Denúncias de fluxo sobem 427% em São José durante a pandemia

Grupos driblam fiscalização e o isolamento, organizando festas durante a quarentena; força-tarefa da prefeitura, em parceria com a Polícia Militar, tenta conter 'proibidões'

Marcos Eduardo Carvalho @marcosovale78 | @jornalovale

Reclamações e denúncias de fluxos de funk em São José dos Campos tiveram um aumento de 427% entre 24 de março e 29 de julho deste ano em relação ao mesmo período de 2019. Eram 18 casos relatados no ano passado contra 95 no mesmo período de 2020. Os dados são da Secretaria de Proteção ao Cidadão, da prefeitura.

Os números também mostram que o total de reclamações referentes a fluxos, festas particulares e perturbação de sossego tiveram 152% de aumento. Foram 9234 reclamações durante a quarentena contra 3656 entre março e julho de 2019.

Só pelo telefone 156, da prefeitura, foram 4719 casos em 2020, contra 1157 no mesmo período do ano passado, alta de 307,8%. No COI (Centro de Operações Integradas), Copom e Guarda Civil Municipal, foram 4.420 reclamações entre março e julho, contra 2.481 no mesmo período de 2019, aumento de 78,15%.

Para tentar coibir as ações, uma verdadeira força-tarefa é montada, envolvendo agentes da prefeitura, através da Guarda Civil, e Polícia Militar. Apenas em julho, foram impedidos cerca de 80 fluxos do funk e grandes aglomerações em ruas, praças e chácaras em pelo menos 16 bairros.

Segundo a prefeitura, todas as sextas, sábados, domingos e feriados são feitas operações 'Fluxo Zero' pela Guarda, das 22h até as 5h. Atuam também os agentes do DFPM (Departamento de Fiscalização de Posturas Municipais) no impedimento dos fluxos, além dos agentes de mobilidade urbana. Além das denúncias dos munícipes, os fluxos também são monitorados através das redes sociais.

O secretário de Proteção ao Cidadão, Devair Pietraroia da Silva, ressalta as ações diárias que vêm sendo feitas. "O combate aos fluxos do funk e às festas particulares com aglomerações têm sido um dos principais focos de atuação das equipes da Guarda Civil Municipal e do DFPM", disse.

"Estamos conseguindo vencer este desafio com a união de forças, como o apoio da Polícia Militar por meio do programa São José Unida, e com nosso serviço de inteligência para identificar e evitar estes eventos nocivos à saúde pública. O apoio da comunidade com denúncias e reclamações também tem ajudado muito a Prefeitura"..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.