Em três meses, Covid-19 mata mais que um ano e meio da violência em São José

Durante o período da pandemia, desde a primeira morte registrada, a Covid-19 é responsável por mais óbitos do que os homicídios em São José, a 'capital' da região líder na taxa de assassinatos em São Paulo desde 2010

Da redaçã[email protected] | @jornalovale

Em três meses de pandemia, a Covid-19 é responsável por mais mortes em São José dos Campos do que a violência em um ano e meio.

A primeira morte causada pelo novo coronavírus foi confirmada no município no dia 31 de março. De lá para cá, em apenas 73 dias, a cidade já registrou 58 óbitos confirmados pela doença -- até a noite desta sexta-feira (12). É uma morte a cada 1,2 dia.

Segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública do Estado, São José registrou 54 assassinatos entre janeiro de 2019 e abril deste ano (contando vítimas de homicídios e latrocínios, o roubo seguido de morte).

Desde 2010, a RMVale é a região com a maior taxa de assassinatos em São Paulo a cada 100 mil habitantes, inclusive à frente da capital e da Grande São Paulo. Nos quatro primeiros meses deste ano foram 16 assassinatos em São José -- uma alta em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram 12 óbitos. Durante todo o ano de 2019, foram 38 vítimas da violência no município.

Já em relação ao vírus, foram 21 mortos na cidade somente nestes primeiros 12 dias do mês de junho, o que mostra, também, o avanço da doença: haviam sido 26 mortes durante todo o mês de maio e 11 durante todo o mês de abril, segundo dados da própria prefeitura.

Dentre os óbitos confirmados pela doença, são 19 mulheres e 39 homens. O maior número de mortes está na faixa dos 61 a 70, com 16, seguido por 71 a 80, com 14. Entre 81 a 90 anos são 10 vítimas no município, e são cinco vítimas cada nas faixas de 31 a 40, 41 a 50 e 51 a 60. São José também registrou a morte por Covid-19 de uma mulher na faixa dos 21 a 30 e de um homem na faixa dos 91 a 100 anos..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.