'Não temos expectativa concreta de abertura', alerta vice-governador

Governo estadual deve fazer uma reunião na sexta-feira (9) para definir os próximos passos do Plano SP, já que período vigente da fase emergencial vence no domingo (11)

O vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou nessa quinta-feira (8) que não há uma expectativa concreta de reaberturas no estado. Isso, porque, segundo ele, há uma previsão de que os recordes no número de mortes causadas pelo coronavírus no país ainda devem aumentar.

"Com muita responsabilidade, o governo de São Paulo tem agido com relação à pandemia e continuamos assim. Nós ainda temos algumas semanas pela frente de muita dificuldade", disse o vice-governador, em entrevista à GloboNews. "O Brasil ainda baterá novos recordes de mortes nos próximos dias, as mortes sempre refletem praticamente 25 dias atrás, então ainda teremos crescimento de mortes no Brasil", continuou.

Segundo ele, o governo fará uma reunião na sexta-feira (9) para avaliar os próximos passos das restrições impostas. Atualmente, o estado se encontra na fase emergencial do Plano SP, que é a mais restritiva.

"A gente já sabe que não temos uma expectativa concreta de uma abertura, um liberou geral, a partir da semana que vem. Nós podemos até avaliar setores ou segmentos que podem voltar a funcionar de maneira escalonada no estado, mas a epidemia ainda está em alta", explicou Garcia.

Na entrevista, o vice-governador avaliou ainda de forma positiva o saldo das restrições até o momento. Contudo, a diminuição das internações ainda seria suficiente para uma grande flexibilização.

"Vínhamos numa escalada de crescimento de internações, e na última semana tivemos uma diminuição nas internações, o que nos sinaliza uma certa estabilização, mas ainda não uma queda necessária para que pudéssemos ter uma flexibilização maior", concluiu.

Na terça-feira (6), São Paulo bateu 1.389 mortes, mesmo dia em que o país registrou 4.211 óbitos. Ambos os registros representaram recordes desde o início da pandemia.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.