho (Divulgação)

Carteira de trabalho (Divulgação)

O Vale do Paraíba registra saldo positivo de 2.690 empregos formais em maio, como aponta o Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, cujos dados foram divulgados nesta última quinta-feira (1).

Trata-se do primeiro resultado positivo depois da queda de 228 empregos em abril, o único período negativo em 2021 até o momento. Com isso, o ano acumula quatro meses com geração de empregos e saldo de 8.281 postos de trabalho criados desde janeiro.

É o melhor saldo de empregos para o mesmo período desde 2010, quando a região gerou 12.923 novos postos de trabalho nos cinco primeiros meses.

Também é um resultado muito melhor do que o do mesmo período do ano passado, quando o Vale fechou 24 mil empregos de janeiro a maio, em razão da pandemia do coronavírus.

Neste ano, a RMVale tem saldo de 635 empregos em janeiro, 3.856 em fevereiro, 1.328 em março, corte de 228 vagas em abril e novamente saldo positivo em maio, de 2.690.

Nos últimos 12 meses, segundo o Caged, a região aparece com 21.203 empregos criados, sendo 203,2 mil admissões e 182 mil desligamentos.

São José dos Campos é a cidade da região com o maior saldo positivo no ano, com 2.773 empregos criados de janeiro a maio. Em seguida aparecem Caçapava (1.231), Pindamonhangaba (1.038), Jacareí (1.021), Cruzeiro (790) e Taubaté (738).

Guaratinguetá está na ponta debaixo da tabela do Caged, com perda de 178 empregos no ano, só superada por Campos do Jordão (-225), Caraguatatuba (-227), Ubatuba (-416) e Aparecida (-437).

BRASIL.

No Brasil inteiro, foram criadas 280.666 novas vagas de trabalho formal. No período apurado pela entidade, foram 1.548.715 admissões e 1.268.049 desligamentos.

O estoque, que é a quantidade total de contratos de trabalho formais ativos, em fevereiro de 2021 contabilizou 40.596.340 vínculos.

Em maio do ano passado, o país fechou 373.888 vagas com carteira assinada em meio ao choque do fechamento da economia após a chegada do coronavírus ao país.

De acordo com o Caged, o ano de 2021 registra saldo de 1.233.372 empregos, decorrente de 7.971.258 admissões e 6.737.886 desligamentos. São 38,2% a mais de admissões e 2,5% a menos de desligamentos que o mesmo período do ano passado, de janeiro a maio.n

Os 30 ônibus que entraram em circulação em São José em maio são menores do que os que foram substituídos (Adenir Britto/PMSJC)
Votação. Plenário da Câmara de Taubaté na sessão para julgamento das contas de 2018 de Ortiz Junior (Petterson Vitoriano/CMT)
O vereador Serginho (Divulgação/CMT)
ORTIZ JUNIOR (PSDB).r"Você pode pensar que o perigo já passou, mas isso não é real. O vírus continua aqui", disse o prefeito de Taubaté, em vídeo postado dia 9. (Caíque Toledo/OVALE)
ESQUEMA.rEm destaque, o Hospital Regional. Nos detalhes, Bilili de Angelis e Valéria dos Santos (Caíque Toledo/OVALEr)
O ex-vereador Bilili de Angelis (PSDB) (Divulgação)
'Fura fila'. Valéria dos Santos, ex-diretora regional de saúde, é ré em ação do MP (Divulgação/CMP)
Inpe. Instituição completa 60 anos sem muito o que festejar (Divulgação)
A presidenta Dilma Rousseff dá posse ao novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Antonio Cruz/ Agência Brasil)
Ciência. Pesquisadores trabalhando no Inpe, em São José dos Campos; corte de verba ameaça pesquisas (Divulgação)
Brasília- DF 10-06-2015 Ministro da educação, Renato Janine Ribeiro, durante audiência púlica para falar sonbre o ENEM Foto Lula Marques (LULA MARQUES)
(Ponta Porã - MS, 30/06/2021) Presidente da República Jair Bolsonaro, cumprimenta populares, durante chegada a Ponta Porã..Foto: Isac Nóbrega/PR ( Isac Nóbrega/PR)
Bolsonaro e Marcos Pontes (Divulgação)
planalto, Médici e CBF (divulgação)
Superedição (divulgação)
Vacinação. Prefeito esperou cerca de duas semanas para se vacinar (Claudio Vieira/PMSJCr)
Ciência. Vacinação permite avanço na guerra contra o coronavírus (Divulgação)
Vacinação em São José (CLAUDIO VIEIRA/PMSJC)
Ciência. Secretário afirma que município é exemplo do impacto positivo da vacina contra a Covid-19 (Divulgação)
Pandemia. Número de internados por Covid tem queda em julho na RMVale (Cláudio Vieira/PMSJC)
Médico André Spadaro, secretário de Saúde de Botucatu (Divulgação)
Prefeito de São José na fila da vacinação (Claudio Vieira/PMSJC)
Vacinação (CLAUDIO VIEIRA)
Prefeito em unidade de saúde para vacinação (CLAUDIO VIEIRA)
'Sommelier de vacina'?. O prefeito de São José, Felicio Ramuth (PSBD), foi criticado por moradores por não se vacinar no dia indicado (Claudio Vieira/PMSJC)
vacina (CLAUDIO VIEIRA)
Mais vacinas. Médico sanitarista defende a imunização em massa (Divulgação)
Hand in medical glove holding a vaccine vial (rawpixel.com / eyeeyeview)
vacina (Sergio Andrade)
Combate à pandemia. Prefeituras da RMVale cobram a criação de mais leitos e a chega de mais vacinas (Cláudio Vieira/PMSJC)
Saúde. Leitos (Cláudio Vieira/PMSJC)
Leitos de UTI no Hospital Municipal de São José (Cláudio Vieira / PMSJC)
Saúde. Casos e mortes por Covid continuam em patamar elevado no Vale do Paraíba (Divulgação)
Pandemia. Aumento no número de casos, internações e mortes preocupa municípios de toda a regiãq (Divulgação)
Legenda. legenda Leg (Divulgação)
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: