Taubaté e São José entram no 'Top 10' da menor letalidade para Covid-19 em São Paulo

Duas cidades do Vale do Paraíba estão entre as 10 com mais de 100 mil habitantes, em todo estado de São Paulo, com as menores taxas de letalidade para Covid-19, segundo Estado

Xandu [email protected] | @jornalovale

São José dos Campos e Taubaté estão entre as 10 cidades de São Paulo com mais de 100 mil habitantes que têm as menores taxas de letalidade pelo coronavírus em todo o estado.

De acordo com o governo estadual, os municípios que lideram esse indicador são Araraquara (1,17%), Taubaté (1, 89%), Bauru (2,06%), Botucatu (2,14%), São Carlos (2,37%), Presidente Prudente (2.39%), Bragança Paulista (2,57%), São José dos Campos (2.73%), Araçatuba (2,9%) e São José do Rio Preto (2,94%).

A letalidade relaciona o número de pessoas contaminadas por coronavírus e aquelas que vieram a óbito pela doença numa determinada cidade.

Segundo Marco Vinholi, secretário estadual de Desenvolvimento Regional, dois fatores principais explicam os bons resultados nestes municípios.

"Primeiro, a qualidade no tratamento de saúde; em seguida, a política de testagem para o vírus, que é fundamental para seguir avançando em todo o estado junto com nosso programa de rastreamento, que possibilitará melhoras na evolução da pandemia."

E o secretário complementou: "Com essas ações mantemos o estado com atendimento pleno na área de saúde e com todas as pessoas em condições de atendimento".

Vinholi declarou que a presença de São José e Taubaté entre as cidades com a menor taxa de letalidade para a Covid-19 reforça o plano do estado de aumentar a capacidade de atendimento hospitalar na região, um dos motivos dos bons números dos dois maiores municípios do Vale do Paraíba.

"Fizemos vários avanços em São José, no Hospital Regional do Litoral Norte, em Taubaté com aumento de leitos e no Vale Histórico. Todo o Vale tem tido aumento na capacidade hospitalar ao longo desse período", afirmou o secretário.

Segundo Vinholi, o Vale saltou de 7,5 leitos por cada grupo de 100 mil habitantes, em 2 de junho, para 15,3 leitos por 100 mil atualmente.

"Dobramos a capacidade hospitalar do Vale. Vamos seguir aumentando o número de leitos, mas, também, se necessário, utilizando a capacidade já instalada. Nenhuma pessoa do Vale ficará sem atendimento, assim como no restante do estado", disse o secretário.

De acordo com Eduardo Ribeiro, secretário-executivo da Secretaria Estadual de Saúde, em resposta a OVALE durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, o governo tem observado cada região do estado e feito "movimentos precisos para ampliação de estrutura em todas as regiões".

"No Vale, ampliamos em 154 leitos de UTI e adicionalmente, na última semana, encaminhamos 70 respiradores, focando em Lorena, Guaratinguetá, Cruzeiro, Caraguatatuba e São José. Temos diversas ações possíveis, quer seja na ampliação da rede própria ou na contratada"..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.