Santa Casa registra aumento no número de transplantes em São José

A Santa Casa de São José dos Campos registrou um aumento no número de transplantes e apontou que a área parece não ter sofrido os impactos da pandemia da Covid-19. De março até o momento, foram 21 procedimentos. No mesmo período do ano passado, 14.

Logo no início da pandemia, o hospital, que é referência em transplante de fígado na região, suspendeu transplantes por doador vivo, como meio de proteção do risco de contaminação com o coronavírus.

“Já a doação de órgãos de pessoas que faleceram por morte encefálica é fundamental para o tratamento dos pacientes em lista de espera, pois somente 5,7% dos transplantes de fígado são realizados por doador vivo”, afirmou o coordenador do setor de transplantes da Santa Casa de São José dos Campos, Dr. Jorge Padilla. Pessoas que faleceram em decorrência da Covid-19 não podem ter os órgãos doados.

Para o especialista, é importante que as pessoas discutam a doação de órgãos, visto que o ato pode representar a manutenção da vida de outra pessoa.

"Pode soar estranho dialogar sobre isso quando se está saudável, mas expressar essa vontade, com tranquilidade, é mais fácil a compreensão, do que a explicação acontecer no hospital, em um momento no qual a família está extremamente abalada", disse.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.