Projeto que autoriza venda do Departamento de Informática da Unitau está na Câmara

Prédio é avaliado em R$ 12 milhões; governo Saud cogita alugar espaço para instalar sede provisória da Prefeitura de Taubaté

A pedido da Unitau (Universidade de Taubaté), o prefeito José Saud (MDB) enviou à Câmara um projeto que autoriza a autarquia a vender o prédio que abrigava o Departamento de Informática.

O imóvel, que fica no Jardim Santa Clara, é avaliado entre R$ 10,4 milhões e R$ 12 milhões.

No projeto, a reitora Nara Fortes diz que a autarquia “conta com inúmeros imóveis”, que têm “alto custo para manutenção e preservação, fazendo com que os investimentos da universidade fiquem pulverizados”, o que leva a Unitau a não “conseguir ter capacidade de investimentos em questões urgentes”. Com a venda, a autarquia quer “tornar-se mais economicamente viável”, com poder de investimento em ensino, pesquisa e extensão.

Segundo estimativa da universidade, caso o imóvel seja vendido, a economia anual com limpeza, segurança, água, energia elétrica e telefone será de R$ 414 mil.

IMÓVEIS.

Em março, a Unitau vendeu o Campus de Ubatuba por R$ 8,6 milhões. A venda de outros dois imóveis ainda depende de autorização da Câmara.

A lista tem o prédio que abriga a PRPPG (Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação), que foi avaliado em R$ 5,95 milhões, e um segundo imóvel no Litoral Norte, conhecido como Casa de Ubatuba, avaliado em R$ 3 milhões.

No caso do Departamento de Informática, a Prefeitura tem interesse em se transferir temporariamente para o imóvel enquanto a venda não é concretizada. Nesse caso, o aluguel mensal é estimado em R$ 54 mil.

O entendimento do governo Saud é de que o Palácio do Bom Conselho, que também é alugado da Unitau, não tem acessibilidade e, portanto, não deveria mais ser usado como sede da Prefeitura.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.