Nossa Região

Fapesp cria repositório com dados de 75 mil pacientes para pesquisas sobre Covid-19

Banco de dados também têm 1,6 milhão de exames e 6.500 dados de desfecho sobre a doença

@Da redaçãoPublicado em 17/06/2020 às 11:26Atualizado há 24/07/2021 às 18:49
Ciência. Funcionária de laboratório faz exame (Cláudio Vieira/PMSJC)

Ciência. Funcionária de laboratório faz exame (Cláudio Vieira/PMSJC)

Pesquisadores de universidades e instituições de pesquisa de todo o país passam a ter acesso, nesta quarta-feira (17), ao Covid-19 Data Sharing/BR, o primeiro repositório do país com dados demográficos e exames clínicos e laboratoriais de pacientes que fizeram testes para Covid-19 em unidades laboratoriais e hospitais do estado de São Paulo.

O objetivo é compartilhar informações clínicas de pacientes para subsidiar pesquisas científicas sobre a doença nas diversas áreas de conhecimento. Os pacientes serão mantidos no anonimato.

A base de dados compartilhados é resultado de uma iniciativa da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) em parceria com a USP (Universidade de São Paulo), e já conta com a adesão de hospitais e unidades laboratoriais de atendimento a pacientes.

O repositório (https://repositoriodatasharingfapesp.uspdigital.usp.br/) abrigará, inicialmente, dados anônimos de 75 mil pacientes, 6.500 dados de desfecho e um total de mais de 1,6 milhão de exames clínicos e laboratoriais realizados na cidade de São Paulo pelo Grupo Fleury e os hospitais Sírio-Libanês e Israelita Albert Einstein desde novembro de 2019.

Segundo a Fapesp, ainda que o primeiro caso da doença no Brasil tenha sido registrado em fevereiro, pelo Hospital Albert Einstein, o período de cobertura dos dados permitirá que as pesquisas analisem o histórico de saúde dos pacientes bem como busquem evidências de sintomas da Covid-19 em pacientes atendidos anteriormente.

Novos dados serão inseridos pelo Grupo Fleury, Hospital Sírio-Libanês e Einstein regularmente.

O repositório disponibilizará aos pesquisadores três categorias de informação: dados demográficos (gênero, ano de nascimento e região de residência do paciente) e dados de exames clínicos ou laboratoriais, além de informações, quando disponível, sobre a movimentação do paciente, como internações, por exemplo, e desfecho dos casos, como recuperação ou óbitos.

Em uma segunda etapa, que já sendo preparada, o Covid-19 Data Sharing/BR abrigará também dados de imagens, como radiografias e tomografias.

ETAPAS

O lançamento do repositório tem um cronograma de três etapas. Uma versão pequena do conjunto de dados será inicialmente disponibilizada em 17 de junho para um período piloto de consultas. A comunidade de pesquisa poderá baixar os dados e começar a programar técnicas de ciência de dados para leitura, visualização e análise.

Até 24 de junho, os grupos de pesquisa interessados poderão enviar dúvidas e comentários para os responsáveis pelo e-mail covid19datasharing@fapesp.br.

Esse contato será usado para melhorar as informações e a documentação do repositório. O conjunto inicial completo dos dados estará público a partir de 1º de julho.

“Essa colaboração de pesquisadores e instituições e a cooperação anunciada hoje é um exemplo prático de como a ciência é cada vez mais uma atividade coletiva”, disse o diretor científico da Fapesp, Luiz Eugênio Mello.

HISTÓRICO

A ideia de criação do repositório Covid-19 Data Sharing/BR surgiu há pouco mais de um mês e foi concretizada graças a outro projeto lançado pela Fapesp no final do ano passado, a Rede de Repositórios de Dados Científicos do Estado de São Paulo.

A rede, que levou quase três anos para ser desenvolvida, disponibiliza em uma plataforma aberta dados associados a pesquisas científicas desenvolvidas em todas as áreas de conhecimento no estado de São Paulo. A mesma plataforma abrigará também o repositório Covid-19 Data Sharing/BR.

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: